Número de reuniões entre Temer e chefe da Abin disparou na crise

Mais próximos

Acusado de mobilizar a Abin para espionar o ministro Edson Fachin, conforme VEJA revelou, Michel Temer intensificou seus encontros com Sérgio Etchegoyen, ministro do Gabinete de Segurança Institucional, a quem a Abin é subordinada, nos últimos tempos. Entre janeiro e abril, eles se encontraram apenas 3 vezes (menos de uma vez por mês). Em maio foram 7 os encontros. Na primeira semana de junho, mais quatro.

Em janeiro, Temer recebeu o general em apenas uma oportunidade, no dia 6. Eles só voltaram a se encontrar oficialmente no dia 13 de março, em reunião com Eliseu Padilha, Raul Jungmann e Osmar Serraglio, e no dia 14 de março, sozinhos novamente.

Abril passou e eles não se encontraram. As reuniões deixaram de ser esparsas em maio, mês em que estourou o escândalo Joesley Batista.

Nos dias 11 e 26, consta na agenda do presidente reunião com o “Gabinete de Segurança Institucional”. Já nos dias 19 e 22, eles se encontraram sozinhos no Jaburu, rapidamente.

No começo do ano, Etchegoyen dificilmente participava de reuniões com vários ministros, mas em dois dias seguidos (24 e 25 de maio) a reunião contou também Raul Jungmann, Moreira Franco, Antônio Imbassahy e Eliseu Padilha.

Para fechar aquele mês movimentado, Temer ainda marcou uma reunião à portas fechadas no domingo (28) com Etchegoyen.

Neste mês, o ritmo de encontro entre eles segue agitado. Em apenas uma semana, se reuniram 4 vezes. No dia 5, com diversos outros ministros; no dia 7, a sós; no dia seguinte, Raul Jungmann participou do encontro; e no dia 9 foi a vez de Eliseu Padilha ser atualizado do que quer que seja por Etchegoyen.

Sem dúvida, Etchegoyen passou a integrar o núcleo duro de Temer nos últimos meses, frequentando, inclusive, conversas importantes no Jaburu.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. Olha “Veja”, na condição de um velho assinante da revista, essa matéria foi uma fake news, uma ba??rri_ga:da do seu editor chefe, que de vermelho só não tem o cabelo

    Curtir

  2. aparecido furlaneto

    Afinal Temer é o presidente e encontra com ele quantas vezes for necessário…Quando algum FDP do Ministerio Publico for presidente então poderá fazer do seu jeito…

    Curtir

  3. João Santos

    Dureza ver um general ombrear com um presidente corrupto por obrigação do ofício.

    Curtir

  4. Fátima Pereira

    Veja não publicou meu comentário anterior. Repito em outros termos. Estão com falta de pauta? Temer é presidente e pode se reunir com o chefe do GSI ou é proibido? os ex presidentes nunca se reuniam ou voces nunca divulgavam?

    Curtir

  5. …E daí?

    Curtir

  6. Alcebiades Bento da Silva

    Tipico desses corruptos, todos eles, incluindo Dilma, quando a coisa fica preta chama um general, como Dilma fez com Villas Boas, agora temer faz com etchegoyen, fazer o que né? competência e honestidade, não se compra se adquire.

    Curtir

  7. Sonia Fausta Tavares Monteiro

    Só Deus deve saber o que isto significa, e eu espero que Ele saiba , e nos proteja!

    Curtir