Nos impostos, Temer ao menos é transparente

Os bons economistas do governo sabem que não cumprir a meta fiscal traria mais incerteza econômica do que aumentar impostos

Para que um governo funcione, a sociedade precisa bancá-lo. Não gosta disso e quer Estado zero? Aguente a anarquia e violência. A solução é pagar impostos, mesmo que apenas para custear serviços básicos – definidos, é claro, por um contrato (informal) entre cidadãos e políticos. Alguns países, como o Brasil, consideram o acesso de qualquer cidadão ao sistema de saúde como um direito a ser custeado pelo dinheiro de impostos. Em outros países, como os Estados Unidos, a discussão sobre o direito a serviços de saúde divide os dois principais partidos políticos. O debate (ainda incipiente) aqui se dá sobre a qualidade das políticas públicas sociais.

O aumento dos impostos sobre combustíveis anunciado ontem, e estranhamente ausente do site do Ministério da Fazenda, pretende gerar arrecadação extra de R$ 10,4 bilhões. O aumento mais importante é o da alíquota sobre o litro de gasolina, que agora chegará a 79 centavos por litro. O governo também anunciou um congelamento de R$ 5,9 bilhões até que haja dinheiro suficiente em caixa para cumprir a meta fiscal e custear os serviços da burocracia federal. Em outras palavras, o governo de Michel Temer (PMDB) não vai fingir que está tudo bem mesmo sem ter dinheiro, como fazia o governo de Dilma Rousseff (PT).

No entanto, essa medida é obviamente indesejável em um país que tem carga tributária altíssima. A Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) criou um pato gigante para ilustrar seu bordão “não vamos pagar o pato” com aumento de impostos.

A equipe de Henrique Meirelles é séria, responsável e muito bem preparada academicamente. Sabem que aumentar a tributação é horrível, mas pior ainda seria não cumprir a meta fiscal. Isso traria ainda mais incerteza econômica para o país e diminuiria a geração de empregos. (Grande parte da incerteza sobre o estado da economia é causada, claro, pelo próprio governo em seus outros ministérios.) Os economistas estão apresentando o dilema que Dilma escondeu por tanto tempo: se você quer governo, tem que pagar por ele. E se você quer que o governo gaste com você e não com políticas públicas ineficientes (Ciência sem Fronteiras) ou empréstimos a juros baixos, danosos para o contribuinte, para a JBS e Odebrecht, você tem que saber como os gastos estão sendo realizados e cobrar os governantes para mudá-los.

Ao menos nisso Michel Temer é mais transparente do que Dilma Rousseff. Em todo o resto são muito, muito parecidos.

(Entre em contato pelo meu site pessoal, Facebook e Twitter)

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. Alex Souza Santos

    Balela. Já vivemos na anarquia, pagamos quase 40% de tributação e não podemos nem sair de casa. Será que haveria anarquia se o cidadão de bem tivesse o direito de portar arma? Não! O Estado é gigante, não grande, gigante, coisa que o autor esquerdista não citou, por isso há: gastos inúteis, excesso de programas sociais que só beneficiam políticos. Toda vez que se abre uma secretaria ou ministério, centetas de vagabundos são empregados com salários exorbitantes. Deixei de assinar a Veja por causa destes colunistas fraquíssimos e esquerdistas: mentem, manipulam, e acima de tudo, são extremamente preguiçosos em aprofundar o tema.

    Curtir

  2. O colunista só omite que o povo banca há muito tempo o governo composto por políticos ladrões e corruptos. O colunista só omite que o brasileiro já paga uma abusiva carga tributária. O colunista só omite que o brasileiro recebe um miserável salário. O colunista só omite que nos Estados Unidos a classe média tem condições de bancar a sua saúde. O colunista só omite que o Estado nada mais é do que a sociedade organizada e deve sim servir a essa mesma sociedade e nunca se servir desta. Não temos a obrigação de sustentar esse bando de politicos que saqueam os cofres públicos. Quem o colunista pague mais impostos e sorria por isso.

    Curtir