Por que Gilberto Carvalho ficou tão feliz com o desempenho da viúva militante, que reservou a Sombra a compaixão e a ternura negadas ao marido assassinado?

Às 23 horas de 17 de janeiro de 2002, depois de assistirem a um filme na TV, Ivone Santana e Celso Daniel foram dormir juntos pela última vez. Na noite seguinte, a socióloga de 38 anos soube que o homem a quem estava ligada afetivamente desde 1996 fora sequestrado ao voltar de um restaurante em […]

Às 23 horas de 17 de janeiro de 2002, depois de assistirem a um filme na TV, Ivone Santana e Celso Daniel foram dormir juntos pela última vez. Na noite seguinte, a socióloga de 38 anos soube que o homem a quem estava ligada afetivamente desde 1996 fora sequestrado ao voltar de um restaurante em São Paulo na Pajero blindada dirigida por Sérgio Gomes da Silva, o Sombra, ex-segurança, ex-assessor e empresário. Ela jura que passou o dia 19 à espera do pedido de resgate. Em 20 de janeiro, o cadáver do prefeito de Santo André foi encontrado numa estrada de terra. Além de 11 perfurações a bala, a autópsia encontrou numerosas evidências de que, antes de executá-lo, os assassinos haviam submetido Celso Daniel a sessões de tortura.

Surpreendida por tamanha tragédia, uma viúva de Nelson Rodrigues atravessaria o velório assombrando os presentes com  saltos ornamentais sobre o caixão, berreiros de acordar qualquer defunto, imprecações tremendas contra culpados ou inocentes  ─ e colecionaria desmaios sucessivos até a missa de 30° dia. Mesmo a mais contida das mulheres não demoraria menos de um mês para recordar o que ocorrera sem que a emoção interrompesse o relato de cinco em cinco minutos. O caso Celso Daniel precipitou a aparição de outra maravilha da fauna do PT: a viúva militante. Essa mutação não sabe o que é luto. Discorre sobre uma perda recentíssima com a placidez de quem narra um torneio de golfe. E precisa de  apenas uma semana para preencher uma página de jornal com palavrórios abjetos na forma e suspeitíssimos no conteúdo.

Ela chorou duas vezes, garante o repórter que assina a entrevista publicada pela Folha de S. Paulo em 28 de janeiro de 2002. Pode ter sido algum cisco no olho, sugerem as respostas. O crime poderia ter tido motivações políticas?, começa a conversa. “O Celso não possuía inimigos políticos que pudessem chegar ao ponto de sequestrá-lo e matá-lo”, encerra o assunto a depoente sem dúvidas. “Foi um crime urbano”.  Nessa hipótese, por que Sombra foi poupado pelos bandidos?  “O Sérgio é moreno”, ensina, deixando claro que prefere o prenome ao apelido revelador.  E decola rumo à estratosfera: “Nosso racismo cordial deve ter falado mais alto, e os caras acharam melhor pegar o Celso”.  Tradução: o erro do prefeito foi ter nascido branco.

Por que os sequestradores não pediram resgate? “Os caras foram atrás porque acharam que era um empresário com grana. Mas aí descobriram que pegaram o sujeito errado. Com todo aquele cerco, aquele barulho da imprensa, os caras devem ter se apavorado e achado que não podiam ficar com ele, que tinham de se livrar dele”. Não viu nada de estranho no comportamento de Sombra, primeiro colocado no ranking dos suspeitos? “Delírio puro”, irrita-se Ivone. “Celso saiu para jantar com um amigo, que é da família. Não foi o prefeito que saiu para jantar com um empresário. Será que as pessoas não entendem a diferença? Conheço Sérgio desde 1988. É um amigo”. O entrevistador lembra que peritos haviam desmontado a versão de que a Pajero fora imobilizada por defeitos mecânicos. “Se o carro é da Mitsubishi e chamam um sujeito da Mitsubishi para dar pareceres…”, retruca Ivone. “Tenha dó, não é?”

A doçura do tratamento dispensado ao possível mandante do crime contrasta com a ausência de alusões carinhosas ao assassinado.  Como Miriam Belchior, que viveu 10 anos com Celso Daniel, Ivone Santana negou-lhe até mesmo palavras compassivas. O prefeito que ocuparia na campanha de Lula o posto que acabou confiado a Antonio Palocci não foi chorado pelas duas companheiras. Somadas, as lágrimas da dupla de viúvas não bastam para encher três tampinhas de garrafa de cerveja.

Se não tivesse batido em retirada, Gilberto Carvalho teria de caçar explicações, na segunda metade da entrevista, tanto para o espetáculo da frieza protagonizado por Miriam e Ivone quanto para outras interrogações agrupadas nos tópicos seguintes:

1. Numa das conversas registradas em 42 fitas, um interlocutor não identificado cumprimenta Ivone Santana pela entrevista concedida à Folha e a estimula a aceitar o convite para brilhar no programa de Hebe Camargo. Por que parecia conveniente ao grupo a exposição de uma mulher afetada por um drama recentíssimo? Em outro diálogo por telefone com Ivone, Gilberto Carvalho diz que a entrevista  “pode mudar o rumo das investigações”. Ivone foi festejada pelo que disse, pelo que deixou de dizer ou por ambas as coisas? Sobre as investigações, que rumo deveria ser alterado? Que direção deveria tomar o inquérito?

2. Numa das fitas que desapareceram, Luiz Eduardo Greenhalgh, em tom zombeteiro, elogia a competência de Miriam Belchior no papel de viúva. Se havia papéis, houve um script. Qual era? E que desfecho previa?

3. Em nenhuma gravação as viúvas ouvem palavras de consolo ou solidariedade. Não ficaram abaladas com o episódio? Por que nenhum dos participantes das conversas se mostra indignado com o assassinato? Por que ninguém exige a identificação e a condenação dos responsáveis? Por que ninguém lamenta a perda do companheiro já escolhido para ocupar, na campanha de Lula, o posto que acabou confiado a Antonio Palocci?

4. Gilberto Carvalho assumiu a secretaria de Comunicação da prefeitura de Santo André em 1997 e era secretário de Governo em janeiro de 2001. Nunca ouviu comentários sobre a existência de um esquema de arrecadação de dinheiro sujo para financiar campanhas do PT?

5. Em março de 2003, em São Bernardo, Lula ouviu de Mara Gabrilli, filha de um empresário do setor de transportes, um relato circunstanciado sobre as pressões movidas contra a Expresso Guarará pelo grupo de que faziam parte o secretário de Serviços Municipais, Klinger de Oliveira, o empresário Ronan Maria Pinto, hoje dono do Diário do Grande ABC,  e por Sombra. No dia do encontro entre Lula e Mara, Gilberto Carvalho já era secretário-particular de Lula. O que o chefe lhe contou? Acreditou no que ouvira? Tentou confirmar as denúncias?

6. Em 2005, Rosângela Gabrilli, irmã de Mara, reiterou as acusações na CPI dos Bingos e provou, com documentos, que a empresa de seu pai foi obrigada meses a fio a entregar à quadrilha R$ 40 mil mensais, em dinheiro vivo, repassados imediatamente ao caixa 2 do PT. Por que Gilberto Carvalho jamais se manifestou sobre o depoimento de Rosângela?

7. Em 2010, Marcos Bispo dos Santos, acusado pelo Ministério Público de integrar o grupo de oito executores, foi condenado a 18 anos de prisão. Durante o julgamento, o promotor Francisco Cembranelli endossou a tese do crime político. Gilberto Carvalho achou incorreta a argumentação do promotor? Considerou injusta a decisão do tribunal do júri?

8. Sérgio Gomes da Silva, que ficou preso oito meses, será julgado ainda neste ano por um corpo de jurados. Gilberto Carvalho está disposto a depor como testemunha de defesa?

É improvável que se arrisque a tanto. Desde a descoberta das gravações, o sacristão de cordão carnavalesco guarda distância também dos antigos parceiros de Santo André. Acampado no Planalto, terá de reaprender orações esquecidas e rezar para que Sombra, caso se sinta em perigo, não resolva afundar atirando. Se optar pelo abraço do afogado, o réu contará o caso como o caso foi. Na segunda metade dos anos 90, empresários da área de transportes e pelo menos um secretário municipal, todos vinculados ao PT, forjaram na prefeitura de Santo André o embrião do esquema do mensalão. Recorrendo a extorsões, a quadrilha infiltrada na administração municipal ajudou a patrocinar a gastança eleitoral do partido. Ao saber que parte das boladas começara a ser desviada para os contas bancárias dos delinquentes, Celso Daniel resolveu impedir que os ladrões lesassem o PT. Foi punido com a morte.

Na entrevista que não houve, ficaria claro que Gilberto Carvalho e seus comparsas conspiraram para impedir o prosseguimento de investigações que inevitavelmente levariam às catacumbas da roubalheira. Decididos a manter o partido vivo, consumaram a segunda morte de Celso Daniel. Tentam assassinar a verdade desde 2002. Não conseguirão.

Comentários
Deixe uma resposta

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. Comentado por:

    Fabiano Azevêdo

    Pau na corja. Essa bandidagem liderada pelo falastrão Lula tem que mofar na cadeia, antes que o câncer, corrigenda de Deus, os faça todos de heróis. O Brasil do futuro lhe será muito grato, Augusto, por estar conscientemente (creio) desatando o nó que fará cair a máscara do fanfarrão que há mais de 40 anos não sabe o que é carteira de trabalho. Força e fé. Estamos com você.

    Curtir

  2. Comentado por:

    Exilio

    Agora entendo o medo de Regina Duarte.
    Fecha o inquerito e chama o camburao inclusive para os milicianos cumplices disso tudo.

    Curtir

  3. Comentado por:

    ed morte

    Não tem, amigo. Gratíssimo pela vigilância. abração

    Curtir

  4. Comentado por:

    Cobrador

    Investigue a compra do Diário do Grande ABC que vocês chegarão perto de elucidar o caso.

    Curtir

  5. Comentado por:

    Antonio Antunes Jr

    Caro Augusto,
    Evidente que qualquer ser pensante sabe que foi crime político, assim como foi omassassinato do Toninho do PT em Campnas. Agora, me pergunto, por que o governo de SP, há anos com o PSDB, não intervém e determina que policia esclareça o caso ? Pq o Psdb não usa sua influência no MP para tal ? Isso me deixa indignado !

    Curtir

  6. Comentado por:

    João Eulálio

    O saudoso Mauro Chaves, em artigo no Estadão de 12-11-2005, ressaltou a diferença dos comportamentos de Roseana Garcia, viúva de Toninho, e de Ivone Santana, viúva de Celso Daniel, em seus depoimentos na CPI dos Bingos:
    “Uma é indignada, saudosa, sofrida, destemida, persistente, empenhando-se de corpo e alma para que se faça justiça. A outra é dissimulada, fingida, farsante, fajuta, militante, que parece pretender apenas facilitar a vida dos que querem fugir da Justiça. As duas viveram situações de trágica coincidência. Ambas foram ligadas a prefeitos de importantes cidades paulistas pertencentes ao mesmo partido e brutalmente assassinados. Uma não se conforma com a versão do partido, de que se tratou de crime comum. A outra faz questão de endossar a versão do partido, de que se tratou de crime comum.”
    No PT está a explicação para a diferença de atitudes: Roseana se afastou do PT para defender a memória do marido; Ivone obedeceu a orientação do PT para vilipendiar a memória do marido.
    Perfeito, caro João Eulálio. abração

    Curtir

  7. Comentado por:

    João

    Olha, um partido que abriga montes de ex-terroristas, que apóia tiranos como Fidel, pode ser acusado de tudo, menos de moralismo e escrúpulos. Sempre que penso em ex-terroristas de esquerda, me lembro dos justiçamentos, em que terroristas de esquerda brasileiros, dos 60´s e 70´s, matavam companheiros sem qualquer gota de remorso ou arrependimento, não se arrependem até hoje, por leves suspeitas. É um pessoal que não vale e nunca valeu rigorosamente nada.

    Curtir

  8. Comentado por:

    Angelo

    Caro Augusto, pensar diferente de você não torna ninguém bandido ou inferior a você. Num mundo, onde a violência impera, reações agressivas só alimentam a violência.

    Curtir

  9. Comentado por:

    nena

    Esses meninos-pivetes tomem cuidado, são arquivos vivos e quando são acossados podem virar arquivos mortos para que os cumpanheiros não sejam condenados. ‘Modus operanti’ da máfia e do partidão. Cuidado, Gilbertinho, com quem tomas uma cachacinha.

    Curtir

  10. Comentado por:

    Estanislau de Carvalho

    E o assasinato do prefeito de Campinas, Toninho do PT, ocorrido quase na mesma época? Ninguém fala mais nada?

    Curtir

  11. Comentado por:

    Marcus

    Muito séria e cabal matéria, dentro desta linha de análise verdadeira merece um livro para futuras reflexões sobre a CUT, o PT, a ascensão criminosa de Lula à Presidência e seus efeitos sociais, isto é, sobre partidos políticos, sindicatos, judiciário, empresários e a cultura social.
    Muito bem pensado, AN.

    Curtir

  12. Comentado por:

    INÁCIO COSTA

    O “Governador” Wagner está provando do mesmo veneno que êle patrocinou em 2001 ,quando patrocinou a greve dos PMS. Outra coisa o caso dele é viajar .É prrguiçoso “JURAMENTADO E MILITANTE”,tendo inclusive roubado este título do Valdir Pires que só acordava meio-dia .A verdade é que miinha querida e amada BAHIA está sem TRANSPONDER .

    Curtir

  13. Comentado por:

    domingos roberto

    Parabéns Augusto, que bela resposta para o cidadão Gilberto Campos, quem fala o que quer houve o que não quer. Abraço.

    Curtir

  14. Comentado por:

    Geraldo C. de Carvalho

    Considerando o histórico mafioso e corrupto do PT, eu temo pela integridade física do autor dessas matérias investigativas. Pelo amor de Deus, evite frequentar locais desertos e sempre ande acompanhado com pelo menos duas pessoas.

    Curtir

  15. Comentado por:

    AMICO DI BRONTE

    Este episodio faz inveja à gang do czar vermelho( obra de Simon Sebag Montefiore) a proposito de como agia o politiburo sovietico nos tempos de Stalin. Nas devidas proporções os métodos são os mesmos.

    Curtir

  16. Comentado por:

    tito

    CAR-VA-LHO SEU PILANTRA VAI SE CATAR TERRORISTA DE PLANTÃO DO GABINETE DO PRESIDENTE DILLMA
    TITO

    Curtir

  17. Comentado por:

    ana soriano

    Parece formação de quadrilha.
    Como é que o PT que sempre discursou pela ética, no poder, apresenta esse tipo de comportamento?
    Será que não há ninguém no PT que queira fazer uma limpeza?
    Eu gostaria de ver o Cembranelli, é claro que coberto de seguranças verdadeiros, investigando esse caso.
    Nosso país virou terra de jagunços.
    Nem São Paulo escapa desses elementos que se apossaram da nação.
    Será que Santo André continuará a votar no PT?

    Curtir

  18. Comentado por:

    Estanislau de Carvalho

    Já tinha corrigido, caro Estanislau. abração

    Curtir

  19. Comentado por:

    Anderson Soares

    Boa síntese, Augusto. Permanece obscura ainda a ascensão meteórica do Sérgio Sombra, ex-segurança de fábrica que virou empresário do ramo de transportes e amigão do prefeito. Alguma coisa me diz que essa amizade ai tem haver, também, com a escassez de lágrimas das “viúvas”.

    Curtir

  20. Comentado por:

    Anderson Soares

    Augusto, boa idéia colocar essa trama macabra toda em um livro. Ajudará a exorcizar a alma do petista assassinado e de seus demônios que ainda estão a nos assombrar.

    Curtir

  21. Comentado por:

    Franklin

    Espero, sinceramente, que as viúvas lhe processem criminalmente…
    Seria um prazer, miliciano. O problema é que falta coragem às duas. E a todos os envolvidos na trama.

    Curtir

  22. Comentado por:

    Sandro Ferreira

    Creio que você tem o material quase completo para um livro sobre o caso Augusto. Só está faltando o grand finale, com a quadrilha desmascarada e presa, se é que isto é possível no Brasil da “era da mediocridade”. Sugestão para título:”A quadrilha dos petralhas e o crime quase perfeito”. Será um best seller que eu não vou perder de ler.

    Obrigado, caro Sandro. abração

    Curtir

  23. Comentado por:

    Juliana S.A.

    O Brasil já deixou de me merecer faz muito tempo…. Parabéns por sua coragem, pois essa camarilha não vale nada.

    Curtir

  24. Comentado por:

    Angelo

    Senhores,seu texto explicativo,nos conduz,a uma
    afirmação,a de que esse partido monstruoso,é capaz
    das piores decisões,para abafar a verdade,sobre
    esse crime programado e que os envolvidos covardes,
    escondem-se sob os diferentes cargos nesse governo
    mediocre,mentiroso e sórdido,as viúvas alegres
    agradecem a cooperação recebida.

    Curtir

  25. Comentado por:

    vf

    Depois deste post o Celso Daniel perdeu meu respeito, pois eu acreditava que ele teria morrido porque teria resolvido contar para o mundo os crimes financeiros (cobrança de propina) para alimentar o caixa 2 do partido para eleger Lula, porém ele morreu por defender o maldito do PT que estava sendo roubado por seu próprio bando. Eu se fosse o Sombra contaria toda a verdade, ele “tá ferrado” mesmo e levaria para a cadeia outros figurões do PT…..

    Curtir

  26. Comentado por:

    Franklin

    Levam anos e dinheiro dos sofredores que tentam provar que são inocentes.

    Curtir

  27. Comentado por:

    Dacem

    Augusto Nunes faça um bem para a Humanidade : Grave e esconda em lugar bem seguro tudo o que você escreve. Principalmente sobre os petistas e apaniguados. Queiram ou não esses bandidos serão devidamente julgados e condenados. Aliás todos os petistas deveriam estar presos. Só não estão por conivência e/ou covardia daqueles que dceveriam aplicar a Lei.

    Curtir

  28. Comentado por:

    Moura

    “Esse” fáscinora Gilberto Carvalho na verdade é o Golberi do Couto e Silva do PT. Alguém duvida ? Secretário da Presidência para Assuntos Exclusos.

    Curtir

  29. Comentado por:

    augusto cesar coimbra

    Meu caro Augusto ……….Dilma que nega a anistia aos baderneiros é a mesma que foi anistiada em passado recente …é ou não é ?

    Curtir

  30. Comentado por:

    Edson Luiz

    Entrevista de Bruno Daniel no programa Roda Viva : Que Nojo Sr. Mediador
    Lembrando um trecho da Biblia Sagrada, Daniel saiu vivo da covas dos leões. Em um determinado momento da “entrevista”, o mediador do programa interrompe o Sr. Bruno, sobre o fato de Celso Daniel e Sergio Gomes serem amigos, Seria possivel amigo matar amigo? perguntou ao entrevistado. Todos os dias, a televisão, os jornais, nos mostram, pai que mata filho, filho que mata pai, marido que mata esposa, esposa que mata marido, netos que matam avós, primos que matam primos, ou estou errado? Agora um cidadão desse, acha impossível um ” amigo ” matar outro, chegou a ser ironico as atitudes do mediador, e futuramente, com certeza sera usado como mostra de como um proffissional voltado para a verdade não deve agir. O mediador aumentou o tom de voz, retrucando quando o ser Bruno disse o nome de Dionisio de Aquino Severo, como sendo um dos principais envolvidos no caso, pois, bem. Não sabe o mediador que Dionisio de Aquino Severo , pediu proteção para Policiais Civis de São Paulo, quando percebeu que seria alvo de queima de arquivo? O mediador sabe que justamente o policial civil de nome Otavio, que intermediou a vinda de Dionisio de Aquino Severo para São Paulo, Tambem foi morto de forma suspeita na porta de sua casa? O mediador sabe que este policial iria relatar oque Dionisio havia dito a ele? O mediador sabe que assim que Dionisio chegou em São Paulo, foi assassinado o dono da casa lá no nordeste onde ele estava escondido? E quanto ao garçom que apareceu em uma entrevista, dizendo que ao servir Sergio Gomes e Celso Daniel, no restaurante,ouviu algo.Teria sido chamado para dizer algo que tinha ouvido, na mesma semana é perseguido e morre devido a uma queda? Sabe tambem que a testemunha que viu a morte do garçom, quando iria comparecer a delegacia para dar depoimentos do que teria visto, foi tambem morto? E quanto ao medico legista, resolveu abrir a boca e foi encontrado morto. Este o corpo sem nenhum sinal fisico de violencia, e sem nenhum vestígio quimico que comprovasse a causa da morte. E o menor, que teria assassinado dado oito tiros no prefeito, quando o promotor lhe mostrou uma foto, ele não reconheceu, era esta a foto de Celso Daniel. Este menor, quando completou a maioridade foi liberado da Febem, começou a falar demais, e apareceu morto, acham que ele foi tentar assaltar e a vitima reagiu e foi embora. Um funcionário da Febem, que trabalhava na ala onde o menor estava interno, comentou que antes de sair, o menor contou detalhes a respeito do caso, este funcionário foi morto na av. Celso Garcia, proximo a Febem, dizem que tambem falou demais.
    Sem contar outras mortes, que ocorreram que a mídia nem relacionou ao crime, policiais de Santo André, que sabiam de algo e poderiam de alguma forma prejudicar o andamento do lento processo, pessoas ligadas a jogatina, etc, etc. Parabéns ao Sr. Bruno Jose Daniel Filho, que não caiu na armadilha desse mediador do programa roda viva que nem merece ser citado o nome,pois, tudo leva crer que, ou seja um petralha roxo, amigo das antigas sei lá, ou poderia até o Sr. Bruno disser algo que a devesa dos Réus, ainda não sabe que pode surgir para tentar amar um escape.
    O sr. mediador não acha estranho terem sequestrado Celso Daniel, na Vila das Mercês, sendo ele levado para Diadema, e quando descobriram que seria o Prefeito de Santo André o levaram para Juquitiba? Se o tivessem realmente levado para Diadema, para que atravessar toda a cidade de São Paulo, já que estavam com medo e se arriscarrem rodando quase uma centena de quilometros, atravessando 5 municipios, sendo que na Região de Diadema tem as represas da Anchieta e Imigrantes, áreas de densas matas, com várias estradas que por horas não passam ninguem, não é estranho sr. Mediador? Acredita mesmo que o levaram para Diadema, ou teria um local nas imediações de Heliôpolis, Vila Carioca, onde ficaram com ele, dai sim faria sentido terem pego as Av. Tancredo Neves, Bandeirantes,Marginal Pinheirose Rodovia Regis Bittencourt onde o corpo de Celso Daniel foi localizado. O Sr. Mediador se lembra do policial civil que foi morto em Santo Andre, o assassino foi preso onde? o mediador se lembra? Itapecirica da Serra…..
    Sr. Mediador do programa roda viva, sugiro que o sr. Coloque uma bermuda, um chinelão, e durante alguns finais de semana, pare em barzinhos, lanchonetes, da região da cursino,Vila Moraes, Heliópolis, Vila Carioca. Entre um petisco e outro, comente que o cerco esta se fechando contra o pessoal que matou o prefeito,sobre quem de Heliópoils emprestou dinherio a Sergio Gomes, com a promessa de entrar em Santo André, o sr. ira se surpreender com oque vai ouvir do povão. Imaginem o irmão da Advogada Mêrcia Nakashima, no programa roda viva, e Mizael sendo endeuzado pelo mediador, ou a mãe da menina Isabela Nardone, com a pai e a madrasta de acordo com o mediador do programa roda viva serem inocentes, pois, a mãe não estava lá para ver, Dia 10 de maio, sera iniciado o julgamento dos réus,do caso Celso Daniel, e de acordo com o mediador do programa roda viva, serão inocentados, isto, porque no programa em um momento o mediador contradiz o Sr. Bruno quando este fala que há várias provas e que outras possiveis poderam aparecer. Parabens ao Sr. Bruno Jose Daniel Filho, e estou na torcida para que o Sr. após o termino do julgamento esfregue na cara deste mediador, fatos que o Sr. não pode dizer no programa

    Curtir

  31. Comentado por:

    Gaúcho

    Concordo com você, Augusto
    As lágrimas destas coadjuvantes não umedeceriam um cotonete.
    Como carpideiras seriam reprovadas.
    Mas deixando as viúvas de lado, só há uma maneira de constranger um pouquinho estes canalhas: escrever um livro.
    É o que vou fazer, amigo. abração

    Curtir