Vocês têm de ver isto e espalhar país afora para o debate: são 30 segundos que resumem o Brasil. A sociedade tem de fazer isso porque as oposições têm medo de falar com quem paga a conta!

Quero que vocês vejam este vídeo, bem curtinho. Esta senhora que fala aí é uma assistida do Bolsa Família lá de Fortaleza. São só 30 segundos. Mas eles resumem o Brasil que aí está e também apontam para um futuro — não muito promissor. Assistam. Volto em seguida. Voltei Escrevi ontem à noite um post sobre a […]

Quero que vocês vejam este vídeo, bem curtinho. Esta senhora que fala aí é uma assistida do Bolsa Família lá de Fortaleza. São só 30 segundos. Mas eles resumem o Brasil que aí está e também apontam para um futuro — não muito promissor. Assistam. Volto em seguida.

Voltei
Escrevi ontem à noite um post sobre a irresponsabilidade dupla da Caixa Econômica Federal — que alterou o sistema de pagamento do Bolsa Família sem avisar ninguém e depois negou que o tivesse feito, sendo desmentida por reportagem da Folha — e das autoridades do governo federal, que saíram a acusar ou as oposições, caso de Maria do Rosário (a ministra dos Direitos Humanos, de inumana compreensão), ou um complô conspiracionista, sugerindo que, no fundo, seriam mesmo as oposições: José Eduardo Cardozo, ministro da Justiça e aspirante a disputar o governo de São Paulo pelo PT, e Dilma Rousseff. A governanta classificou a boataria sobre o Bolsa Família de “desumana e criminosa”. Tudo não passou de uma trapalhada da Caixa Econômica Federal, pela qual se desculpou Jorge Hereda, presidente da instituição. Só desculpas?

Pois é… O que antes era “desumano e criminoso” não merecerá da soberana, pelo visto, nem mesmo um puxão de orelha. Cardozo continua em busca de um bode expiatório. Quem sabe apareça alguém para confessar, não é?, e se descubra, então, que ele é vizinho da tia da cabeleireira que vem a ser prima da cunhada da faxineira do secretário-geral do PSDB de Arapiraca… É ridículo! Mais do que o boato do fim do Bolsa Família, o que se espalhou como rastilho de pólvora foi a informação de que havia uma graninha a mais na CEF, um bônus. As pessoas que lá iam constatavam: havia mesmo! Aí, meus caros, foi o que se viu… Como pergunta Silvio Santos — numa indagação que, suponho, toca universalmente o coração e o intelecto: “Quem quer dinheirooo?”. No post em questão, destaquei também o ar robusto, primaveril mesmo em alguns casos, dos assistidos do Bolsa Família. O valor médio do benefício pago a cada família está aí na casa dos R$ 150. Muita gente recebe menos, mas há quem receba mais: nunca menos de R$ 32, nunca mais de R$ 306 — é o que informa o governo. Muito bem. Agora volto à assistida do vídeo que está lá no alto. A entrevista foi concedida ao Jornal Nacional de sábado. Reproduzo a sua fala, uma das maiores contribuições jamais prestadas à compreensão sociológica destes dias.

“Eu fui na lotérica, como vou de costume, fazer um depósito na poupança do meu esposo. Fui depositar o dinheiro. Como eu já estava lá, eu tinha de ir fazer isso, eu aproveitei, levei o cartão e tirei o meu Bolsa Família. Quando eu tirei, saiu (sic) os dois meses”.

Entendi. Ela foi depositar, como faz habitualmente, um dinheiro na poupança do marido, certo? Já que estava lá, levou o cartão do Bolsa Família e pimba! Saíram os dois meses de uma vez só. Ai, ai, ai… Longe de mim querer cassar o benefício da distintíssima senhora Diane dos Santos — e espero que ninguém pegue no pé dela. Mas me parece que alguém que tem dinheiro para fazer poupança não precisa do… Bolsa Família, certo? Reitero: acusarei aqui perseguição caso queiram lhe cortar o benefício — porque, é fato, como ela, há uma legião, há milhões hoje em dia. O problema não é ela, mas o programa. Eu até confesso uma certa simpatia por Diane, uma brasileira brejeira, com o cabelo arrumado, brincos, pele boa… Ela desmoraliza os delírios dos bem-pensantes sobre o atavismo da fome no Brasil, que faz o coitadismo que embala as ideias de reparação social da esquerda universitária. Ela não! É, reitero, distinta! Ela nem fala “marido” — deve achar meio grosseiro. Prefere, como Daniela Mercury, mas mudando o gênero, a palavra “esposo”.

“Então Reinaldo Azevedo sustenta que não existem mais a fome, a miséria…” Aquela fome africana, que Lula dizia existir em 2002, que ele curaria com dois pratos de comida, não existe mais no Brasil há décadas, embora haja, é evidente, nichos de famélicos em algumas áreas do sertão e até nas periferias extremamente pobres das grandes cidades. Isso persiste. Da mesma sorte, há, sim, pessoas com renda abaixo de R$ 70 em áreas restritas do Brasil profundo. Mas os pobres — eu sei do que falo — somos duros de morrer, fiquem certos, sobretudo de fome. Sempre se arranja um bico pra fazer, um serviço extra, alguma coisa que garanta o sustento dos filhos. No mais das vezes, essa renda per capita entre R$ 70 e R$ 140 é uma fantasia estatística. Ou será que a distinta dona Diane está “depositando na poupança do marido” o dinheiro do Bolsa Família? Ela nem havia sacado ainda o de abril — e já era dia 17! Certamente, o depósito que fora fazer era uma sobra, não?, depois de satisfeitas as necessidades básicas. Sobra de que renda? Não era do Bolsa Família!

Sim, é possível que haja alguns milhões de brasileiros que precisam efetivamente de um Bolsa Família, mas serão mesmo 40 milhões, 45 milhões talvez, divididos em mais de 13 milhões de família? Não é só dona Diane dos Santos que prova que não. Vocês certamente se lembram desta senhora, que, diz, “só ganha R$ 134 há oito anos”, o que, segundo ela, não dá nem comprar uma calça para a filha, “uma jovem de 16 anos”, porque, afinal, uma calça para essa faixa etária custaria R$ 300…

De fato, ela não tem a menor dúvida de que comprar uma calça para a sua filha é, sim, um problema do governo brasileiro, não dela própria, do marido ou de sua família. “Ah, o Bolsa Família vai custar em 2013 apenas R$ 24,9 bilhões. Perto do que o governo gasta com o Bolsa BNDES ou com o Bolsa Juros… Reinaldo não quer dar grana para os pobres.” Nem para os ricos!!! Eu não acho que governos tenham de dar dinheiro para ninguém. No caso dos pobres, tem é de criar programas sociais que os estimulem a buscar uma saída. E a injeção de recursos na conta do vivente só deve ser feita mesmo em último caso. E já está mais do que claro que o Bolsa Família, para muita gente, virou uma doação… O Nobel da Paz Muhammad Yunus está no Brasil (ver post na home). Ele criou o programa de microcrédito em Bangladesh que deu origem a um banco. Ele critica no Bolsa Família justamente seu caráter assistencialista.

O “andar de cima”, como quer Elio Gaspari, com essa categoria sociológica haurida da construção civil, consome bem mais do que os R$ 25 bilhões do Bolsa Família em subsídios, trapaças, aditamento de contratos etc.? Certamente! Não deixa de ser uma forma de “bolsismo”, não é?, e das mais perversas. Os dois extremos — os ricos cuidadosamente selecionados para as prebendas e os pobres que recebem todo mês um dinheirinho — se tornaram pilares de um modo de fazer política. Uns são gratos ao governo de turno com doações eleitorais e outras que não aparecem nos registros do TSE; os outros expressam a sua gratidão com votos.

O Bolsa Família se tornou, assim, uma formidável máquina eleitoreira, e os que mais se entusiasmam com o governo nem são, suponho, os que realmente precisam, mas os que, não precisando, temem uma mudança de guarda e a perda de uma benefício de que, no fundo, sabem ser descabido. Assim, é melhor deixar tudo como está. 

Oposição
Compreendo que a oposição venha a público disputar a paternidade dos programas sociais porque, com efeito, o Bolsa Família nada mais é do que a reunião dos programas que existiam no governo FHC numa única rubrica. Já demonstrei faz alguns anos que isso é verdade. Faço-o de novo transcrevendo, em vermelho, trecho da Medida Provisória nº 132, que “criou” o Bolsa Família, no dia 20 de outubro de 2003. Essa MP foi depois convertida na Lei 10.836, de 9 de janeiro de 2004. O conteúdo era o mesmo. Prestem atenção:

(…) programa de que trata o caput tem por finalidade a unificação dos procedimentos de gestão e execução das ações de transferência de renda do Governo Federal, especialmente as do Programa Nacional de Renda Mínima vinculado à Educação – “Bolsa Escola”, instituído pela Lei n.° 10.219, de 11 de abril de 2001, do Programa Nacional de Acesso à Alimentação – PNAA, criado pela Lei n.° 10.689, de 13 de junho de 2003, do Programa Nacional de Renda Mínima vinculado à Saúde – “Bolsa Alimentação”, instituído pela medida provisória n.° 2.206-1, de 6 de setembro de 2001, do Programa Auxílio-Gás, instituído pelo Decreto n.° 4.102, de 24 de janeiro de 2002, e do Cadastramento Único do Governo Federal, instituído pelo Decreto n.° 3.877, de 24 de julho de 2001.

Retomo
Assim, é claro que os programas foram originalmente criados pelo governo FHC. A questão é saber se dá para disputar essa paternidade hoje. Parece-me que não! E a máquina de propaganda montada com o Bolsa Família tem, sim, um efeito eleitoral evidente, como ficou claro em 2006 e 2010. Menos do que fazer tal disputa, as oposições teriam de ter a coragem de perguntar quem paga a conta. É claro que os petistas partiriam pra cima, acusando-a de querer acabar com o programa. Ocorre que o eleitorado cativo, meus caros, cativo já está. Não será desse mato que vão sair tucanos. Não saem mesmo! Os que se apõem ao petismo, reitero, têm de aprender a falar com quem paga a conta — muito especialmente os trabalhadores.

Que país existe na outra ponta dessa forma de assistencialismo? Não tem outra ponta nenhuma! A outra ponta é esta que está aí. Está bom assim? É o que o modelo permite. As virtudes  já se esgotaram.  Com Bolsa BNDES e Bolsa Família, a gente vai ficando assim. Teremos um dia uma oposição capaz de politizar o que tem de ser politizado, fugindo do demônio do consenso, que é, numa democracia, o que é a censura na ditadura? Não sei. Se e enquanto não o fizer, pode ir brincar de outra coisa. Chegou a hora de conversar com quem, não tendo o Bolsa Família, não tem também uma sobra para depositar na poupança do “esposo”.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. Comentado por:

    Claudio Petri

    Esses recursos deveriam ir para a construção de escolas e pagamento de salários de professores. Deveriam ir para construção de estradas, ferrovias e portos. Poderiam ajudar a acabar com endemias. Fazem muita falta para a saúde. Mas este e outros Governos estão recheados de sanguessugas da Pátria. Valor tem o partido ao qual o ministro e o presidente de estatal pertence. Nada valem conhecimento e vontade de trabalhar. E especialmente pouco vale a honra e o amor pelo Brasil.

    Curtir

  2. Comentado por:

    Coimbra

    Sem muita delonga,nem demagogia.Apenas para lembrar.Sempre falei em meus comentários,estamos sendo manipulados.A real situação, não é esta que apregoa o governo.Isto tudo é fabricado.Não entendo,como as pessoas demoram tanto a reagir.
    Porem nunca é tarde pra recomeçar.Vamos em frente

    Curtir

  3. Comentado por:

    francisco

    isto so tem um nome: falta de civismo…..esta politica de dar sem cobrar so leva a isto….nao existe senso de sociedade. Merecem o governo que tem!

    Curtir

  4. Comentado por:

    Marisams

    definitivamente, nasci em país errado.

    Curtir

  5. Comentado por:

    paulo guedes barbosa

    joaquimj barbosa quando rasgou a carta magna eu já tinha feito isto quando não foi o termino do julgamento em janeiro se não me engano e os assaltantes mensaleiros continuaram no congresso votando ai a dilma colocou mais dois comunistas no stf so o povo não sabia que celso de melo fazia parte dos vermelhos ele estava inrrustido ai veio aq derrota da democracia eu no facebook já chamei por santa cruz o general caçado pelos comunistas que estão no poder pois para mim e eu acho que ele ainda tem muito a dar por esta nação as fronteiras que ele não queria deixar poir conta dos índios estão abertas e entram armas de guerra contrabandos de tudo que espécie. quanto o trabalho escravo dos medicos cubanos feriu a nossa constituição.

    Curtir

  6. Comentado por:

    Raimundo Pereira Silva

    Caro Reinaldo Azevedo.
    Você foi excelente em seu documento. Isto sim, pode ser considerado um “DOCUMENTO”. Todo brasileiro, principalmente essa moçada que está de parabéns por se interessar e opinar sobre as mazelas que os governantes do Brasil proporcionam ao bel prazer aos brasileiros, deve ler e refletir essa história que você tão bem postou. Parabéns!……..

    Curtir

  7. Comentado por:

    Raimundo Pereira Silva

    Reinaldo, eu também já li e reli toda essa farsa do tal bolsa família que é distribuída em dez (10) faixas de valores em reais, partindo da casa dos trinta e pouco reais até a casa dos trezentos e poucos reais, com uma base (irreal) na casa dos setenta e poucos reais. Olha, só isso basta para se duvidar da seriedade desse milagre deste governo. Mas porque eu quis saber um pouco mais a respeito deste assunto? Certa dia, passando logo cedo por uma certa rua de um bairro simples, de um certo município, observei uma jovem chorando à porta da casa onde morava. Parei um pouco e perguntei se eu podia ajudá-la. Ela se lastimando informava que seu filhinho de seis (6) anos estava com meningite e ela desconfiava que o outro filhinho de oito (8) anos também já estava com o sintoma da doença. O filho de seis anos já havia sido diagnosticado anteriormente, não tratou bem e a doença estava de volta. Me ofereci para levá-los ao hospital e no trajeto indaguei se ela recebia os benefícios do BF. Ela respondeu afirmativamente, acrescentado que nos últimos meses houve duas reduções sistemáticas do valor do benefício, chegando à casa dos vinte e pouco para cada filho. Disse também que pediu a um funcionário da Caixa Econômica Federal (CEF) para pedir explicações ao gerente, mas o funcionário a aconselhou não se arriscar, pois ela corria grande risco até de perder o que estava recebendo. Me estendi um pouco, mas precisava deixar bem claro como é esta coisa perversa. No meu entendimento, qualquer oposição organizado e sem medo, não estou interessado em sigla de partidos políticos, emborcava a cuia e derramava este veneno letal. O povo está cego, mumificado, não consegue ser atendido de forma humana quando vai a qualquer hospital do país. As famílias estão sendo assassinadas e dizimadas de forma volumétrica diariamente aos montes em todas as cidades brasileiras. Se alguém de sã consciência apresentar uma palavra proferida pelos senhores e senhores donos do BRASIL, que apresente logo e urgente. Mas isto é perder tempo….. Vocês querem mais do que o Bolsa Família? do que o pré-sal? do que o combate à espionagem dos Estados Unidos? Com relação ao pré-sal e ao combate à espionagem…, é melhor você comprar uma mula engordá-la e partir para a LUA, com certeza você chegará primeiro lá. Quanto à espionagem ao governo brasileiro, seria mil vezes vantajoso que nós brasileiros cuidássemos disso… será?…
    O que não dá para entender é o porque diante de tantas desmandos, tantas coisas ruins quase inexistentes em outros países em piores condições que o nosso, a grande maioria da população brasileira continue inerte, de olhos vendados, vivendo quase que um estado de veneração descontrolada, se furtando a qualquer tipo de ação e muitíssimas vezes ameaçando a pequena parcela da população que deseja qualquer tipo de mudança ao modelo que está aí.

    Curtir

  8. Comentado por:

    HELOISA CARVALHO

    Parabéns !que trabalho excelente o seu,e devo dizer que tenho muito orgulho do meu país , mas diante de fatos dessa natureza uma tristeza implacável me invade.

    Curtir

  9. Comentado por:

    SILVIO MOREIRA

    Muito boa sua matéria, parabéns ! Eu como brasileiro me orgulho deste povo e desta nação, mas me envergonho da maioria dos políticos pelo desrespeito para com os menos favorecidos, pois roubam tanto que não sobra dinheiro para a educação que precisamos e nem para a saúde e segurança que dispensa até comentários, pois os menos favorecidos são os que mais necessitam e são os que menos tem acesso a tratamentos específicos quando precisam porque os recursos são desviados para o bolso deste bando de corruptos que infelizmente se eternizaram no poder!!! Fora Dilma, que venha Marina para colocar ordem neste pais maravilhoso que poderia estar ocupando os primeiros lugares entre todos os países em desenvolvimento e avanço em todos os seguimentos de uma nação que merece políticos honestos e que querem realmente ver um povo feliz! Chega de PT.Silvio-04/09/2.014

    Curtir

  10. Comentado por:

    Robson Rezende

    Em breve a policia federal apresentará o culpado, um menor de 18 anos e amigo da filha da tia da cabeleireira que vem a ser prima da cunhada da faxineira do secretário-geral do PSDB de Arapiraca e esta cunhada faz parte do PSDB JOVEM.

    Curtir