Existe diferença entre influir e influenciar?

“Olá, Sérgio, parabéns pela coluna! Adoro saber ‘Sobre Palavras’. Existe diferença entre influir e influenciar? Um abraço.” (Sara Schultz)

Sara pergunta se há diferença entre os sentidos de duas palavras sinônimas. Ora, se elas são sinônimas, não há diferença alguma, certo? Errado. Embora influir e influenciar sejam verbos vizinhos – não apenas na semântica, mas também na etimologia – sua carga de significados não é idêntica e seu perfil gramatical também não.

É um erro comum imaginar que a sinonímia pressuponha identidade absoluta. O que ela indica, na verdade, é uma semelhança de sentido entre dois vocábulos, que desse modo podem ser considerados intercambiáveis em determinado contexto. No entanto, na maioria dos casos, palavras que são sinônimas em algumas de suas acepções não o são em todas.

É o que ocorre com influir e influenciar. Influir estreou em português no século XV e é, digamos, o vocábulo mais básico: veio do latim clássico influere (de in + fluere, ou seja, “fluir para dentro, penetrar, concorrer para”). Já influenciar, do século XIX, formou-se em nosso próprio idioma a partir do substantivo influência, este vindo do latim medieval influentia – um derivado daquele mesmo influere que tinha o sentido mais restrito de “ação atribuída aos astros sobre o destino humano”.

Essas diferenças históricas explicam que influir seja um verbo de muitas acepções, enquanto influenciar tem alcance semântico menor. Na língua do dia a dia, os dois são sinônimos na maioria dos casos. Ambos querem dizer “exercer influência” – nas palavras do Houaiss, “uma ação psicológica, uma ascendência sobre alguém” ou “uma modificação física ou intelectual”.

É preciso, no entanto, tomar cuidado com uma diferença importante: na norma culta, influenciar é transitivo direto (“fulano influenciou o caráter do amigo”) e influir é transitivo indireto (“fulano influiu no caráter do amigo”).

Influir tem outras acepções que não são acompanhadas por influenciar, a maioria delas de uso raro ou exclusivamente literário hoje em dia: é possível influir (encher) uma banheira de água, influir (incutir, transmitir) ânimo em alguém com palavras inspiradoras, influir-se no (dedicar-se ao) trabalho e até influir-se (empolgar-se) com o desempenho de um time de futebol.

Se não exibe a mesma variedade semântica, influenciar guarda, porém, uma pequena área reservada em que não se permite trocar por influir: quando é pronominal. Um enunciado como “ela se influencia com facilidade” não pode ser substituído por “ela se influi com facilidade” – que é gramaticalmente correto, mas teria sentido inteiramente diferente (“ela se entusiasma com facilidade”).

*

Envie sua dúvida sobre palavra, expressão, dito popular, gramática etc. Toda quinta-feira o colunista responde ao leitor na seção Consultório. E-mail: sobrepalavras@todoprosa.com.br
Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. Comentado por:

    Sara Schultz

    Obrigada Sérgio. Agora sim ficou mais claro. Parabéns novamente! Um Abraco, Sara Schultz

    Curtir

  2. Comentado por:

    J.Paulo

    Havia um escritor (acho que brasileiro), que afirmava que “não existem sinônimos”.

    Curtir

  3. Comentado por:

    Daniele

    Parabéns pelo site, voçê conseguiu fazer com que eu entendesse perfeitamente. obrigada!

    Curtir

  4. Comentado por:

    Gabriel Andrade

    Excelente explicação professor! Esclareceu bastante. Parabéns!!

    Curtir

  5. Comentado por:

    Plácido Farias

    Caro Sérgio, bom dia!
    Com relação à expressão “de nada”, que é muito usual, o correto não seria apenas “por nada”? Observando que quem agradece, agradece POR algo?
    Que frases poderíamos usar como exemplo com a construção “DE nada”.
    Desde já, muitíssimo obrigado.
    Com apreço
    Plácido Farias

    Curtir