Irã alerta EUA e Israel sobre consequências de um possível ataque

Teerã, 3 out (EFE).- O Irã alertou os Estados Unidos e Israel que um eventual ataque contra instalações nucleares no Irã teria graves consequências, e que as forças iranianas estão preparadas para causar grandes danos.

Em declarações publicadas nesta quinta-feira pela imprensa local, o chefe da Junta de Estado-Maior, general Hassan Firuzabadi, descartou um possível ataque americano ou israelense contra o Irã, e disse que os ‘EUA e o regime sionista sabem que se fizerem, sofrerão perdas enormes’.

Firuzabadi ressaltou que as Forças Armadas iranianas estão prontas para castigar quem fizer um movimento falso, em resposta a informações divulgadas na imprensa internacional sobre Israel e os EUA estudarem um possível ataque contra o Irã.

O alto comando militar também afirmou que um ataque dos países ocidentais contra o regime sírio de Bashar al Assad, o principal aliado árabe do Irã, como o realizado na Líbia para derrubar Muammar Kadafi, ‘colocaria fim à existência dos EUA e de Israel’.

‘Todos os muçulmanos do mundo se levantariam contra eles e não ficaria nada dos EUA nem da entidade sionista’, disse Firuzabadi sobre um ataque militar da Otan à Síria. Para ele, os países ocidentais só falam de planos sobre o uso da força para ‘debilitar a posição do Governo sírio, mas não seriam capazes de aplicá-los’.

Na mesma linha, o subchefe de Estado-Maior das Forças Armadas do Irã para a Logística e Investigação Industrial, general Mohammad Hejazi, disse à agência local ‘Fars’ que ‘as forças iranianas são mais poderosas que no passado e os estrangeiros são conscientes de que qualquer aventura ou ação ilegal receberia uma resposta arrasadora’.

‘A República Islâmica pode se defender bem de seus interesses nacionais, por isso que as ameaças da arrogância mundial (EUA) não são críveis, nem têm valor para nós’, acrescentou Jejazi sobre os supostos planos bélicos.

Ele também lembrou as manifestações de diversos comandantes militares iranianos feitas nos últimos meses, que assinalavam que as forças do Irã têm capacidade para alcançar todos os navios e bases militares dos EUA na zona do Golfo Pérsico e o território de Israel.

A agência local ‘Mehr’ defendeu nesta quinta-feira a tese de que as ameaças de ataque de americanos e israelenses contra o Irã, mais que o prelúdio de uma ação militar, podem ser uma forma de pressionar outros países e organizações para reforçar as sanções internacionais contra o Irã.

Já a agência ‘Fars’ afirma que as Forças Navais iranianas estão ‘muito motivadas, bem equipadas e financiadas’, além disso, elas têm ‘o controle efetivo do Estreito de Ormuz’, a boca do Golfo Pérsico e por onde passa 40% do petróleo que fornece energia ao mundo.

A emissora ‘PressTV’ publica nesta quinta-feira em seu site um artigo com o título: ‘Um ataque militar israelense ao Irã seria um suicídio’, no qual afirma que o Irã desenvolveu com sucesso 50 tipos de mísseis com diferente alcance e funções, entre eles alguns com um alcance de até 2 mil quilômetros, que chegariam no território israelense.

O Irã está submetido a sanções do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas, dos EUA e da União Europeia por seu programa nuclear. Parte da comunidade internacional suspeita que o programa do Irã tenha alvos militares, algo que Teerã nega taxativamente e assegura que está destinado exclusivamente a fins civis. EFE