Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Polícia prende acusado de matar ambulante em estação de metrô

Ricardo Nascimento, de 21 anos, estava escondido na casa de um amigo na região de Campinas

A Polícia Civil prendeu na noite dessa terça-feira Ricardo Martins do Nascimento, de 21 anos, um dos acusados de matar o vendedor ambulante Luiz Carlos Ruas, de 54 anos, no último domingo (25), na estação Dom Pedro II do metrô de São Paulo. O agressor estava acompanhado de seu primo, Alípio Rogério Belo dos Santos, de 26 anos, que continua foragido.

Ricardo foi encontrado por policiais na casa de um amigo em Itupeva, na região de Campinas, e levado para o DHPP (Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa), na capital. Em entrevista a jornalistas, Ricardo disse que estava “arrependido” pela agressão e que estava bêbado quanto atacou Ruas.

De acordo com testemunhas ouvidas pela Delegacia de Polícia do Metropolitano (Delpom), que investiga o caso, os dois homens se envolveram em uma confusão com duas travestis moradoras de rua, quando Ruas interviu para defendê-las. Ele chegou a correr para dentro da estação no intuito de se proteger, mas foi alcançado pelos suspeitos. Apelidado de Índio, Ruas trabalhava há muitos anos nas escadarias da Dom Pedro II vendendo salgados e refrigerantes e conhecia as pessoas que dormiam no entorno da estação. Ruas morreu no hospital e foi velado na terça-feira.

O agressor detido será levado para a estação Palmeiras/Barra Funda às 9h da manhã de hoje, para ser reconhecido por testemunhas. A Secretaria de Segurança Pública de São Paulo segue com a oferta de 50.000 reais como recompensa por informações que levem ao segundo suspeito. Segundo nota divulgada pelo Metrô, não havia seguranças na estação no momento do ataque, que foi registrado em câmeras de segurança.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Matou porque estava bêbado! Um vagabundo desses só matando, não tem outro jeito.

    Curtir

  2. A bebida, incluindo a cerveja, é uma das drogas mais pesadas que existem.

    Curtir

  3. Adilson Nagamine

    Debulhem lágrimas. Um cadáver. Agora denunciar os milhares de bêbados que matam de montão , eu ninguém fala nada. Mas apareceu na grobu. Todo circo é montado. Arghh

    Curtir

  4. Sub-desenvolvimento eterno de um país.A indústria da impunidade atua para deixar criminosos livres, leves e soltos.Incentivo para novos crimes. Mudar? Só com novas instituições, nova república e tolerância zero quanto á crimes dolosos contra o direito de existir.Não confundir democracia com anarquia.

    Curtir

  5. Paulo Bandarra

    Afinal não tinha nada de homofobia. Apenas drogas. E vai piorar quando legalizarem as outras.

    Curtir

  6. JOÃO CARLOS FÉLIX DA SILVA

    Nesse assassinato falhou a (in)segurança do metro. Falta prender ainda o outro facínora. Espero que sendo preso ele seja devidamente aconselhado na cadeia. Verme, acéfalo.

    Curtir

  7. Eles queriam casar no xadrex…conseguiram

    Curtir

  8. Covardes … Vâo pro ring encarar alguem compativel…vovo é super covardia .xadrex POR favor ,la elas casam

    Curtir