Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Presídio de Franco da Rocha tem rebelião e fuga de presos

Segundo a Secretaria de Administração Penitenciária, 55 presos fugiram e 18 já foram recapturados pela Polícia Militar

Uma rebelião teve início no fim da tarde desta segunda-feira no Hospital de Custódia em Franco da Rocha, na região metropolitana de São Paulo. Havia no presídio 446 internos, submetidos a medidas de segurança ou com necessidade de avaliação psiquiátrica. Segundo a Secretaria de Administração Penitenciária (SAP), que administra as unidades prisionais do estado, 55 presos fugiram, dos quais 18 já foram recapturados pela Polícia Militar.

Leia também:
PCC cria clima de tensão na segurança do Rio de Janeiro

O motim começou no final da tarde, quando alguns internos atearam fogo em duas alas do complexo prisional. Segundo a administração penitenciária, o tumulto foi contido por oficiais do Grupo de Intervenções Rápidas (GIR), que passaram a revistar os internos. Os presos agora serão transferidos a outras unidades da região.

O Comando de Operações Especiais (COE) também foi deslocado para o hospital de custódia, assim como equipes do Corpo de Bombeiros, uma vez que havia início de incêndio nas estruturas do hospital.

A Secretaria da Administração Penitenciária determinou a instauração de sindicância para apurar a rebelião.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. ROTA neles sem do, bandido bom esta preso no cemiterio.

    Curtir

  2. Jorge Luís dos Santos

    Somente um Estado apodrecido pela corrupção “ajuda” ao crime mais se organizar. O exemplo do crime… vem de cima, de quem deveria dar o bom exemplo à sociedade. A tendência é piorar… Boa noite! Jorge

    Curtir

  3. Enquanto rebelião for um grande negócio para quem ‘administra’ a compra de novos equipamentos e reconstrução do imóvel ninguém tomará providências para acabar com tanta baderna. Se um cidadão causa prejuízo para o patrimônio público logo é cobrado e penalizado. Então que os presos e as suas famílias paguem pelo que destruírem.

    Curtir