Amorim foi humilhado de sapatos

“Ministro meu não vai tirar sapato para revista”, gabou-se o presidente Lula em incontáveis comícios. Sempre obcecado pela figura do antecessor, vive tentando transformar em agressão à honra nacional o episódio ocorrido em 2002, num aeroporto americano, que envolveu Celso Lafer, ministro das Relações Exteriores do governo Fernando Henrique Cardoso, e outros dois chanceleres. “Fui […]

“Ministro meu não vai tirar sapato para revista”, gabou-se o presidente Lula em incontáveis comícios. Sempre obcecado pela figura do antecessor, vive tentando transformar em agressão à honra nacional o episódio ocorrido em 2002, num aeroporto americano, que envolveu Celso Lafer, ministro das Relações Exteriores do governo Fernando Henrique Cardoso, e outros dois chanceleres.

“Fui aos Estados Unidos num momento subsequente aos ataques terroristas de 11 de setembro de 2001″, repetiu pacientemente Lafer, “Havia uma legislação aplicável a todas as pessoas. Achei que era natural essa preocupação com segurança. Entendi republicanamente que não cabia o ‘sabe com quem você está falando’. Não criei problemas, assim como não criaram nesta mesma ocasião o ministro das Relações Exteriores da Rússia e a ministra do Chile”. Coisa corriqueira. Coisa intolerável, insiste Lula.

Nesta terça-feira, o chanceler Celso Amorim foi impedido de entrar na Faixa de Gaza pelo governo de Israel. Há um mês, a restrição atingiu o ministro das Relações Exteriores da Alemanha, mas Lula está proibido de mencionar o antecedente. Se o argumento não vale para Lafer, também não pode valer para Amorim.

O ex-chanceler ficou sem sapatos e sem motivos para constrangimentos. Amorim foi humilhado de sapatos. Só perdeu a pose e a viagem. “Tentei ir a Gaza, mas encontrei resistência”, desconversa. O que encontrou foi uma porta fechada. Para sustentar a bravata, Lula deve estar planejando o rompimento de relações diplomáticas com Israel. Ministro dele não tira sapato para revista. Nem pode ser despachado de sapatos.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. Comentado por:

    Roberto Gass

    Essa trupe de bandidos do lula tem de ser barrada em qq lugar mesmo, parabéns ao Governo de Israel

    Curtir

  2. Comentado por:

    DÁ PENA

    Avisaram o Lulla para não vir ao almoço pois seria revistado na entrada para ver se não trazia pinga e na saída para ver se não saia nenhum talher….

    Curtir

  3. Comentado por:

    Nina

    Absolutamente non sense o comentário das 01:16 do dia de hoje… só tem explicação pela absoluta necessidade de postar mesmo não tendo nada a dizer!!!
    Já foi para o lixo, Nina. abraços

    Curtir

  4. Comentado por:

    Fred Monteiro

    augusto, meu caro.. de vez em quando passo um tempo sumido, mas não tem jeito de deixar de ler essa coluna.. então quando acordo de madrugada, meu remédio é rir das porradas muito jeitosas que você dá na petralhada que não cansa de apanhar..ô bando de sujeito teimoso.. essa do trovão valeu minha insônia, rapaz! o cara deve estar sem dormir até hoje, não é mole ser pegado de calças curtas (ou sem calças mesmo) e passar esse vexame ! é nisso que dá puxar o saco de quem não deve.. defender um embaixador do nada a troco de algum empreguinho barato, sei lá… pois é.. só vai ganhar um trocado daqui pra frente nas próximas eleições, entregando santinho estrelado por aí.. o trovão virou um traque, hehehehe
    Dê um jeito de comentar mais, grande Fred Monteiro. abração

    Curtir

  5. Comentado por:

    Francisco Feliz

    Essa turminha do Lulla deve ser rivistado até para entrar no cemitério.

    Curtir

  6. Comentado por:

    Josué S. Nascimento

    Sr. Augusto Nunes,
    Esses imbecis – lula, amorim & cia – são uns babacas descarados. Nunca a diplomacia brasileira foi tão humilhada e desserviu o Brasil como nos 08 anos do apedeuta!!! Lula se agarrou ao medíocre chavez, pseudo comunista(Deus me livre!!), ao Gadaffi(outro imbecil ditador), ao ahmanijedah(nem o inferno vai querer recebê-lo) e outros ditadores medíocres espalhados por esse mundão. O palanqueiro queria ser Secretário Geral da Onu(???!!!), como? não sabe nem o português, o inglês, nem “good-morning”, e na ONU não há a figura do “nunca antes na historiadaONU”. Vá torcer pelo timeco do corinthnas e não nos encha o saco, sr. lula. O palanque foi desarmado.
    Josué

    Curtir

  7. Comentado por:

    Donata Barros

    Com petralhas não se brinca, têm mesmo de ser revistados com cuidado.
    Só tenho um senão quanto ao método da revista: DEVE SER FEITA NA SAÍDA!
    Oi, Donata. Estava sentindo falta dos comentários. Um abraço.

    Curtir

  8. Comentado por:

    eduardo

    .
    esse nanico de mer#%da é um skro tto.
    .

    Curtir

  9. Comentado por:

    Lima

    Ministro meu não vai tirar sapato para revista”, gabou-se o presidente Lula em incontáveis comícios. Sempre obcecado pela figura do antecessor, vive tentando transformar em agressão à honra nacional o episódio ocorrido em 2002, num aeroporto americano, que envolveu Celso Lafer, ministro das Relações Exteriores do governo Fernando Henrique Cardoso, e outros dois chanceleres.
    “Fui aos Estados Unidos num momento subsequente aos ataques terroristas de 11 de setembro de 2001″, repetiu pacientemente Lafer, “Havia uma legislação aplicável a todas as pessoas. Achei que era natural essa preocupação com segurança. Entendi republicanamente que não cabia o ‘sabe com quem você está falando’. Não criei problemas, assim como não criaram nesta mesma ocasião o ministro das Relações Exteriores da Rússia e a ministra do Chile”. Coisa corriqueira. Coisa intolerável, insiste Lula.
    Nesta terça-feira, o chanceler Celso Amorim foi impedido de entrar na Faixa de Gaza pelo governo de Israel. Há um mês, a restrição atingiu o ministro das Relações Exteriores da Alemanha, mas Lula está proibido de mencionar o antecedente. Se o argumento não vale para Lafer, também não pode valer para Amorim.
    O ex-chanceler ficou sem sapatos e sem motivos para constrangimentos. Amorim foi humilhado de sapatos. Só perdeu a pose e a viagem. “Tentei ir a Gaza, mas encontrei resistência”, desconversa. O que encontrou foi uma porta fechada. Para sustentar a bravata, Lula deve estar planejando o rompimento de relações diplomáticas com Israel. Ministro dele não tira sapato para revista. Nem pode ser despachado de sapatos.
    Tags: Celso Amorim, Celso Lafer, Fernando Henrique Cardoso, Gaza, Lula
    Deixe o seu comentário

    Curtir