Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Homem é preso após ejacular no braço de mulher em trem no Rio

Conforme a concessionária Supervia, foi a segunda prisão por abuso sexual no sistema de trens da capital fluminense em uma semana

Um homem foi preso em flagrante, no final da tarde desta terça-feira, após se masturbar e ejacular sobre o braço de uma passageira dentro de um trem na Zona Norte do Rio de Janeiro. A vítima gritou no momento em que percebeu o que havia acontecido e outros passageiros seguraram e agrediram o homem, que tentava desembarcar, segundo relatos de testemunhas à polícia.

Em seguida, um segurança da concessionária SuperVia, que administra o sistema de trens no Rio, foi acionado e deteve o suspeito na estação Engenho de Dentro, no ramal Japeri. Ele foi levado por policiais militares à Cidade da Polícia, no Jacarezinho, também na Zona Norte.

Imagens do momento em que o homem é contido pelos passageiros foram registradas por outros usuários do trem e divulgadas em redes sociais. Os nomes do preso e da vítima não foram divulgados.

Denúncias

Em nota, a SuperVia confirmou as informações e revelou que o caso foi o segundo de assédio sexual com detenção registrado em uma semana no sistema de trens da capital fluminense. Na quarta-feira da semana passada, outro homem foi detido pelo mesmo motivo em um trem que fazia o trajeto entre Santa Cruz e a Central do Brasil.

A concessionária registrou dez casos de assédio sexual denunciados pelas vítimas em 2017, sendo que seis homens chegaram a ser presos em trens ou estações. De 2006 a 2016, a média havia sido de 4,8 casos semelhantes por ano – 53 registros ao longo de onze anos. Quando os agressores não são reincidentes, costumam ser liberados pela polícia para responder aos processos em liberdade.

No comunicado, a SuperVia também lamenta os casos de desrespeito e lembra que, nos horários de pico (6h às 9h e 17h às 20h), um carro por trem é destinado exclusivamente às mulheres.

(com Estadão Conteúdo)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Onde estão as feministas lesadas?

    Curtir

  2. joão botelho

    É preciso penas mais duras para esse tipo de crime. Não ´eh pouco isso. Em outros tempos um cara desse não saia vivo d o trem. E Supervia pagar tes te de H I V para a vítima. E tratamento psicológico e da Aissds se ela contra ir.

    Curtir