Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Twitter segue Google e Facebook e restringe anúncios de criptomoedas

Outras plataformas, como Facebook e Google, já haviam decidido vetar a publicidade de moedas digitais no início deste ano

Por Reuters Atualizado em 27 mar 2018, 13h02 - Publicado em 27 mar 2018, 13h00

Twitter vai proibir a maior parte da publicidade vinculada a moedas digitais, como a bitcoin, de sua plataforma, aderindo a decisões tomadas por Facebook e Google, anunciou o site de microblogs.

A companhia vai lançar nesta semana uma política que proíbe a publicidade de ofertas públicas iniciais de moedas (ICOs), uma forma de arrecadação coletiva de recursos usada para levantar dinheiro por meio da criação de novas moedas. A política também vai proibir anúncios que promovem vendas de créditos e serviços de carteira de moedas eletrônicas, afirmou o Twitter.

  • Além disso, o Twitter vai proibir anúncios de bolsas de negociação de criptomoedas, mas vai abrir algumas exceções.

    O Twitter tinha alertado neste mês que estava tomando medidas para impedir que contas relacionadas a criptomoedas “interajam com outras de maneira enganosa”, mas recebeu pedidos para ser mais duro após as proibições decididas por Facebook e Google.

    O Facebook restringiu anúncios de moedas digitais em fevereiro e o Google divulgou este mês que uma proibição entrará em vigor em junho.

    A rede social informou a VEJA que a decisão tem como objetivo manter o compromisso de segurança com seus usuários. “O Twitter continuará a aperfeiçoar essa política à medida que a indústria evoluir”, afirmou em nota.

    Continua após a publicidade
    Publicidade