Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Vivo e Claro antecipam cronograma e começam disputa por 4G em SP

Oi deu início às vendas no RJ nesta quinta-feira; usuários da nova tecnologia são considerados estratégicos, pois pagarão mais caro pelos planos

As operadoras Claro e Telefonica/Vivo vão antecipar o início da comercialização do serviço de telefonia móvel de quarta geração (4G) em São Paulo. Pelo cronograma inicial da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), a capital paulista precisaria contar com o serviço apenas no final deste ano. Segundo as assessorias de imprensa, a Claro iniciou a venda de planos 4G nesta quinta-feira. A Telefonica/Vivo vai oferecer planos com a nova tecnologia a partir do dia 30.

Com a antecipação, as operadoras poderão vender seus novos planos no Dia das Mães, a segunda data mais importante do ano em vendas para o setor. Os clientes de 4G são considerados estratégicos pelas operadoras, pois pagarão um preço maior pelos planos. Em troca, poderão navegar por conexões que podem ser até dez vezes mais rápidas.

A Anatel estabeleceu um cronograma para a chegada da tecnologia de quarta geração ao país. O prazo final para a instalação de redes 4G nas cidades-sede da Copa das Confederações (Recife, Salvador, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Fortaleza e Brasília) é 30 de abril. Até o fim do ano, todas as cidades que receberão jogos da Copa do Mundo terão a nova tecnologia. Até maio do ano que vem, deverão receber a tecnologia capitais com mais de 500 mil habitantes. A partir daí, a operadora habilitará cidades menores e só deve atender cidades pequenas, com no mínimo 30 mil habitantes, no fim de 2017.

Segundo a Anatel, a expectativa da indústria é de que o Brasil tenha 4 milhões de celulares habilitados em 4G até o fim deste ano. Por enquanto, o serviço de 4G disponível neste ano no Brasil opera na faixa de 2,5 giga-hertz (GHz). Em janeiro do ano que vem, o governo vai licitar a faixa de 700 mega-hertz (MHz).

Leia ainda: Oi lança 4G no Rio e anuncia investimentos de R$ 1 bi na nova rede

Grandes operadoras dominam leilão de 4G

Plano de Banda Larga deverá ter aporte de R$ 125 bilhões

Como a maioria dos celulares habilitados para o 4G no mundo usam a faixa de 700 MHz, os estrangeiros que visitarão o Brasil nas competições terão de usar serviços 3G ou adquirir chips de operadoras brasileiras de 4G em 2,5 GHz.

Concorrência – A Claro já lançou o serviço em 11 cidades brasileiras: todas as cidades-sede da Copa das Confederações e Porto Alegre, Curitiba, Campos do Jordão (SP), Parati e Búzios (RJ). Já a Telefonica/Vivo lançará o 4G inicialmente em São Paulo e nas cidades da Copa das Confederações. A Oi começou a vender planos de 4G no Rio de Janeiro nesta quinta-feira e iniciará a venda nas outras cidades-sede da Copa das Confederações na primeira quinzena de maio.

A TIM não revelou seus planos, mas afirmou que vai cumprir o cronograma da Anatel. A operadora, em conjunto com a Oi, vai compartilhar antenas de transmissão do 4G. Segundo o diretor de Operações da Oi, James Meaney, a estratégia permitirá à Oi economizar 200 milhões de reais em investimentos até 2015. A Vivo e a Claro também manifestaram interesse em compartilhar antenas, mas não fizeram nenhum requerimento à Anatel.

Leia também:

Claro inicia cobertura 4G em cinco sedes da Copa

Governo confia em instalação de 4G para a Copa das Confederações

De olho na Copa, Anatel leiloa banda larga 4G

Metade das torres de 4G pode ter de ser compartilhada

(com Estadão Conteúdo e agência Reuters)