Julgamento da chapa Dilma-Temer no TSE nas manchetes do dia

Crise desencadeada pela delação da JBS e pela prisão de Rocha Loures provoca clima de incerteza

O julgamento da chapa Dilma-Temer no TSE está nas manchetes dos principais jornais nesta terça-feira. De acordo com O Estado de S.Paulo, a crise desencadeada pela delação de executivos da JBS e a prisão do ex-deputado Rodrigo Rocha Loures pulveriza a vantagem do Planalto na Corte. Para O Globo, ministros devem pedir vista e adiar o julgamento. Mesmo que o TSE não casse a chapa com Dilma, presidente deve ser denunciado no STF.

O Globo
A crise Temer
O TSE retoma nesta terça-feira julgamento histórico, do pedido de cassação da chapa Dilma-Temer, mas os problemas do presidente vão além do que será decidido pela Corte. Sob o impacto da delação da JBS e da prisão do ex-deputado Rocha Loures, ministros do TSE deverão pedir vista para adiar o desfecho do caso. Mas, na semana que vem, a Procuradoria-Geral da República deve apresentar denúncia contra Temer ao STF.

O Estado de S.Paulo
Sob clima de incerteza, TSE julga futuro de Temer
Pela primeira vez, a Corte Eleitoral julga a cassação de uma chapa presidencial. O cenário político é diverso do identificado há pouco menos de um mês, quando o governo confiava em uma vitória. A delação de acionistas e executivos do Grupo J&F revestiu de incertezas o julgamento no TSE e deixou o presidente acossado por uma investigação criminal, na qual é suspeito dos crimes de corrupção passiva, obstrução da Justiça e participação em organização criminosa. 

Assassinato é causa de 48% das mortes de jovens
Quase metade – ou 47,8% – dos jovens de 15 a 29 anos mortos no Brasil entre 2005 e 2015 foi assassinada. São 318 mil vítimas de homicídio nessa faixa etária no período, de acordo com o Atlas da Violência 2017. Os negros ainda são os mais afetados pela violência: a cada 100 assassinatos cometidos no Brasil, 71 são de negros. 

Folha de S.Paulo
PF envia a Temer 84 questões na véspera de julgamento no TSE
Os sete ministros da corte decidirão se houve abuso de poder político e econômico pela chapa formada por Dilma Rousseff (PT) e o presidente na eleição de 2014. A decisão do TSE é vista como uma etapa crucial do processo de instabilidade iniciado com a delação da JBS. Na segunda-feira, a Polícia Federal enviou a Temer 84 perguntas sobre a investigação. Ele tem até as 16h30 desta terça-feira para responder. 

Valor Econômico
TSE deve manter Temer, mas ameaças persistem
Além da possibilidade de um pedido que vista que poderia adiar indefinidamente o julgamento da chapa Dilma-Temer no TSE, começa a ganhar força entre fontes com trânsito nos tribunais superiores de Brasília a hipótese de absolvição.