Representação contra Temer por obstrução de Justiça chega à PGR

A ação pede a abertura de inquérito contra o presidente da República por acionar a Abin para investigar o ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato

O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) protocolizou nesta segunda-feira uma representação na Procuradoria-Geral da República pedindo a investigação do presidente Michel Temer sobre a possível prática de atos de obstrução das atividades da Justiça, abuso de autoridade e corrupção passiva.

A ação se dá após a revelação, feita por VEJA, de que o governo acionou a Agência Brasileira de Inteligência (Abin) para fazer uma devassa na vida do ministro Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF).

O senador sustenta que o uso do aparato estatal de inteligência “transborda qualquer falsa aparência de motivação pública” e que a sua adoção “se dá com nítido propósito de promover constrangimento público a quem se encontra imbuído da prerrogativa institucional de investigar – caso do Procurador-Geral da República – ou julgar – caso do Ministro Fachin – o representado”.

“Essa ‘operação’, por parte da Abin, não possui qualquer razão de Estado aparente como motivadora que não seja o vil interesse de promover vingança pessoal em favor do representado e, ainda, obstar o andamento do inquérito contra si movido. Haveria, na confirmação dos fatos delitivos ora narrados, flagrante manobra de obstrução do trabalho investigativo através do uso do próprio aparelho estatal, que deveria ser utilizado em sentindo diametralmente oposto, para a asseguração do devido processo legal e garantia de exercício de prerrogativas por parte de membros do Ministério Público e Judiciário”, escreveu Randolfe na representação.

Se acatar a representação, a Procuradoria-Geral da República deve pedir ao Supremo Tribunal Federal (STF) a instauração de um inquérito contra Temer.

Atualmente, o presidente da República já é alvo de inquérito no STF no âmbito da Operação Lava Jato e que corre nas mãos de Edson Fachin, o ministro que entrou na mira da Abin. A Procuradoria deve apresentar denúncia contra o peemedebista nos próximos dias.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Grande coisa. Nada acontece pois os bonecos de capa preta estão lá para protegê-lo.

    Curtir

  2. Como tem imbecil aqui defendendo o canalha com a conversa fiada de esquerda x direita, exatamente como fazia o pseudo jornalista Tucanaldo Azedo.

    Curtir

  3. Temer não é flor que se cheire mas que Janot pensa 24 hs por dia em derrubá-lo para que não seja aprovada a reforma da previdência que irá tirar privilégios do judiciário, não tenho dúvida alguma.

    Curtir

  4. Em geral os paises onde o povo nao tem forca atraves de sua constituicao ficam a mercer dos conhecimentos de seus direitos e havera sempre homens politicos,juizes das cortes desses paises empresarios inescrupulosos corruptores socios de homens dos poderes publicos se enriquecendo do dinheiro publico no geral quando as coisas ficam insustentavel ha homens dignos que tentam evitar o caos mas na verdade suas acoes sao apenas paleativas tendo de volta as feridas ainda maiores causadas pela corrupcao.

    Curtir

  5. silvio teixeira filho

    Vamos reagir ao “quanto pior melhor”. O governo do Temer está acabando em 2018, e o que interessa agora é criar EMPREGOS e manter inflação e juros baixos. O grande exemplo de desorganização de uma Nação é a VENEZUELA

    Curtir

  6. Ciro Lauschner

    E quando chegará a ação por tentativa de golpe de Estado?

    Curtir

  7. Paulo Bandarra

    Quer maior obstrução do que comprar uma base aliada para impedir a abertura do processo? Isto como o dinheiro dos contribuintes.

    Curtir

  8. Agora é só aguardar a candidatura do janot ano q vem para confirmar q ele só está tentando parecer o salvador da pátria e tbm só quer arrumar uma vaga na mamata.

    Curtir

  9. Paulo Renato

    A pergunta que não quer calar: Fachin representa uma ameaça a nossa soberania e a segurança nacional? Se não Temer com o uso da Abin incorreu em crime.

    Curtir