Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Trump não é deste mundo

A decisão de abandonar o Acordo de Paris deixa os EUA mais isolados diplomaticamente, mas não enterra os esforços para reduzir o aquecimento global

O presidente Donald Trump continua decidido a cumprir o que prometeu aos eleitores americanos. O resto do mundo, que não o elegeu, paga o pato. Na quinta-feira 1º, ele anunciou um desastre: a retirada dos Estados Unidos do Acordo de Paris sobre o clima. No discurso que fez nos jardins da Casa Branca, afirmou que o acerto, impulsionado pelo seu antecessor, Ba­rack Obama, era desvantajoso e ameaçava os empregos industriais dos americanos. “Esse acordo é menos sobre clima e mais sobre outros países tirando vantagens financeiras sobre os Estados Unidos”, disse Trump, para quem toda a mobilização contra o aquecimento global e seus custos não valem mais do que um saco de carvão.

Assinado em dezembro de 2015 por 192 países (entre os quais o Brasil), a União Europeia e a Autoridade Palestina, o Acordo de Paris tem como meta reduzir as emissões dos gases que provocam o aquecimento global. Os Estados Unidos, o segundo país que mais libera essas substâncias na atmosfera, tinham se comprometido a reduzir, até 2025, suas emissões entre 26% e 28% abaixo dos níveis de 2005. Além disso, o país daria mais 2 bilhões de dólares, além do 1 bilhão já entregue, para auxiliar os países em desenvolvimento a cumprir com suas próprias metas. Trump jogou esse compromisso no lixo. Agora, fala em entrar em outro acordo, com termos mais favoráveis, algo que os países europeus dizem não ser factível.

Reportagem nesta edição de VEJA analisa os possíveis desdobramentos desta decisão e avalia a dimensão do afastamento entre os Estados Unidos e a Europa.

Para ler a reportagem na íntegra, compre a edição desta semana de VEJA no iOS, Android ou nas bancas. E aproveite: todas as edições de VEJA Digital por 1 mês grátis no Go Read.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Valdeci Pinheiro de Lima

    A imprensa que nao noticia, mas que quer formar opiniao. Claro, opiniao que lhe é propria. Pratica a tentativa de emburrecimento dos eleitores, ao inves de trazer fatos e detalhes, traz julgamento e conclusoes. Qual o objetivo? Que o mundo tenha ideias identicas e pasteurizadas? A diversidade de ideias nao vale?

    Curtir

  2. Demetrius Assucena

    Não existe evidência científica de que a liberação, por atividades humanas, de dióxido de carbono, metano ou outros gases do efeito estufa estão ou irão causar, em um futuro previsível, aquecimento catastrófico da atmosfera terrestre e a alteração do clima. O “Apelo de Heidelberg”, que recentemente alcançou 4 mil assinaturas de cientistas, incluindo as de 72 ganhadores do Prêmio Nobel rejeitando o Aquecimento global. A pergunta é: quem são os cientistas” que fazem e divulgam este tipo de pesquisa?. De onde vem a verba que patrocinam as suas pesquisas?, e por fim, quanto é pago para divulgação desta mentira?.

    Curtir

  3. ViP Berbigao

    O Trump é put. velha e assessorado por put.s ainda mais velhas… kkk… Ele sim defendeu os interesses ‘duzamericanu’… kkk

    Curtir

  4. Quem não estiver de acordo com Trump pode parar de comprar produtos que não foram produzidos de maneira verde. Muito simples! O resto é balela para inglês ver.

    Curtir

  5. carlos schneider

    Trump é o cara. Essa estória de aquecimento global é uma farsa deslavada.

    Curtir

  6. Parabéns ao Presidente Trump. Joga o lixo este acordo proposto por globalistas mentirosos.

    Curtir

  7. Concordo! Trump é um ignorante que deveria ler mais um assunto antes de decidir. Um ignoradte odiado pela maioria dos americanos.

    Curtir

  8. Felippe Segnin

    O autor do texto é tipico daqueles que seguem a manada sem nenhum pensamento critico a respeito do que escreve. São conhecios como papaguaio…

    Curtir

  9. Jorge Costa Rêgo

    Mais um texto de choradeira esquerdista de melancia. Aê Veja, o barato é vir aqui zoar essas boztt@Zz de matéria e só. Não pago um puto para comprar de vcs nada

    Curtir