Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Base aliada de Temer se reúne para discutir desembarque

PSDB, DEM e PPS vão tentar tirar uma posição conjunta, que deve incluir a saída do governo e a manutenção da defesa das reformas e da política econômica

O PSDB, o DEM e o PPS se reunirão neste domingo, em Brasília, para discutir a saída das siglas do governo. Hoje, a tese majoritária é a do desembarque. As lideranças querem tirar uma posição conjunta e que deixe clara a prioridade a ser adotada a partir de uma eventual renúncia de Michel Temer (PMDB): a de “manter o projeto” – o que, na prática, significa a aprovação das reformas e a preservação da política econômica.

Para um líder tucano, o discurso do presidente neste sábado não alterou em nada a situação, que o partido considera “crítica”. O PSDB não pretende abraçar a bandeira da eleição direta no caso da queda do peemedebista. “A saída será pela Constituição”, afirma o dirigente. A Constituição prevê que o sucessor de Temer seja definido pelo Congresso, após convocação do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que assumiria o cargo interinamente e teria 30 dias para convocar a eleição.

Os três partidos – que, juntos, reúnem 85 dos 513 deputados da Câmara – se tornaram parte da base governista com a ascensão de Temer ao poder. Nas eleições de 2014, eram as três principais legendas da coligação que levou Aécio Neves (PSDB) ao segundo turno, quando foi derrotado por Dilma Rousseff (PT).

Se a debandada se confirmar, será mais um baque para Temer desde que seu nome foi lançado ao epicentro do escândalo tornado público com as delações do empresário Joesley Batista e outros executivos da J&F, holding que controla o grupo JBS.

Neste sábado, Temer perdeu o apoio do PSB, a sexta maior bancada da Câmara, com 35 deputados. Reunida em Brasília, a Executiva nacional do partido oficializou o desembarque pouco antes de o peemedebista fazer pronunciamento na TV para se defender das suspeitas de obstrução da Justiça, corrupção e organização criminosa, pelas quais é formalmente investigado em inquérito no Supremo Tribunal Federal (STF).

O PSB vai pressionar o ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, que é do partido, a entregar o cargo ou ao menos se licenciar. Mas não houve deliberação a respeito. Ele teve apoio de dirigentes de Pernambuco e São Paulo para assumir a pasta, embora não tenha sido indicado pela comando nacional do partido.

“Entendemos que o presidente deve renunciar porque já não tem condições políticas, morais, éticas e administrativas para continuar. Que ele facilite a vida dos brasileiros para que se vire essa página”, disse Carlos Siqueira, presidente nacional da legenda. Ele afirmou que o ministro permanece “na condição de convidado por Temer”.

Na quinta-feira, logo após a eclosão do escândalo, o presidente nacional do PPS, Roberto Freire, decidiu deixar o governo – ele entregou a carta de demissão a Temer no mesmo dia. Outro ministro do PPS, no entanto, Raul Jungmann (Defesa) continua no cargo, já que o partido considera que, pela especificidade da pasta, a transição tem de ser mais planejada.

Dos grandes partidos da Casa, Temer ainda tem o apoio incondicional do PMDB na Câmara. “O presidente foi muito firme em sua fala. Deixou claro sob todos os aspectos que não cometeu nenhum ilícito. A repercussão na bancada do PMDB foi muito forte de união e apoio ao presidente na condução do nosso país e no avanço da pauta de recuperação de nossa economia”, disse o líder na Câmara, Baleia Rossi (SP).

Outros partidos médios na Câmara, como PP (41 deputados), PR (39) e PSD (37), que também apoiam Temer, ainda não se manifestaram sobre a situação de Temer após as acusações.

Oposição

Deputados da oposição já apresentaram oito pedidos de impeachment de Temer na Câmara dos Deputados. Eles também defendem a realização de eleição direta para a escolha do sucessor, mas a medida só seria possível com a aprovação de uma emenda à Constituição, que precisa de 2/3 dos votos dos parlamentares para ser aprovada.

A saída de Temer e a convocação de eleição geral também serão os principais temas de manifestações de rua previstas para este domingo em várias capitais do país. Os atos estão sendo organizados por partidos, grupos e movimentos de esquerda, como a Frente Brasil Popular e a Frente Povo sem Medo.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que pretende disputar a eleição em 2018 para tentar o seu terceiro mandato como presidente da República, pediu, em evento do partido em São Bernardo do Campo, que os militantes e à população fossem às ruas neste domingo.

 

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Ezequiel Lima Feitosa Ezequiel

    ENQUETE: QUEM MENTE MAIS LULA ,DILMA,TEMER OU O DIABO.

    Curtir

  2. ROGÉRIO BARBOSA

    Temer recebeu um empresário que emprega mais de 200 mil pessoas, quase metade do setor bancário e está sendo questionado por isso. Dizem que recebeu um investigado, porém não está condenado em instância superior. Se não pudesse conversar com investigados, estaria afrontando a legalidade.

    Curtir

  3. Atsushi Shiino

    Muita irresponsabilidade se houver abandono nesse momento. Independente do início da investigação do Temer, os ministros têm a obrigação de levar as reformas adiante sob o risco de levar o país ao colapso. Abandono é puro gesto de interesse pessoal e individual. Em nada ajuda o país.

    Curtir

  4. E o Lula tocando a boiada. Ainda bem que não dou mais ouvidos a esse ladrão mentirosto.

    Curtir

  5. Gerson Ticianel

    ESSES PARTIDOS CORRUPTOS CONTINUAM INSISTINDO EM ACABAR COM A APOSENTADORIA E DIREITOS TRABALHISTAS. Suicídio político. É a natureza do escorpião. Na era FHC tentaram acabar com a estabilidade do servidor, sorte do Brasil que isso não aconteceu pois aí sim que a corrupção teria conseguido destruir o Brasil. Essa raça não aprende. AS ELEIÇÕES EM 2018 VAI DAR A RESPOSTA.

    Curtir

  6. Paulo Bandarra

    Demoraram demais.

    Curtir

  7. Jorge Iório

    So a falta de apoio fara com que Temer renuncie. Ele nao tera como tocar o governo adiante!

    Curtir

  8. Jorge Iório

    A verdade e que desde que o PT sentiu o gosto do poder, o pais nao fala noutra coisa a nao ser corrupcao da mais alta gravidade. Corrompeu a quase todas as instituicoes e quase toda a classe politica, transformando tudo num lixo so. Alias, o que Lula e Dilma fizeram pelo pais alem de costurar acordos, comprar parlamentares e cobrar propinas para se manterem no poder? Desenvolver o pais e dar ao povo um minimo de dignidade nem foi cogitado porque a essa gente so interessa se manter no poder.

    Curtir

  9. Jamais esperem que em 2018 o Brasil dará resposta nas urnas. Isto é ficção. 90% de qualquer pessoa que tenha oportunidade de entrar no mundo político fará exatamente o que os políticos atuais fazem. Não se iludam, pois essa porcentagem de brasileiros possuem a soberba e são desprovidos de caráter.Quando chegar a eleição e conseguirmos votar nos 10% que faltam nunca teremos políticos, se tivermos a possibilidade de serem ruins é alta, pois grande parte dessa pequena porcentagem não se tornariam candidato por terem por vergonha na cara. O Brasil precisa de clareza aos olhos do povo, por isso, se quisermos um pouco de seriedade neste País apenas optem pelo Parlamentarismo.

    Curtir

  10. Correção: e a possibilidade de serem ruins é alta… Não se tornariam candidatos por terem vergonha de participarem do nosso Sistema Presidencialista.
    .

    Curtir