Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Vai receber 13º salário? Saiba se é hora de investir

Depois de pagar dívidas e planejar os gastos de começo do ano, nem pense em comprar aquele celular parcelado. Aproveite para fazer um bom investimento

Por Machado da Costa - Atualizado em 23 out 2018, 13h34 - Publicado em 23 out 2018, 13h17

Com a chegada do fim do ano, o pagamento do 13º salário vai colocar 211,2 bilhões de reais nos bolsos de aproximadamente 84,5 milhões de trabalhadores. São quase 2 500 reais por empregado com carteira assinada. Com esse dinheiro, cada um desses brasileiros pode comprar um celular, torrá-lo numa TV nova na Black Friday ou presentear amigos e familiares no Natal. Boa parte desses mesmos brasileiros estão entre os 61,4 milhões de cadastrados com nome sujo, que devem, em média, 4 462 reais. Ou seja, pode ser uma boa hora para quitar as dívidas, ou, ao menos, abatê-las. Mas, se você estiver livre delas, então, talvez seja o momento de investir.

Segundo Paula Sauer, planejadora financeira e professora de economia comportamental da ESPM, as dívidas devem ser a prioridade número um de qualquer devedor. “Não há qualquer outro gasto, qualquer outro investimento, que justifique o não pagamento de uma dívida. O brasileiro tem uma característica de enxergar o 13º como um prêmio, uma bonificação. Então, gasta de uma forma diferente. Mas é preciso entender que é tudo dinheiro”, afirma.

Essa também é a expectativa da Serasa Experian, uma das consultorias que calculam o número de pessoas inadimplentes no país. “Há um ano, estávamos com um milhão de pessoas a menos com o nome sujo. Esperamos uma queda no final do ano, por causa do 13º. Estamos esperando que as pessoas usem esse dinheiro para pagar dívidas”, diz Luis Rabi, economista da Serasa.

Caso as contas estejam pagas, o trabalhador deve estar atento a outros gastos que impactam o orçamento familiar no início do ano. Impostos como IPTU e IPVA, além de gastos com matricula e material escolar devem ser planejados agora.

Publicidade

“Se puder antecipar essas despesas, que não são recorrentes e têm data e hora para acontecer, é melhor. Muitas vezes, percebemos que as pessoas fazem o orçamento correto, mas esquecem de colocar essas despesas”, diz Sauer.

Depois disso, o trabalhador pode, sim, pensar em investir. Aliás, para a planejadora, é a melhor decisão antes de começar a gastar para presentear alguém ou a si próprio. “Inspira, expira e não pira”, diz Sauer. “Não pode sair comprando só porque entrou uma renda que não entra todo dia. Esse dinheiro é trabalho também. Então, se essas contas estão em dia, o certo é construir uma reserva financeira”, diz ela.

Para isso, há várias alternativas, sendo a mais indicada o Tesouro Direto. O ideal, segundo Sauer, é construir uma reserva equivalente a seis meses de salário, que tenha liquidez – que possa ser sacada rapidamente. Isso poderá garantir a tranquilidade desse trabalhador durante uma crise pessoal, seja um desemprego, ou um acidente ou problema de saúde. O Tesouro Direto acaba sendo o mais indicado devido a essa liquidez, baixas taxas para investir e por ter rentabilidade estável, diferentemente de investimentos em renda variável, como ações ou dólar.

“Depois dessa reserva, o trabalhador pode pensar em investir o dinheiro em gavetas: troca de um carro; viagem; reforma; curso; intercâmbio; investimentos de longo prazo; aposentadoria. Pensar em como usar o 13º é uma boa forma de começar esse planejamento”, diz Sauer.

Publicidade
Veja preços e taxas dos títulos do Tesouro Direto disponíveis para investir
Título Vencimento Rendimento (% a.a.) Valor Mínimo Preço Unitário
Indexados ao IPCA
Tesouro IPCA+ 2024 15/08/2024 4,85 R$ 47,91 R$ 2.395,94
Tesouro IPCA+ 2035 15/05/2035 5,27 R$ 40,51 R$ 1.350,64
Tesouro IPCA+ 2045 15/05/2045 5,27 R$ 32,37 R$ 809,30
Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais 2026 15/08/2026 4,83 R$ 34,21 R$ 3.421,01
Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais 2035 15/05/2035 5,15 R$ 35,29 R$ 3.529,90
Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais 2050 15/08/2050 5,2 R$ 35,78 R$ 3.578,05
Prefixados
Tesouro Prefixado 2021 01/01/2021 8,32 R$ 33,59 R$ 839,93
Tesouro Prefixado 2025 01/01/2025 9,97 R$ 33,37 R$ 556,30
Tesouro Prefixado com Juros Semestrais 2029 01/01/2029 10,28 R$ 30,47 R$ 1.015,86
Indexados à Taxa Selic
Tesouro Selic 2023 01/03/2023 0,01 R$ 97,67 R$ 9.767,39

 

Publicidade