As incríveis paisagens noturnas captadas por Nicholas Buer

Cada fotografia pode demorar de quatro a cinco horas

Fotografias de paisagens requerem muita dedicação, principalmente se elas forem noturnas. E não é todo mundo que se submete a ficar quatro ou cinco horas durante a noite, no meio do nada, para capturar uma única imagem. O fotógrafo inglês Nicholas Buer, porém, é uma destas pessoas que gosta de estar do lado de fora, exposto ao frio ártico ou à aridez dos desertos. “Eu simplesmente adoro o sentimento de serenidade de quando estou sozinho na natureza”, conta Buer, que fotografa o céu há quatro anos, de diversos lugares do mundo, como Chile, Austrália, Noruega, Islândia, Ilhas Canárias e Reino Unido.

Buer planeja tudo antes de cada viagem. Pesquisa tudo sobre o local que vai conhecer e sempre atenta para as fases lunares, para visitar o lugar no melhor momento. Ele diz que os ventos que trazem poeira para ele e seu equipamento é um dos maiores desafios. “Carregar o equipamento pesado por quilômetros até chegar nos pontos certos pode ser desanimador”, afima. Além disso, Buer fala que passa muito mais tempo que o normal sem comer e sem dormir, mas quando está debaixo de um céu totalmente escuro, sem interfência de luzes artificiais, todas as dores vão embora. “Dizem que a melhor coisa da vida é a liberdade. Acredito que olhar a Via Láctea em uma graciosa noite é digno deste sentimento.”

Buer diz que a claridade das ruas e das áreas residenciais pode encobrir a beleza das estrelas. E sugere: “Saia destes lugares e dirija alguns quilômetros para o escuro. Estes ‘céus’ estão mais perto das pessoas do que elas imaginam.” Além de suas fotografias noturnas, ele também produz vídeos timelapse durante suas jornadas. Confira alguns vídeos e outros trabalhos do fotógrafo em seu site.