Clique e assine a partir de 9,90/mês

Wen Jiabao diz que apoia Europa, mas não detalha ajuda

Por Da Redação - 14 set 2011, 11h11

Por Gabriel Bueno

Dalian, China – O primeiro-ministro da China, Wen Jiabao, demonstrou hoje apoio à Europa, porém não ofereceu nenhuma nova ajuda específica para o continente ameaçado por dívidas. Wen ainda enfatizou as demandas da própria China para que os líderes europeus tomem “passos arrojados” a fim de melhorar os laços econômicos com o gigante asiático.

Falando em uma reunião do Fórum Econômico Mundial em Dalian, na costa nordeste chinesa, Wen deu um voto de confiança aos Estados Unidos e à União Europeia, dizendo acreditar que eles superarão suas atuais dificuldades econômicas. Segundo ele, o foco agora deve ser em evitar uma disseminação maior da crise da dívida soberana da Europa. “Nós expressamos em muitas ocasiões a nossa prontidão em estender a mão para ajudar”, disse ele.

Wen, porém, não deu indícios de que tipo específico de apoio ou investimentos a China está preparada para realizar na Europa. Os comentários são feitos no momento em que assessores e ex-assessores do banco central da China ressaltam a necessidade de cautela em investir em países europeus em dificuldades financeiras.

Continua após a publicidade

Os participantes do mercado esperam que a China use uma parte de suas grandes reservas em moeda estrangeira – a maior do mundo, em mais de US$ 3,2 trilhões – para fortalecer os investimentos na dívida soberana de economias como a Itália e a Grécia, que precisam com urgência levantar novos fundos. Essas esperanças puxaram para cima as ações pelo mundo na segunda-feira, após notícias de que funcionários italianos se encontraram com funcionários encarregados de gerenciar as reservas chinesas.

Os compromissos anteriores de funcionários chineses sobre comprar a dívida europeia fizeram pouco para melhorar os temores em torno da Europa, e a China provavelmente não se apressará para ajudar a Itália, segundo analistas. As informações são da Dow Jones.

Publicidade