Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Vale dos Vinhedos ganha denominação de origem do Inpi

Produtores de vinhos e espumantes na região do Vale dos Vinhedos poderão certificar seus produtos com selo de qualidade nacional

Dez anos depois de terem se tornado os primeiros produtos brasileiros com Indicação Geográfica (IG) na modalidade Indicação de Procedência (IP), os vinhos e espumantes do Vale dos Vinhedos conquistaram também a Denominação de Origem (DO). O pedido, feito pela Associação dos Produtores de Vinhos Finos do Vale dos Vinhedos (Aprovale), foi deferido pelo Instituto Nacional de Propriedade Industrial (Inpi) na terça-feira (11), ao final de quase dois anos de análise.

A DO está no topo da certificação de produtos como o vinho e dá garantia de qualidade do produto ao consumidor, de acordo com o presidente da Aprovale, Rogério Carlos Valduga.

Para poder ostentar a DO em seus rótulos, os vinhos e espumantes terão de ser elaborados exclusivamente com uvas viníferas colhidas no Vale dos Vinhedos, uma área de 81 mil quilômetros quadrados localizada nos municípios de Bento Gonçalves, Garibaldi e Monte Belo do Sul, na serra do nordeste do Rio Grande do Sul.

Além disso, o sistema de cultivo da uva deve ser exclusivamente em espaldeira, com produção limitada a dez toneladas por hectare para vinhos e 12 toneladas por hectare para espumantes. Os vinhos varietais da região são merlot (tinto) e chardonnay (branco), mas estão admitidas, como complementares, as uvas cabernet sauvignon, cabernet franc, tannat e riesling itálico.

A Aprovale estima que a produção de vinhos da área aumentou cerca de 30% depois da IG, em 2002, chegando a volumes de 12 milhões a 14 milhões de garrafas por ano, e poderá saltar mais 10% com a DO.

(Com Agência Estado)