Lava Jato: a delação do fim do mundo

As revelações de setenta executivos da Odebrecht prometem implodir o mundo político — e até o juiz Sergio Moro faz votos de que “o Brasil sobreviva”

VEJA desta semana mostra as dimensões superlativas e o potencial explosivo da delação premiada de 75 executivos da empreiteira Odebrecht, incluindo seu ex-presidente Marcelo Odebrecht. Distribuído em mais de 300 anexos – 300 novas histórias sobre a corrupção no Brasil –, o acordo a ser assinado com o Ministério Público envolve os ex-presidentes Dilma Rousseff e Luiz Inácio Lula da Silva, o atual, Michel Temer, tucanos de alta plumagem, como José Serra, Aécio Neves e Geraldo Alckmin, peemedebistas fortemente ligados a Temer, como o senador Romero Jucá e o ministro Geddel Vieira Lima, e os dois principais nomes do PMDB no Rio de Janeiro: o prefeito Eduardo Paes e o ex-governador Sérgio Cabral. As revelações na delação da empreiteira, que faturou 125 bilhões de reais em 2015 e reuniu 400 advogados para costurar o acordo, levam procuradores da força-tarefa da Lava Jato a constatar que “se os executivos comprovarem tudo o que dizem, a política será definida como a.O. e d.O. — antes e depois da Odebrecht”. O sempre comedido juiz federal Sergio Moro também dá dimensão da turbulência que se aproxima ao comentar: “Espero que o Brasil sobreviva”.

Para ler a reportagem, compre a edição desta semana de VEJA no iOS, Android ou nas bancas. E aproveite: todas as edições de VEJA Digital por 1 mês grátis no iba clube.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Dr. Moro, hora de dar total atenção a sua segurança pessoal, pois o Brasil está em suas mãos.

    Curtir

  2. Vamos limpar o país, ninguém vai escapar, pena que não temos prisão perpetua, para esses criminais,
    roubando o Brasil desde o tempo de D.Pedro.

    Curtir

  3. Ana Rogeria Schwambach

    Gostei

    Curtir

  4. Paulo Wagner Campanele

    Eu não li o conteúdo dessa revista ainda mas o que já sabemos nos deixa perplexos… A palavra propina vem acompanhada de cifras na ordem de milhões para bilhões…E o que esses ladrões nos propõe é arrocho…Essa crise que arrasou o Brasil…Que fere as famílias…Que tira educação…Que desemprega…Agora vão fazer o que historicamente fazem…Arrocho, reformas que só agridem o trabalhador como a da reforma social… Enquanto eles tem 2 ou 3 e alguns até 4 aposentadorias querem que o povo morra no batente sem qualidade de vida e pagando o maior carga tributária do mundo…Ou o Brasil Acorda ou esses políticos ladrões vão nos fritar vivos….

    Curtir

  5. Victor Henns, se tivesse certeza de que as FFAA não estariam à serviço das elites , eu até torceria junto. Mas não me iludo. Lembro bem do que vivemos no período da ditadura militar.

    Curtir

  6. Aos que acreditam no Crivela salvador da Pátria, só uma definição “ALIENACAO”. Isso é o que dar, ler a Bíblia de cabeça pra baixo e idolatrar homens.

    Curtir

  7. Maria do Socorro Lima da Silva

    Acho incrível alguém ainda defender a volta dos militares. É muito ser alienado; não ´da pra ver que sem a liberdade de expressão nada disso viria à tona? Quanta ignorância!

    Curtir

  8. Maria do Socorro Lima da Silva

    E mais: Essa de “sempre comedido Sérgio Moro” não dá pra engolir não. Se tirar o “sempre” quem sabe, porque quando era pra ferrar o Lula não foi nada comedido. Mas agora que tem PSDB no meio…

    Curtir