Blogs e Colunistas

Arquivo de 25 de Fevereiro de 2012

25/02/2012

às 19:26

Horas antes da explosão de base na Antártida, a revelação de que governo brasileiro escondeu naufrágio de embarcação carregada com combustível

Ontem, às 23h, poucas horas antes da explosão na base brasileira da Antártida, que deixou dois mortos, Sérgio Torres noticiava no Estadão Online o que segue. Sim, “acidentes acontecem”  – e acontecem com mais freqüência, é evidente, quando se cometem erros. No caso em questão, vocês verão, cinco ministérios se uniram para esconder uma ocorrência grave. Leiam:

Uma chata (embarcação de fundo chato usada para transporte de carga) rebocada pela Marinha afundou em dezembro no litoral da Antártida com uma carga de 10 mil litros de óleo combustível.  Poluente, o produto não vazou, mas está a 40 metros de profundidade e a 900 metros da praia onde fica a Estação Antártica Comandante Ferraz, base brasileira no continente. Um compartimento dentro da embarcação armazena o diesel.

O naufrágio vem sendo mantido em sigilo tanto pela Marinha quanto pelos ministérios que integram o Programa Antártico Brasileiro (Proantar) – Meio Ambiente, Ciência e Tecnologia, Relações Exteriores e Minas e Energia e Defesa. Não houve vítimas no acidente. O Brasil é signatário de tratados de preservação ambiental na Antártida e, portanto, se comprometeu a não poluir o continente.

Sem divulgação oficial por parte do governo, chega na próxima semana à Baía do Almirantado, onde a chata foi a pique, os navios de socorro Felinto Perry, da frota da Marinha, e Gulmar Atlantis, contratado pela Petrobrás. O Felinto Perry é especializado em resgate de submarinos, além de outras operações complexas.

Mergulhadores da Petrobrás, treinados para atuar em acidentes que envolvem vazamentos nas estruturas de exploração e produção de petróleo, participarão da tentativa de resgate. O planejamento prevê o içamento da chata por boias e guindaste, para que o gasoil artic (combustível anticongelante produzido pela Petrobrás para a ação brasileira na Antártida) possa ser retirado do meio ambiente antes que comece a vazar. É uma operação considerada de risco, por causa do clima inóspito da região.
(…)
A chata servia à Estação Antártica. Cabia a ela transportar para a terra os combustíveis líquidos trazidos pela Marinha para o abastecimento da base. O gasoil artic permanece armazenado em 17 tanques. Por ano, a estação consome 320 mil litros de óleo, empregados em geração de energia e aquecimento interno e da água, indispensáveis em ambientes cuja temperatura pode ficar abaixo de -30°C.
(…)
O resgate da chata não tem data marcada. Dependerá das condições climáticas. Há uma semana, nevascas cobriram com uma camada de pelo menos 1 metro de altura solo da enseada da Ilha Rei George, sede da base nacional. Os ventos superiores a 100 quilômetros por hora impediram os cientistas de realizar trabalhos de campos. Tiveram de ficar confinados.
(…)
Conhecido como Protocolo de Madri, o Tratado da Antártica para Proteção ao Meio Ambiente, em vigor desde 1998, torna o continente reserva natural destinada à ciência. O tratado proíbe até o ano de 2047 a exploração econômica dos recursos minerais e regulamenta e controla a presença humana no local.

O artigo 3.º do protocolo estabelece que as atividades na Antártida sejam “organizadas e executadas com base em informações suficientes que permitam avaliações prévias e uma apreciação fundamentada de seu possível impacto no meio ambiente antártico e dos ecossistemas dependentes e associados”.

Caso o diesel vaze, o acidente com a chata poderá ser interpretado pela comunidade internacional como um desrespeito ao protocolo, por falta de planejamento e pelo uso de processo tido como obsoleto.Para os cientistas, um sistema de dutos – que não foi implantado na base brasileira – seria o ideal para transportar combustível entre as embarcações e os tanques.
(…)

Por Reinaldo Azevedo

25/02/2012

às 19:09

Incêndio em base brasileira na Antártida deixa dois mortos

O que vai abaixo e outro fato já noticiado ontem à noie pelo Estadão indicam que há algo de muito errado com a base brasileira na Antártida.  Leim o que vai no Estadão Online:
A Estação Comandante Ferraz, base militar e científica brasileira na Antártica, foi destruída por um incêndio na madrugada deste sábado, 25, causando a morte de dois militares. Havia 60 pessoas na estação, metade delas pesquisadores de universidades nacionais, que escaparam ilesos. À tarde, a base foi abandonada pelos militares que ainda tentavam conter as chamas.

Em nota, a Marinha não reconhece nem as mortes dos militares nem a destruição da base. Informa apenas que o sargento Roberto Lopes dos Santos e o suboficial Carlos Alberto Vieira Figueiredo continuam desaparecidos e que o sargento Luciano Gomes Medeiros sofreu ferimentos, mas não corre risco de morte.

O fogo começou na praça das máquinas, onde funcionavam os geradores de energia da estação, e se alastrou com rapidez. A Comandante Ferraz tem um formato contínuo. A praça das máquinas não é separada fisicamente dos alojamentos, laboratórios e demais ambientes.

“A estação acabou.” A frase foi usada por um oficial da Marinha lotado na Secretaria da Comissão Interministerial para os Recursos do Mar (Secirm), envolvida nas atividades brasileiras na Antártica, em telefonema à bióloga Yocie Yoneshigue Valentin, coordenadora do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia-Antártico de Pesquisas Ambientais (INCT-APA), da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), responsável por algumas das mais importantes pesquisas brasileiras no continente.

A especialista, que voltou da Antártica este ano, ainda conseguiu contato com alguns colegas que escaparam do incêndio com a roupa que vestiam.

“Eles deixaram tudo para trás, documentos, pesquisas, bagagem. É uma perda irreparável. Contaram que uns foram sendo acordados pelos outros, porque o alarme de segurança da estação não soou. Estamos consternados. Parece que não sobrou nada”, lamentou.

Cientistas que estavam na estação contam que os dois militares que morreram não conseguiram sair da praça de máquinas quando as chamas se espalharam. Os corpos continuavam à tarde dentro da estrutura onde funcionam os geradores da base, totalmente destruída.

O fogo começou às 2h. Uma explosão acordou a todos. As causas são desconhecidas. Os 30 pesquisadores, um alpinista que presta apoio às ações de campo, um representante do Ministério do Meio Ambiente e 12 funcionários civis do Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro (especializados em reparos e manutenção) foram transferidos ao amanhecer, em helicópteros, para a base antártica Eduardo Frei, do Chile.

De acordo com a Marinha, um avião cedido pela Força Aérea da Argentina resgatou o grupo brasileiro na base chilena, levando-o para a cidade de Punta Arenas, na Patagônia do Chile. De lá os brasileiros deverão voltar em um avião da Força Aérea Brasileira (FAB), que decolou neste sábado à tarde do Rio.

Em contatos por e-mail com parentes no Brasil, os pesquisadores relataram de modo bastante sucinto o que aconteceu e avisaram que somente em Punta Arenas, por causa dos transtornos e dificuldades decorrentes do incêndio, poderão retomar os contatos.

“Aconteceu um incêndio na estação. Fomos resgatados agora sem ferimentos. (…) Estamos na base chilena. (…) Assim que puder telefono”, avisou cedo o biofísico João Paulo Machado Torres, da UFRJ, à mulher Susana Fonseca.

Uma equipe de 15 militares da Marinha, comandadas pelo capitão-de-fragata Fernando Tadeu Coimbra, permanecera na base, sediada na Baía do Almirantado, ilha Rei George, no arquipélago Shetlands do Sul, a 130 km do continente antártico, para apagar o fogo. À tarde, a Marinha informou que até eles tiveram que abandonar a base, oficialmente devido às “condições meteorológicas adversas”.

“Assim que as condições meteorológicas permitirem, a Marinha do Brasil, com apoio do navio ‘Lautaro’, da Armada do Chile, enviará uma equipe do grupo-base,liderada pelo chefe da Estação Antártica Comandante Ferraz (capitão-de-fragata Fernando Tadeu Coimbra) para avaliar os danos causados à estrutura da Estação”, informa comunicado da Marinha.
(…)

Por Reinaldo Azevedo

25/02/2012

às 18:58

Serra desiste da Presidência para disputar prefeitura, diz Kassab

Sim, meus caros, escreverei nesta madrugada o que penso sobre a pré-candidatura e provável candidatura de José Serra à Prefeitura de São Paulo. Não é o que eu faria no lugar dele por motivos muito diferentes daqueles dos petralhas. Vocês verão. É evidente, tudo saindo conforme parece, que votarei nele — a minha escolha original era Andrea Matarazzo. Sempre declaro voto, como sabem; é uma das minhas diferenças com os “petralhas isentos”. Mas jamais minto ou falseio a realidade em defesa da minha escolha. E essa é outra diferença no cotejo com aqueles mesmos “petralhas isentos”: eles escondem a sua escolha para que possam trapacear. Eu revelo a minha para que o leitor possa analisar com mais rigor o que escrevo. Fiquem com um trecho de uma reportagem de Maíra Teixeira, na Folha Online:

O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (PSD), disse neste sábado (25) que o tucano José Serra tem um projeto de cinco anos com a cidade de São Paulo. Ao dizer isso, Kassab indica que Serra desistiu de se candidatar à Presidência da República. A referência dos cinco anos de trabalho pela cidade inclui a candidatura de Serra neste ano e mais quatro anos como prefeito.

“Essa questão [de se candidatar à Presidência] está encerrada na vida do Serra. Ele abandona esse projeto. Ele deixou isso muito claro. Ele tinha um grande projeto, aliás legítimo, de ser presidente. Caso fosse candidato de novo, se fosse eleito, seria um grande presidente, mas ele entendeu que deveria abandonar esse projeto. E ele abandonou”, afirmou Kassab em uma visita a uma praça da Freguesia do Ó, zona norte da capital.

Segundo o fundador do PSD, a partir de agora a vida pública do tucano está toda voltada para a cidade de São Paulo. “As suas preocupações, seus projetos, seus estudos [estão voltadas para São Paulo]. É por isso que eu digo que a cidade ganha com um grande pré-candidato, depois um grande candidato e prefeito. Os próximos cinco anos dele serão voltados para a cidade.”
(…)
Sobre a possibilidade de Serra ter em sua base o PSD e o antigo partido de Kassab, o DEM, o prefeito não vê problema. “O Serra tem experiência na vida pública, é um conciliador. Todos os partidos que entendem que ele é o melhor para a cidade de São Paulo saberão compreender e apresentar sua visão para que seja um bom candidato”, afirmou.

Sobre uma possível chapa “puro-sangue” do PSDB, Kassab disse que é possível, mas diz que não acredita que isso ocorra. “Uma aliança ampla como está sendo feita pressupõe uma chapa com candidatos de outros partidos.”
(…)

Por Reinaldo Azevedo

25/02/2012

às 7:26

LEIAM ABAIXO

O AI-5 dos Abortistas – Atenção, brasileiros! Estão tentando fraudar a Constituição e impor a legalização do aborto ao arrepio da vontade dos brasileiros. É uma tentativa de golpe!;
Serra decide entrar na corrida à Prefeitura e quer disputar prévias;
A tropa de choque de Haddad – Sem acordo PT-Kassab, petista já anuncia jornada de invasões de prédios e terrenos em São Paulo;
Perto do fim – “Amigos da Síria” dão ultimato a Assad: tem de cair fora!;
Descoberta de 51º corpo em trem enfurece a Argentina;
O homem e a bandeira;
Petralhas, tirem as duas mãos do chão! Coragem! Ou: Quase sinto pena de assistir ao esperneio de Paulo Henrique e seus amigos amestrados;
A GRANDE MENTIRA SOBRE AS 200 MIL MULHERES QUE MORRERIAM EM DECORRÊNCIA DO ABORTO. PIOR: O GOVERNO BRASILEIRO AJUDA A ESPALHAR A FALÁCIA;
As mentiras escandalosas de abortistas e aborteiros;
Paulo Henrique é o jornalista mais corajoso do Brasil para atacar a reputação da oposição. De qualquer oposição, como sabe Lula. Um pouco de história;
Blogueiro que terá de se retratar de ofensa racial tenta debochar da Justiça. É inútil! Os fatos são os fatos. Ou: A lógica elementar é implacável!;
Vejam este vídeo: crianças e donas de casa feridas com as balas de borracha democráticas do petismo em Rio Branco;
Não havendo mais o que aparelhar no Estado, petistas agora avançam nas escolas de samba…;
Eis uma notícia que requer as luzes de Eleonora Menicucci, a abortista convicta

Por Reinaldo Azevedo

25/02/2012

às 7:15

O AI-5 dos Abortistas – Atenção, brasileiros! Estão tentando fraudar a Constituição e impor a legalização do aborto ao arrepio da vontade dos brasileiros. É uma tentativa de golpe!

Abaixo, demonstrarei como uma simples comissão de revisão do Código Penal está se mobilizando para cassar um direito constitucional — violando uma cláusula pétrea da Carta, que não pode ser mudada nem mesmo por emenda — ao arrepio da população e do próprio Congresso Nacional. E tudo para aprovar o aborto. A síntese é esta: se o povo não faz o que eles querem, decidem, então, tirar o tal povo da jogada. Antes do caso, algumas indagações e considerações.

Por que os militantes em favor da legalização do aborto são tão determinados, tão fanáticos, tão sectários? Ainda que discorde de muitas causas, que as considere eventualmente estúpidas, compreendo, às vezes, o fervor de alguns. Tomo como exemplo os ecologistas, em especial os apocalípticos do desmoralizado aquecimento global. Não estando eles a serviço de alguma empresa alemã que forneça a tecnologia das tais energias alternativas, podemos considerar que seu propósito é meritório, ainda que suas teses sejam cretinas. Mas ser um fanático do aborto? Por que mistificar, trapacear, fraudar os números? Demonstrei ontem aqui, de maneira inequívoca, a mentira escandalosa que é a afirmação de que 200 mil mulheres morrem todo ano em razão de abortos de risco. Boa parte da grande imprensa vive repetindo essa farsa, inventada pela militância abortista, sem nem mesmo levar em consideração o total de óbitos no país. Uma simples consulta aos dados do IBGE exporia a falácia. Mas essa não seria uma prática… progressista!

Ainda que a legalização do aborto pudesse ser objeto de um plebiscito — não pode, já digo por quê! —, a esmagadora maioria dos brasileiros diria o que já diz em pesquisas de opinião: é contrária à mudança da legislação atual, que permite a interrupção da gravidez só em caso de estupro e risco de morte da mãe. Não demora, e o STF se pronunciará sobre o aborto de anencéfalos. Será certamente aprovado, o que pode, sim, abrir caminho para a interrupção da gravidez em outros casos muito menos graves de malformação do feto. Estaremos “abrindo uma vereda para a terra dos mortos”.

Os militantes pró-aborto são, como disse, determinados. E são também organizados. Vivem numa mobilização permanente para tentar ganhar a opinião pública, que sabem majoritariamente contrária à sua tese. Mas sabem também que um bom trabalho de militância, associados a movimentos sociais, ONGs, redes sócias e imprensa, pode fazer milagres. Vejam, num caso bem mais prosaico, essa bobagem que é a proibição dos saquinhos de supermercado. A natureza ganha pouco — já que haverá um aumento do consumo dos sacos de lixo —, os supermercados economizam, e os consumidores pagam o pato. Mas aplaudiram a medida. Afinal, foram convencidos de que estão ajudando a salvar a natureza…

É claro que o aborto é uma causa bem mais complicada. O importante, para a militância, é jamais descansar. Enquanto dona Eleonora Menicucci vai à ONU e endossa a mentira das 200 mil mortes anuais de mulheres em decorrência da interrupção da gravidez, partidários da causa atuam na frente doméstica para aplicar um passa-moleque na Constituição, tentando cassar um direito constitucional por intermédio de outros códigos legais. Leiam o que informa a Folha de hoje. Volto em seguida.

Proposta quer liberar aborto a mulher sem “condição psicológica”

Por Flávio Ferreira:
A comissão de reforma do Código Penal do Senado apresentou em audiência pública proposta que descriminaliza o aborto realizado até a 12ª semana de gravidez quando, a partir de um pedido da gestante, o “médico constatar que a mulher não apresenta condições psicológicas de arcar com a maternidade”. O texto também prevê que o aborto de anencéfalos não será considerado crime – a questão está sob julgamento do Supremo Tribunal Federal. Atualmente, o Código Penal só não considera crimes os abortos feitos para salvar a vida da gestante e quando a gravidez resulta de estupro.

O anteprojeto apresentando ontem ainda promove a descriminalização da eutanásia nos casos em que houver desligamento de aparelhos que mantenham a vida de um paciente com doença grave e irreversível atestada por dois médicos, com consentimento do paciente ou da família. Outra proposta também aumenta a pena atual para casos de homicídio causado por embriaguez ao volante. O texto cria a “culpa gravíssima”, com punição de quatro a seis anos, para os casos em que houver “excepcional temeridade” na conduta do causador da morte. Está em estudo também a inclusão de um capítulo para os crimes de trânsito.

Entidades e ativistas contra e a favor da descriminalização do aborto promoveram um debate acalorado na audiência de ontem, feita no Tribunal de Justiça paulista. Segundo o relator da comissão, o procurador regional da República em São Paulo Luiz Carlos dos Santos Gonçalves, o texto do anteprojeto traz uma “posição intermediária” em relação à descriminalização do aborto. “É preciso enfatizar que a proposta não acaba com o crime de aborto, ele apenas amplia as situações em que não haverá pena”, afirmou. Segundo o relator, a previsão de atestado médico sobre as condições psicológicas da mulher foi incluída para proteger mulheres em situação de muita fragilidade. “O aborto é o pior método contraceptivo que existe, mas criminalizá-lo pode ser simplesmente uma grande injustiça para com a mulher”, disse.

Voltei
Fico aqui a pensar no que terá querido dizer Luiz Carlos dos Santos Gonçalves. O que significa “posição intermediária em relação à descriminalização do aborto”? Estamos diante de um óbvio esforço para fraudar a Constituição. A decisão sobre o aborto de anencéfalos só está no Supremo, ora vejam!, porque se trata de matéria Constitucional. Está lá no Artigo 5º:
“Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no país a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade (…)”.
Esse é o texto que impede que se aprove a pena de morte no país mesmo para os piores facínoras. Como lembra o jurista Ives Gandra da Silva Martins, o parágrafo 2º desse mesmo Artigo 5º afirma que tratados internacionais sobre direitos individuais são incorporados à Carta e têm status de norma constitucional. O Brasil é signatário do Pacto de São José da Costa Rica, de direitos humanos. Está lá no Artigo 4º:
“Toda a pessoa tem direito a que se respeite sua vida. Este direito está protegido pela lei e, em geral, a partir do momento da concepção”.

Mas agora vem o mais importante: o Parágrafo 4º, inciso IV do Artigo 60 é claro:
“Não será objeto de deliberação proposta de emenda tendente a abolir (…) os direitos e garantias individuais”.
Assim, a legalização do aborto não pode ser aprovada por qualquer procedimento constitucional ou infraconstitucional porque isso significaria violar uma cláusula pétrea da Carta.

Agora o mérito
Desde quando um médico, a menos que seja psiquiatra, está habilitado a avaliar, com esse grau de profundidade e em caso de tamanha gravidade, as “condições psicológicas” de uma mulher? Permitir o aborto, nesse caso, corresponde simplesmente a legalizar a prática ao arrepio da Constituição e do próprio Congresso.

Depois da falácia com os números, já desmoralizada, estamos diante de um truque descarado para impor à maioria do povo brasileiro aquilo que é vontade de uma minoria. Derrotados no debate, incapazes, até agora, de ganhar a opinião pública, os abortistas querem aprovar o AI-5 do aborto, que torna letra morta a Carta Constitucional. “Ah, como esse Reinaldo exagera!” Exagero do cinismo é tentar dar um golpe na Constituição!

Por Reinaldo Azevedo

25/02/2012

às 7:11

Serra decide entrar na corrida à Prefeitura e quer disputar prévias

Por Catia Seabra e Daniela Lima, na Folha:
O ex-governador José Serra decidiu entrar na corrida à Prefeitura de São Paulo e admite a possibilidade de se inscrever nas prévias convocadas pelo PSDB para definir o candidato do partido. A decisão foi comunicada ontem ao governador Geraldo Alckmin após meses de indefinição no maior partido de oposição do país, que teme perder para o PT nas eleições deste ano a hegemonia política que tem em São Paulo. Alckmin e o prefeito Gilberto Kassab (PSD) se reuniram ontem à noite com o ex-governador em sua casa para discutir os detalhes do lançamento de sua candidatura.

Serra não quer que as prévias convocadas pelo partido sejam canceladas, para evitar o desgaste político que sofreria se fosse indicado candidato passando por cima do processo definido pelo PSDB. As prévias estão marcadas para o dia 4, daqui a uma semana. Uma das possibilidades em estudo é o adiamento da disputa interna, para que Serra tenha tempo de entrar no processo partidário. Quatro candidatos estão inscritos para participar das prévias do PSDB: os secretários estaduais de Cultura, Andrea Matarazzo, Meio Ambiente, Bruno Covas, e Energia, José Aníbal, e o deputado federal Ricardo Tripoli.

Alckmin começou a chamar ontem à noite os pré-candidatos para conversar. Aliados do governador acreditam que Matarazzo e Covas devem desistir da disputa. Aníbal e Tripoli têm dito que estão dispostos a manter suas candidaturas até o fim. Na noite de quinta-feira, Serra disse a Alckmin que as prévias “devem ser respeitadas” e se mostrou “receptivo” à ideia de entrar na disputa, segundo pessoas familiarizadas com as negociações. No encontro de ontem com Alckmin e Kassab, Serra confirmou a disposição de se candidatar e deixou claro que prefere disputar as prévias.
(…)

Por Reinaldo Azevedo

25/02/2012

às 7:09

A tropa de choque de Haddad – Sem acordo PT-Kassab, petista já anuncia jornada de invasões de prédios e terrenos em São Paulo

Os paulistanos podem se preparar para fortes emoções. O PT terá de ganhar, por enquanto ao menos, a eleição nas urnas. Herdeiro que é do ódio das esquerdas  à democracia, vai tentar, antes de tudo, ganhar a disputa no berro. José Serra será candidato a prefeito. Isso significa que não haverá acordo entre o prefeito Gilberto Kassab e os petistas. Se é assim, o potencial aliado de anteontem vira inimigo. E a tropa de choque já está se preparando. Leiam o que informa Roldão Arruda, no Estadão. Volto seguida:

Sem-teto miram gestão Kassab em SP

A administração do prefeito Gilberto Kassab (PSD) deve ser o alvo central de uma série de manifestações de movimentos por moradia que estão sendo organizadas na capital paulista. Elas devem começar em abril e se estender até maio. Estão previstas ocupações de terrenos e edifícios em diferentes regiões da cidade.

“Em seis anos de governo o Kassab não fez nada pela moradia popular, não construiu uma casa”, diz Luiz Gonzaga da Silva, mais conhecido como Gegê, um dos articuladores das manifestações, ao explicar a ofensiva contra o prefeito. “Se aconteceu alguma coisa foi porque pegou carona em alguma programa de moradia do governo federal ou do Estado.”

Gegê é diretor do Movimento de Moradia de São Paulo, uma das seis organizações que promovem reuniões para iniciar a ofensiva a partir de abril. “No nosso próximo encontro vamos ter a participação de mais duas associações. Quando começarmos as ocupações teremos pelo menos dez movimentos.”

Embora seja militante histórico do PT e já tenha integrado a direção nacional do partido em duas ocasiões, Gegê nega qualquer interferência petista na articulação. “Os movimentos populares não têm ligações com partidos nem com centrais sindicais”, afirma. “Ideologicamente podem ter proximidade com essa ou aquela central, mas isso não significa que sejam guiados por ela.”

Resistência
Os atritos entre Kassab e a maior parte dos movimentos por moradia na capital são antigos. Semanas atrás, quando ainda se tentava costurar uma aliança entre o PT e o PSD para a eleição municipal deste ano, um dos maiores focos de resistência à aproximação foi localizado justamente entre petistas vinculados a esses movimentos. Era uma reação tão forte que, nos bastidores, em seus encontros com o prefeito, os emissários do PT disseram que, caso a aliança fosse adiante, ele teria de adotar imediatamente alguma medida de impacto na área de moradia. Isso serviria para refrear os descontentes.

Sem aliança nem medidas de impacto, os movimentos decidiram abrir carga contra o prefeito. As ocupações e os ataques à política administrativa de Kassab vão ocorrer às vésperas do período eleitoral.
(…)

Voltei
Está tudo dito aí. Caso o acordo entre Kassab e o PT tivesse prosperado, os petistas torceriam o próprio verbo para anunciar as virtudes do prefeito e dariam um jeito de conter os seus radicais. Como ele vai apoiar a candidatura do tucano José Serra, então os patriotas preparam o confronto.

Por Reinaldo Azevedo

25/02/2012

às 7:07

Perto do fim – “Amigos da Síria” dão ultimato a Assad: tem de cair fora!

No Estadão:
Reunidos ontem na cúpula dos “Amigos da Síria”, em Túnis, altos funcionários americanos, europeus e árabes preparavam um pedido para que o ditador Bashar Assad deixe incondicionalmente o poder em até 72 horas e uma missão de paz da ONU entre em território sírio para assegurar o fim da violência.

Os aliados ainda aumentarão a pressão para que o Conselho Nacional da Síria (CNS) – guarda-chuva que reúne vários grupos de oposição – seja reconhecido como “legítimo representante do povo sírio”. O comunicado final deve incluir um pedido de “apoio prático” aos opositores, o que pode abrir uma brecha para o envio de armas aos militantes anti-Assad. A Arábia Saudita disse ser “uma excelente ideia” armar os opositores.

A secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton, disse que o objetivo da conferência era “ampliar a pressão sobre o regime Assad para aprofundar seu isolamento”. “Queremos também enviar uma mensagem clara: (Assad) pagará um preço alto por ignorar a vontade da comunidade internacional e violar os direitos humanos de seu povo”, disse Hillary.

O chanceler da França, Alain Juppé, afirmou que a União Europeia deve anunciar o bloqueio de ativos do Banco Central da Síria na segunda-feira. Os “Amigos da Síria” nomearam o ganense Kofi Annan, ex-secretário-geral das Nações Unidas, enviado especial da Liga Árabe e da ONU para a crise síria. Nobel da Paz, Annan terá a difícil missão de convencer Assad a iniciar o processo de transição sem que o país entre em guerra civil.
(…)

Por Reinaldo Azevedo

25/02/2012

às 7:05

Descoberta de 51º corpo em trem enfurece a Argentina

Por Ariel Palacios, no Estadão:
A descoberta ontem do corpo do jovem Lucas Menghini, de 20 anos, esmagado entre o terceiro e o quarto vagão do trem da linha Sarmiento que descarrilou na quarta-feira, desatou a fúria dos passageiros da estação de Once, no bairro de Balvanera, cenário da tragédia na qual morreram 51 pessoas e 703 ficaram feridas.

A família de Lucas procurou o jovem incansavelmente desde a quarta-feira, sem sucesso. O localizador do celular do rapaz indicava que ele estava, teoricamente, na estação. No entanto, os bombeiros e policiais que fizeram o resgate não perceberam nos dois primeiros dias o cadáver do jovem entre os dois vagões.

Aos gritos de “abaixo a impunidade” e “que todos vão embora”, a multidão de passageiros, irritada com duas décadas de funcionamento deficiente das ferrovias e do sucateamento dos trens, exigiu a demissão das autoridades envolvidas no caso. Além disso, pediram a retirada da concessão ferroviária TBA, propriedade da família Cirigliano, amigos de integrantes do governo da presidente Cristina Kirchner.

Após três horas de protestos começaram os primeiros choques. Os passageiros arremessaram pedras e latas de refrigerantes sobre os policiais. Integrantes das forças de segurança espancaram os passageiros com seus cassetetes, enquanto que – no meio da batalha campal – as pessoas corriam gritando pelos salões da centenária estação. Na sequência, os policiais lançaram bombas de gás lacrimogêneo sobre os passageiros.

O corpo de Lucas somente foi encontrado 57 horas depois do acidente graças à insistência de seu pai, que em um vídeo das câmara de segurança da estação onde ele embarcou viu que ele entrara no quarto vagão.

O bairro de Balvanera também foi agitado ontem pelos protestos dos parentes das vítimas do incêndio que arrasou a boate Cromañón em dezembro de 2004. Os parentes, que haviam erguido um santuário improvisado em memória dos 194 mortos em plena rua Bartolomé Mitre, rechaçaram o plano da prefeitura de reabrir a via, fechada há sete anos pelas próprias famílias das vítimas. O santuário dos mortos da Cromañón está localizado a dois quarteirões da estação Once.
(…)

Por Reinaldo Azevedo

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados