Impasse na segurança: JMJ decidirá nesta sexta-feira quem comandará operação em Copacabana

Pelas reuniões desta quinta-feira, o mais provável é que o Exército coordene a operação no fim de semana. Na madrugada desta sexta, começa desmonte do Campus Fidei

A equipe da segurança da Jornada Mundial da Juventude passou o dia a portas fechadas, entrando e saindo de reuniões para definir o rumo da segurança do evento. Com a decisão da Igreja de realizar a missa final em Copacabana, e não mais em Guaratiba, onde o terreno encharcado não suportaria a multidão de fiéis, uma das questões centrais é quem vai assumir a tarefa de patrulhar e assegurar a tranquilidade no bairro. A divisão anterior era de que o Ministério da Justiça, através da Secretaria Extraordinária de Grandes Eventos, assumiria a segurança dos eventos em Copacabana, e o Ministério da Defesa, com o Exército, coordenaria a área de Guaratiba. A tendência é de que os militares estejam no comando de toda a operação no fim de semana.

Leia mais:

Leia mais: O Calvário dos peregrinos no Rio: erros na organização prejudicam a Jornada Mundial da Juventude

LEIA TAMBÉM:

Missa final da JMJ será em Copacabana, não mais em Guaratiba

Obra da Jornada Mundial da Juventude alaga casas em Guaratiba

MInistério Público aponta falhas na organização da Jornada Mundial da Juventude