Processar? Sistema COC deveria é contratar mãe de aluna para rever suas apostilas

É preciso ler o post abaixo para estender este:O sistema COC de ensino, até onde posso alcançar, existe porque existe o capitalismo — a menos que se candidatasse a Ministério da Doutrina no caso de um regime comunista no Brasil. Fosse eu o dono da EMPRESA, em vez de processar Mirian Macedo — e os […]

É preciso ler o post abaixo para estender este:

O sistema COC de ensino, até onde posso alcançar, existe porque existe o capitalismo — a menos que se candidatasse a Ministério da Doutrina no caso de um regime comunista no Brasil. Fosse eu o dono da EMPRESA, em vez de processar Mirian Macedo — e os sites que divulgaram seu texto —, eu a contrataria para revisar as apostilas.

Os trechos que ela selecionou do material didático são mesmo constrangedores, vexaminosos, vergonhosos. Os donos da empresa COC, empresários que são, sentem-se devidamente retratados nesta seqüência de verbos: “Acordou, barbeou-se… beijou, saiu, entrou… despachou… vendeu, ganhou, lucrou, lesou, explorou, burlou… convocou, elogiou, bolinou, estimulou, beijou, convidou… despiu-se… deitou-se, mexeu, gemeu, fungou, babou, antecipou, frustrou… saiu… chegou, beijou, negou, etc., etc.” ???

Do conjunto, sem dúvida, duas coisas me deixaram particularmente encantado: descobrir que o capitalismo começou no neolítico (eu sempre disse que o modelo é antigo, mas não achei que fosse tanto…) e que o dilúvio foi uma punição para Sodoma e Gomorra. O Deus do Velho Testamento era mesmo padrasto! Imagino que quem afirmou a besteira nunca pôs os olhos numa Bíblia, mas escreve a respeito. Como de costume…

Por que o sistema COC está processando a mãe da aluna? Não lhe reconhece o direito de contestar as sandices que imprime? Defende, segundo entendi, o método crítico, “dialético”, sei lá o quê, desde que COC fique livre de qualquer escrutínio? Mírian inventou aquelas informações? Mais: não basta ao “sistema” o espaço para defender o seu ponto de vista?

Pobre Weber
Eu lamento um tanto pelo sistema COC. Classificar Max Weber de “idealista”, como fez José Henrique del Castillo Melo, não é opinião, mas ignorância. Pior, depreende-se da resposta dada que qualquer análise que releve a importância da cultura na história é, necessariamente, uma manifestação do “idealismo”. Parece que o COC prefere processar a argumentar, mas, se Castllo Melo quiser me provar que Weber integra a corrente do “idealismo alemão”, é só mandar o texto pra cá, que eu o publicarei. Só espero que ele me garanta o direito de resposta…

Direito achado na rua
Escrevi anteontem um texto sobre o tal Direito Achado na Rua e inscrevi esta, vá lá, corrente de pensamento jurídico na perspectiva gramsciana de construção da hegemonia do pensamento de esquerda. Aliás, Roberto Lyra Filho, o idealizador da estrovenga, era um leitor de Gramsci. Espero que o sistema COC reconheça o meu direito de considerá-lo parte dessa mesma construção — ou, ao menos, contaminada por ela.

Leiam este trecho:
“Sabemos que a história é escrita pelo vencedor; daí o derrotado sempre ser apresentado como culpado ou condições de inferioridade (sic). Podemos tomar como exemplo a escravidão no Brasil, justificada pela condição de inferioridade do negro, colocado (sic) como animal, pois era ‘desprovido de alma’. Como catequizar um animal? Além da Igreja, que legitimou tal sandice, a quem mais interessava tamanha besteira?”

Gostaria que o professor Castillo tentasse me provar (pode ser no mesmo texto em que o convido a dissertar sobre Weber) que o que vai acima é história rigorosa — sem contar, é fato, o trato lamentável da língua portuguesa. Não há história ali. Ao contrário: há só juízo moral. Pior de tudo: induz-se o aluno a julgar o passado segundo critérios do presente. A história consiste, entre outras coisas, em tentar entender a mentalidade de um período para que as ocorrências e as decisões sejam compreendidas em seu próprio tempo. Sabem o que é mais triste? Nem o tarado furunculoso, Marx, endossaria aquela besteira. Ele escreveu bobagens brutais, gigantescas, mas não era estúpido.

Para enviar uma mensagem de apoio ao site Escola Sem Partido, clique aqui

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s