Clique e assine a partir de 8,90/mês

Wall Street fecha quase estável, sem entusiasmo depois de declarações do Fed

Por Spencer Platt - 20 jun 2012, 20h11

Wall Street fechou quase estável nesta quarta-feira, depois de uma sessão irregular onde os operadores acolheram sem entusiasmo a decisão do banco central americano de prolongar as medidas de estímulo econômico: o Dow Jones caiu 0,10% e o Nasdaq subiu 0,02%.

O Dow Jones Industrial Average retrocedeu 12,94 pontos, fechando em 12.824,39 unidades, enquanto o tecnológico Nasdaq subiu 0,69 pontos no final do dia, indo para 2.930,45 unidades.

O índice ampliado Standard & Poor’s 500, mais representativo da tendência geral, caiu 0,17% (-2,29 pontos), ficando em 1.355,69 unidades.

Em um mercado voltado para as decisões do Federal Reserve (Fed, banco central), que divulgou suas previsões no meio do dia e para as declarações de seu presidente, Ben Bernanke, o Dow Jones fechou com perdas leves depois de algumas altas.

O banco central dos Estados Unidos disse nesta quarta-feira que prolongaria, até o final do ano, a Operação Twist, um programa de intercâmbio de obrigações lançado em outubro de 2011 com o objetivo de reduzir ainda mais as taxas de juros a curto prazo.

Continua após a publicidade

A reação do mercado foi variada. A revisão para cima do desemprego nos Estados Unidos feita pelo Fed e a redução de suas previsões de crescimento preocupam fortemente os operadores, que veem a esperança de uma recuperação sólida da economia se diluir .

Contudo, para Mace Blicksilver, de Marblehead Asset Management, o fato de que a inflação esteja contida, o crescimento seja fraco e a Operação Twist seja estendida, faz os operadores pensarem que pode ser realizada uma terceira rodada de flexibilização monetária quantitativa, conhecida como QE3.

O especialista afirmou também que o Fed “fez mais do que havia previsto ao prolongar a Operação Twist até o final de 2012”.

Segundo o analista Peter Cardillo, “o Fed já queimou muitos cartuchos nesses últimos tempos (se referindo às operações de QE) e a bola já não está no seu campo”, resumiu Gregori Volokhine, de Meeschaert New York, em um momento onde os ventos contrários provenientes da Europa e a situação do mercado de emprego nos Estados Unidos pesam cada vez mais.

O mercado das obrigações fechou com leves perdas. O rendimento do bônus do tesouro a 10 anos subiu para 1,642%, contra 1,620% de terça-feira, e o do papel a 30 anos permaneceu quase estável em 2,724%, contra 2,727% de terça-feira. O rendimento das obrigações (juros que o emissor paga) evolui no sentido contrário a seu preço.

Continua após a publicidade
Publicidade