Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Janot diz não atuar no caso OAS. É? E no caso Odebrecht, doutor?

Justificativa é tosca e falsa: ou não foi o procurador-geral quem anulou a primeira delação de Léo Pinheiro?

A nota emitida por Rodrigo Janot tentando demonstrar que não há incompatibilidade entre a atuação de sua filha como advogada da OAS e a sua própria como procurador-geral da República é patética. E no caso da Odebrecht (Braskem)?

Saibam a partir de agora: todos os que o MPF acusar são culpados, mesmo quando inocentes. E todos os membros do Ministério Público Federal serão sempre inocentes, mesmo quando culpados.

Leiam a nota de Janot. Volto em seguida.

Acerca de notícias veiculadas na manhã desta terça-feira, 9 de maio, a Procuradoria-Geral da República esclarece que os acordos de leniência celebrados pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) com pessoas jurídicas são firmados com o Ministério Público Federal que atua na 1ª instância.

O que está entre as atribuições da Procuradoria-Geral da República é negociar os acordos de colaboração que envolvem pessoas com prerrogativa de foro. Neste caso, os executivos propõem os termos de colaboração a serem prestados, e não a empresa. Mesmo assim, atualmente, os acordos de colaboração são assinados pelo Grupo de Trabalho da Lava Jato na PGR, por delegação do procurador-geral da República.

É importante notar que os executivos da OAS não firmaram acordo de colaboração no âmbito da Operação Lava Jato e a Construtora OAS não assinou acordo de leniência. O procurador-geral da República não assinou nenhuma petição envolvendo a empresa ou seus sócios. Portanto, não há atuação do PGR.

Observa-se ainda que o procurador-geral da República já averbou suspeição em casos anteriores. A Procuradoria-Geral da República observa de maneira inflexível a aplicação do Código de Processo Penal e do Código de Processo Civil no seu âmbito de atuação.

Volto
Entendi. Gilmar Mendes seria suspeito para julgar qualquer coisa relativa a Eike Batista porque sua mulher trabalha num escritório que tem Eike como cliente — e não na área penal. Notando-se sempre que Guiomar não é advogada de Eike.

Já a filha do procurador-geral, esta sim, é advogada da OAS e da Braskem (Odebrecht), que estão no centro do petrolão. Com efeito, a situação não é mesma: no caso de Janot, o impedimento, de fato, existe.

Como é? Ele diz que o procurador-geral até agora não atuou no caso da OAS? Como não? E a delação premiada de Léo Pinheiro que ele houve por bem jogar no lixo sem que ninguém saiba por quê?

Janot tenta tergiversar no caso da OAS, mas o que ele vai dizer sobre o caso da Odebrecht? E nesse caso, ele atuou ou não?

A atuação da mulher de Mendes num escritório de advocacia que tem Eike como cliente tornaria o ministro suspeito, mas o “pápi” Janot não vê nada demais que sua filha advogue para réus da Lava Jato. Parabenize-se a doutora. Andei escarafunchando aqui. Os potentados empresariais do país a consideram uma sumidade.

Acho que a nota define quem é Janot.

Janot quer um terceiro mandato — pelo menos até definir se vai mesmo se candidatar em 2018. Deveria é pedir o boné.

 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. É importante enfatizar que esse blog NUNCA “jogou terra” na Lava-Jato. É claro que a operação tem feito um ENORME bem para o brasil.
    *
    O problema é a síndrome do brasileiro, de sempre estar em busca de um Salvador da Pátria. E, nesse momento, o MPF se apresenta como o paladino que define quem é santo e quem é o diabo. Entretanto, cedo ou tarde, esses justiceiros acabam com a corda no pescoço.

    Curtir

  2. Inides Bonelar da Fonseca

    É… as sombras cruzam as ruas também. Sendo bonito ou feio, rico ou pobre, sábio ou nem tanto, honesto ou não, lá está a sombra. Neste caso, ela se torna acusadora ou cúmplice toda vez que se olha. Silenciosa, como sempre, o faz pensar que mesmo sendo sua companheira permanente, você agiu por conta própria.

    Curtir

  3. SR JANOT DEVE MUITAS EXPLICAÇÕES. EXPLICA JANOT, O POVO QUER SABER. O QUE BUNLAI TINHA A DIZER E VC NÃO DEIXOU?

    Curtir

  4. Isso esclarece muita coisa a respeito da nao aceitação da delação do grupo OAS. Será que a filha não seria de alguma forma beneficiada ou seria prejudicada, ou melhor seria feita a verdadeira justiça com cada um pagando o que deve?

    Com a palavra o candidato Janot!

    Curtir