Asteroide passará perto da Terra na terça-feira

Mesmo com 400 metros de largura, asteroide não oferece risco

Um enorme asteroide passará perto da Terra na próxima terça-feira. É uma rara aproximação, mas não há risco de impacto com o planeta, segundo cientistas dos Estados Unidos. “Não é potencialmente perigoso. É só uma boa oportunidade para estudar um asteroide”, garantiu o astrônomo da Fundação Nacional de Ciências (NSF, na sigla em inglês), Thomas Statler.

Saiba mais

ASTEROIDES

São corpos celestes menores que planetas que vagam pelo Sistema Solar desde sua formação, há 4,6 bilhões de anos.

METEORITOS

São pedaços de asteroides que eventualmente atingem a superfície da Terra.

METEOROS

São os rastros luminosos produzidos por pedaços de asteroides em contato com a atmosfera da Terra, resultado do atrito com o ar, conhecidos popularmente como estrelas cadentes.

O asteróide chamado 2005 YU55 tem 400 metros de largura e passará mais perto da Terra do que a Lua, a 325.000 km de distância, informou a agência espacial americana. Segundo previsões, o horário em que o asteroide estará mais próximo da Terra será às 21h28 de terça-feira, horário de Brasília.

A aproximação será a maior de um asteroide deste tamanho em mais de 30 anos e um evento similar não voltará a ocorrer até 2028. No entanto, quem desejar ver o corpo celeste precisará de um telescópio.

O asteroide “será visto muito distante quando passar por aqui”, afirmou Scott Fisher, diretor da Divisão de Astronomia da NSF. “Não será perceptível a olho nu. Será preciso um telescópio com lente de mais de 15 cm para vê-lo. Para tornar a observação ainda mais complicada, o asteroide se moverá muito rápido no céu quando passar”, detalhou.

“Vários radiotelescópios foram instalados na América do Norte para registrar a passagem do astro”, continuou Fisher. “O momento para observá-lo serão as primeiras horas da escuridão de 8 de novembro, e o melhor local, a costa leste dos Estados Unidos”, emendou.

Os astrônomos que estudam este objeto, classificado como um asteroide de classe C, dizem que ele é muito escuro e bastante poroso.

O 2005 YU55 foi descoberto em 2005 por Robert McMillan, do projeto Spacewatch, grupo de cientistas que observa o sistema solar no Arizona, Estados Unidos.

O objeto faz parte de um conjunto de 1.262 asteroides grandes, que giram ao redor do sol e têm mais de 150 metros de largura, que a Nasa qualifica como “potencialmente perigosos”. “Queremos estudar estes asteroides, de forma que se algum dia houver risco de colisão, saibamos o que fazer com ele”, disse Statler.

A passagem mais próxima que um asteroide fará da Terra será em 2094, a uma distância de 269.000 km, segundo as previsões.

(Com Agência France-Presse)