Clique e assine a partir de 9,90/mês

Vendas de veículos têm pior resultado em 10 anos

Índice registrou alta de apenas 1,4% em 2013, ante 7,3% no ano anterior

Por Da Redação - 13 fev 2014, 14h44

A taxa de crescimento do varejo ampliado (que abrange o setor automotivo e de material de construção), de 3,6%, ficou abaixo da verificada pelo varejo restrito, de 4,3%, em 2013, devido ao menor dinamismo no segmento de veículos e motos, partes e peças, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Apesar da redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para automóveis, a atividade registrou alta de apenas 1,4% nas vendas no ano passado, contra um aumento de 7,3% em 2012, o pior resultado desde 2003, quando o volume vendido caiu 7,2%.

Leia também:

Vendas do varejo têm pior resultado em 10 anos

Continua após a publicidade

Vendas de veículos caem 11,7% em janeiro no Brasil

“Como os veículos são bens duráveis, a capacidade de substituição desses bens é um pouco limitada. Ninguém troca de veículo todo ano”, disse a técnica da Coordenação de Serviços e Comércio do IBGE, Aleciana Gusmão. “Apesar das políticas de incentivo do governo, com taxas de IPI mais baixas, elas não têm tido o mesmo impacto que em anos anteriores”, acrescentou.

A atividade de material de construção, por sua vez, registrou crescimento de 6,9% em 2013, após um aumento de 8,0% em 2012. Segundo Aleciana, as condições de crédito ainda estão favoráveis para o segmento.

(com Estadão Conteúdo)

Publicidade