Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Usiminas fica no azul pela 1ª vez em sete trimestres

Empresa somou lucro líquido de 115 milhões de reais no terceiro trimestre. Apesar da queda nas vendas de aço, siderúrgica conseguiu reduzir os custos de fabricação

Por Da Redação - 30 out 2013, 08h48

A maior produtora de aços planos do Brasil, a Usiminas, registrou no terceiro trimestre o primeiro resultado positivo desde o final de 2011. O lucro líquido de 115 milhões de reais obtido entre julho e setembro é fruto de corte de custos, aumentos de preços no Brasil e maior volume vendido no mercado interno. O balanço foi divulgado nesta quarta-feira. No mesmo período do ano passado, a empresa amargoi prejuízo de 125 milhões de reais e, no segundo trimestre deste ano, de 22 milhões de reais.

A geração de caixa da siderúrgica, medida pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda), na versão ajustado (somadas despesas não recorrentes) somou 538 milhões de reais. O resultado veio acima dos 150 milhões de reais obtidos um ano antes e dos 441 milhões do segundo trimestre de 2013.

Leia mais:

Lucro da Petrobras cai 45% no 3º trimestre – a R$ 3,3 bilhões

Publicidade

Usiminas quer porto da MMX operando – e nega compra

A despeito do resultado positivo, houve queda de 3% na produção de aço bruto em comparação ao terceiro trimestre do ano passado. A companhia fabricou 1,78 milhão de toneladas do produto. No mesmo intervalo, as vendas também recuaram 10,5%, para 1,56 milhão, com 93% deste total voltado ao Brasil. A Usiminas sofre, desde 2009, com a desaceleração da demanda internacional do aço, consequência da crise econômico-financeira. Assim, a companhia precisou voltar-se mais para o mercado nacional.

Em compensação, a boa notícia é que a empresa conseguiu diminuir em quase 17% os custos do produto, para 2,74 bilhões de reais no terceiro trimestre. As vendas do minério de ferro também foram animadoras: subiram 60% em relação a 2012 e 34% ante o segundo trimestre deste ano para 1,83 milhão de toneladas. Mas, sua produção deixou a desejar, ao cair 32% para 1,2 milhão de toneladas.

“No Brasil, a produção industrial teve desempenho fraco, frustrando as expectativas de uma recuperação consistente da atividade industrial”, afirmou a empresa no balanço. “Os indicadores de confiança do consumidor e da indústria, entretanto, recuperaram-se ao longo do terceiro trimestre, mas permanecem em patamares inferiores à média de 2012 e à do primeiro semestre deste ano”, acrescentou.

Publicidade

A Usiminas encerrou o terceiro trimestre com dívida líquida de 3,5 bilhões de reais ante 4,13 bilhões um ano antes. O caixa no período caiu 16%, para 3,99 bilhões de reais, com a relação dívida líquida sobre Ebitda atingindo 2,3 vezes.

(com agência Reuters

Publicidade