Atropelador de skatistas diz que acelerou porque ficou assustado

Servidor público de Itapevi, José Ariovaldo Ferreira se entrega à polícia e afirma que não viu interdição na Rua Augusta e que foi hostilizado por skatista

O motorista que atropelou um grupo de skatistas na Rua Augusta, na região central de São Paulo, neste domingo, entregou-se à Polícia Civil na tarde desta segunda-feira – José Iriovaldo Ferreira, 55 anos, é servidor público da Secretaria da Saúde de Itapevi (Grande São Paulo) e disse que acelerou na via, que estava interditada, porque ficou assustado.

Ao delegado Roberto Pacheco, do 4º Distrito Policial (Consolação), ele afirmou que entrou na rua por volta das 9h30 sem ver interdição alguma –  segundo a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego), a interdição começaria exatamente neste horário. No local acontecia o evento Go Skate Day Brasil 2017, que  teve início na Avenida Paulista e seguiria até o Vale do Anhangabaú, em comemoração do dia do esporte.  

O condutor estava acompanhado da mãe, de 80 anos de idade, e um amigo e iria buscar uma amiga na Rua Frei Caneca, na mesma região – ele disse ter se assustado quando um skatista gritou e bateu com o skate no vidro traseiro do veículo, o que provocou ferimentos em sua mãe – por isso, decidiu acelerar e sair do local.

Carro usado em atropelamento na Augusta

Skate preso debaixo de veículo EcoSport usado por motorista que atropelou skatistas na Rua Augusta, no centro de São Paulo (Ricardo Bunduky/VEJA.com)

Imagens feitas com celular por moradores da região e divulgadas no perfil do Instagram Black Media Skate mostram o momento em que o motorista acelera o EcoSport preto e atropela várias pessoas. Uma das vítimas se segura no teto do carro enquanto o condutor acelera por alguns metros. Um grupo de skatistas tenta perseguir o veículo.

 

Ao menos três pessoas ficaram feridas. Segundo a polícia, uma das vítimas foi levada para o pronto-socorro da Santa Casa, com suspeita de fratura na perna. Um outro skatista foi levado para uma unidade de saúde da Lapa, e liberado após o atendimento médico. 

O condutor deverá responder por lesão corporal dolosa (quando há a intenção de praticar a lesão) e fuga do local do crime. Ele deixou a delegacia sem falar com os jornalistas.

Interdição

Em nota, a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) disse que a concentração no Masp (Museu de Arte de São Paulo) estava prevista para as 10h e a saída em direção à Rua Augusta, às 10h30, mas que houve “antecipação do início do trajeto dos skatistas, sem autorização prévia” e que, por isso, os agentes acompanharam a movimentação dos participantes e ordenaram o trânsito das ruas transversais, que foram interditadas por meio do operador ou com cavaletes.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Eis amostra de nossa civilidade. Tá difícil !!!!!!

    Curtir

  2. Claudinei Jorge Laurindo

    Se tivesse acontecido comigo faria a mesma, esses skatistas e motoqueiros são todos anarquistas. não respeitam nada nem ninguém.

    Curtir

  3. Guilherme Massao Cobayaxi

    Por sorte ngm morreu. Se algum skatista infeliz atingiu o carro dele, isso não justifica ele ter iniciado aquela sequência de atropelamentos contra pessoas q não tinham feito nada contra ele. Devia ter virado numa transversal e não seguido na msm rua atropelando quem estivesse pela frente.

    Curtir

  4. Por sorte os skatistas baderneiros não provocam uma tragédia. Como os políticos corruptos e criminosos eles se acham acima da lei.

    Curtir

  5. julio torres torres silva

    No segundo vídeo da pra ver claramente que ele. fugiu pra proteger a própria vida, os skatistas que iniciaram a agressão qualquer um no lugar dele faria o mesmo. Os caras começaram a andar na pista antes da interdição ê acharam que ele o motorista que tava errado.

    Curtir

  6. Pelas imagens dá para ver que os skatistas começaram a quebrar o carro dele enquanto ele ainda estava andando em baixa velocidade (muitos deles não perdem a oportunidade de quebrar algo). Foi atacado e teve que fugir.

    Curtir