Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Parecer de Janot e MP paulista na Lava Jato nas manchetes do dia

Para Rodrigo Janot, Michel Temer e Rocha Loures atuaram em conjunto em crimes delatados pela JBS

O parecer enviado ao STF pelo procurador-geral Rodrigo Janot e a investigação do Ministério Público de São Paulo sobre desdobramentos da Lava Jato estão nas manchetes do dia. No Globo, Janot afirma ser cristalina a atuação do presidente Michel Temer e do ex-deputado Rodrigo Rocha Loures em crimes delatados pela JBS. Afirmação foi feita em documento entregue ao STF sobre Rocha Loures. No Estado de S.Paulo, reportagem destaca que investigações do MP paulista na área cível envolvem estatais, políticos e agentes públicos citados na delação da Odebrecht.

O Globo
Janot diz em parecer não ter dúvidas sobre culpa de Temer
No parecer que enviou ao Supremo para pedir a manutenção da prisão do deputado afastado Rocha Loures, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, afirma que não há dúvida de que Temer cometeu crime de corrupção. Janot classifica de “hialina” (cristalina) a atuação conjunta do presidente e de Loures nos crimes descritos na delação dos executivos da JBS, assim como a proximidade entre os dois. 

Nos TCEs, 15% dos conselheiros são investigados
Levantamento mostra que 37 conselheiros dos tribunais de contas dos estados, responsáveis por fiscalizar o gasto público, são investigados. O número corresponde a 15% do total.

O Estado de S.Paulo
MP paulista vai investigar Lava Jato em 39 inquéritos
O Ministério Público do Estado de São Paulo instaurou 29 inquéritos civis e desarquivou outros dez como desdobramentos da delação da Odebrecht no âmbito da Operação Lava Jato. As investigações envolvem estatais paulistas, agentes públicos e pelo menos 24 políticos citados por executivos da empreiteira, a maioria por suposto recebimento de propina ou caixa 2 em campanha eleitoral. Mais da metade dos procedimentos (21) se refere a pagamentos de vantagem indevida delatados pelos executivos a pretexto de eleições que vão de 1994 a 2012.  

Folha de S.Paulo
Em SP, via-crúcis do enterro tem assédio e constrangimento
A prefeitura de São Paulo, que detém o monopólio dos serviços funerários na cidade, prevê concessão à iniciativa privada para cortar despesas e melhorar a qualidade, segundo a gestão João Doria (PSDB). Hoje, a saga começa no IML (Instituto Médico Legal) ou no SVO (Serviço de Verificação de Óbitos), que emitem atestados de óbito. Nessa fase, a família pode ser assediada por agentes funerários particulares que atuam de forma irregular na frente dos dois locais. Por causa da falta de informação e ao momento delicado, os “negócios” propostos podem custar até R$ 5.200. 

Valor Econômico
Meta fiscal depende mais ainda de receitas extras
As seguidas frustrações na arrecadação federal – em maio a receita foi a pior em sete anos para o mês – tornam o cumprimento da meta fiscal, de um déficit primário de R$ 139 bilhões, cada vez mais dependente de receitas extraordinárias. Analistas ponderam que muitas das receitas extraordinárias oferecem risco.

Jornal do Commercio
8 milhões de pessoas ainda não sacaram FGTS inativo
Falta pouco mais de um mês para os trabalhadores que têm saldo em contas inativas do Fundo de Garantia de Tempo de Serviço sacarem seus recursos – 22,1 milhões de beneficiários já receberam. Caixa estima que ainda faltam 8 milhões.