Solange: Rio tem imensa saúde financeira

Quais problemas da cidade são mais urgentes e que medidas de curto prazo podem ser adotadas imediatamente para atacá-los?

Tenho duas prioridades: transporte e saúde. Um grande benefício para a população carioca será a construção do corredor T5, que atenderá 380 mil passageiros por dia, com redução de 50% do tempo do trajeto. Além disso, pretendo expandir o metrô, que, apesar de ser de competência estadual, como prefeita, posso agregar recursos à implantação da Linha 4 através de fundos recebíveis da dívida ativa. Na minha gestão, vou reservar parte deste dinheiro, R$ 250 milhões, para viabilizar as obras.

Na saúde, pretendo firmar parcerias com os governos federal e estadual para atender da melhor forma à população do Rio. Vamos construir 25 postos de saúde em toda a cidade e implantar a marcação por telefone e internet de consultas médicas, diminuindo filas e garantindo medicação, pessoal e equipamentos em todas as unidades de saúde. Vamos também expandir o programa Remédio em Casa a portadores de outras doenças crônicas e ampliar o Programa Saúde da Família, que faz o trabalho preventivo e, assim, desafoga os hospitais e postos de saúde.

Qual é a primeira medida que o (a) senhor(a) pretende anunciar assim que assumir o cargo?

Para governar uma cidade como o Rio é essencial que haja cooperação entre os governos. Eleita, vou me apresentar ao presidente Lula e ao governador Sergio Cabral, para que, a seis mãos, coloquemos em prática as soluções necessárias para os problemas dos cariocas. As parcerias com governos estadual e federal vão possibilitar muitos benefícios para nossa cidade.

Qual é o projeto que o (a) senhor(a) gostaria de ver implantado até o fim da sua gestão, mas admite que será muito difícil concretizá-lo?

A cidade é constante. Ela não começa e acaba em um governo. Rio 2016 é um exemplo disso. A escolha das quatro finalistas foi em 2008, a definição da sede será tomada em 2009, e a Olimpíada só acontecerá em 2016. Outro exemplo está na área de transportes, em que os projetos são de longa duração. No Rio de Janeiro, o metrô teve início há 30 anos e prossegue. O mesmo caso é o dos grandes corredores de transporte que requerem investimentos maiores. Mas eu vou começar e acabar o corredor T5, o Barra-Sul e Barra-Oeste.

A Prefeitura tem verba suficiente para o (a) senhor(a) implementar seus projetos?

Certamente. O problema no Brasil não é tanto de recursos, e sim de gestão. Se o Rio tiver um prefeito ou uma prefeita inexperiente, que não saiba administrar, pode acontecer o mesmo que em 88, quando a cidade quebrou, e não conseguiu honrar com seus compromissos. Eu sei que a cidade tem uma imensa saúde financeira e uma grande capacidade de atração de eventos.

O Rio tem muitos problemas, mas também qualidades. O que o (a) senhor(a) considera o ponto forte da metrópole e como dar condições para que se desenvolva ainda mais?

O Rio é uma cidade que tem como característica principal a diversidade: de lugares, de pessoas, de atividades econômicas. O caminho para o desenvolvimento é a integração, o diálogo. Temos que aproveitar bem a estrutura que foi criada até aqui, garantir o que deu certo e trazer o novo.

Quanto o (a) senhor(a) pretende gastar em sua campanha e como vai custeá-la?

Declarei ao TRE que o gasto máximo na minha campanha, considerando os dois turnos, será de R$ 6,5 milhões. Mas não significa que vou usar todo esse valor. Isso é o teto. A captação de doações será transparente, seguindo todas as determinações da lei eleitoral.

O (a) senhor(a) costuma freqüentar as praias do Rio? Se sente seguro contra a ação de ladrões e tranqüilo quanto à qualidade da água?

Costumo caminhar no calçadão. Na orla, como em diversas partes da cidade, há problemas com segurança. Por isso, defendo a figura do Cosme e Damião e uma ação preventiva da Guarda Municipal, em parceria com a Polícia Militar. A dupla faria o policiamento na rua, aumentando a sensação de segurança e reduzindo o índice de crimes.

Em relação à qualidade da água, vou investir em saneamento ambiental para melhorar a qualidade das águas dos rios, lagoas e praias da cidade.

Como a violência tem afetado sua rotina na cidade? Já evitou algum evento ou mudou algum caminho no trânsito por precaução? O que pretende implementar nessa área na sua gestão?

Como qualquer pessoa, às vezes me sinto insegura, mas tenho que trabalhar e tenho muitos compromissos a cumprir junto à população do Rio. Mas entendo as pessoas que se sentem aterrorizadas com a violência batendo à nossa porta diariamente. Para auxiliar o governo do Estado, responsável por garantir a segurança dos cariocas, vou implementar o Plano Municipal de Segurança Cidadã. Esse plano prioriza a prevenção, já que segurança pública não se faz com carros e armas. Precisamos orientar nossos policiais. Outra medida é o policiamento ostensivo nos corredores comerciais e históricos, com a dupla Cosme e Damião. É preciso cuidar das pessoas.

O salário de prefeito do Rio é de pouco mais de R$ 11 mil, provavelmente menos do que o (a) senhor(a) receberia exercendo sua profissão na iniciativa privada, mas com muito mais cobranças. Por que o (a) senhor(a) quer ser prefeito do Rio?

Sou deputada federal e estou há 30 anos na vida pública. Quero ser prefeita do Rio para cuidar de nossa gente. Amo essa cidade e fazê-la crescer ainda mais é a minha recompensa.

A crise na área de saúde foi evidenciada com a epidemia de dengue no Rio. O que o (a) senhor(a) pretende fazer para equipar hospitais e postos municipais?

Como disse anteriormente, vou construir 25 postos de saúde, para ampliar a rede de atendimento. Além disso, implantarei o sistema de marcação, por telefone e internet, de consultas. Vou ampliar o programa Remédio em Casa e lutar pela integração com os governos federal e estadual, a fim de garantir, em todas as unidades de saúde, equipamentos, pessoal e medicamentos. Outro ponto importante é investir na logística de abastecimento das unidades. E vou dar especial atenção às campanhas preventivas, pois ter saúde, acima de tudo, é não ficar doente.

O que é preciso para que o Rio possa ser – de fato – uma cidade maravilhosa para se morar?

O Rio É uma cidade maravilhosa para se morar. Precisamos aprimorar o que já temos de bom e garantir que novos investimentos sejam feitos. Temos riquezas naturais incomparáveis, um povo extraordinário e um potencial de desenvolvimento enorme. É só manter o ritmo para que o Rio cresça ainda mais.

Descreva como o (a) senhor(a) acha que será o Rio de 2028.

O Rio terá realizado a primeira e grande Olimpíada de 2016, será uma cidade que terá controle da emissão de gases poluentes, terá investido no reflorestamento de suas áreas. Daqui a 20 anos, o Rio será uma cidade que já terá equacionado as questões de saneamento ambiental. Continuarão os investimentos nos transportes e o desafio de sempre da pobreza, da violência, da insegurança. Mas continuará sendo uma das grandes cidades do mundo, uma das 20 maiores.

Como o (a) senhor(a) gostaria de ser lembrado pelas futuras gerações de cariocas?

Uma prefeita que se dedicou com seriedade e honestidade à cidade, que trouxe investimentos e garantiu o desenvolvimento econômico e social. Uma prefeita que, acima de tudo, amou o Rio e o fez ser ainda mais maravilhoso.