Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

União Europeia quer evitar saída da Grécia do euro

Presidente da Comissão Europeia diz que cúpula desta terça é uma nova chance de retornar à mesa de negociações: 'Queremos entender o que o povo grego quis dizer'

No dia em que os líderes europeus vão se reunir para debater a crise grega, o presidente da Comissão Europeia Jean-Claude Juncker afirmou que deseja evitar a saída da Grécia da zona do euro. “Minha vontade, meu desejo é evitar um Grexit“, afirmou Juncker nesta terça-feira, usando o termo pelo qual a eventual saída da Grécia da zona do euro é conhecida.

Em referendo no último domingo, os eleitores gregos votaram contra as novas medidas de austeridade exigidas pelos credores internacionais – colocando em risco a permanência do país no euro.

LEIA TAMBÉM:

Alemanha sinaliza que não vai aliviar dívida grega

E se você fosse a Grécia?

Falando ao Parlamento Europeu, em Estrasburgo, Juncker disse que a reunião desta terça não vai trazer uma saída rápida para o impasse na Grécia. “A solução não virá da noite para o dia.” Juncker explicou que a cúpula de líderes, que será precedida por uma reunião de ministros de Finanças do bloco, será uma chance de retornar à mesa de negociações com o primeiro-ministro da Grécia, Alexis Tsipras. “A Comissão fará todo o necessário para que as negociações sejam retomadas”, disse Juncker.

O presidente da Comissão Europeia afirmou ainda que cabe ao premiê grego explicar como o país pretende “sair dessa situação”. “Queremos entender o que o povo grego quis dizer. Me disseram que não se trata de um ‘não’ à Europa, não se trata de um ‘não’ ao euro”, afirmou.

Juncker não deu detalhes de como seria um eventual acordo para superar as divergências entre a Grécia e seus credores, que incluem a própria comissão, o Banco Central Europeu (BCE) e o Fundo Monetário Internacional (FMI). Ontem, muitos representantes do lado dos credores repetiram as exigências de que Atenas coloque em prática as reformas de políticas e cortes orçamentários que os gregos rejeitaram no referendo do fim de semana.

(Com agências France-Presse e Estadão Conteúdo)