Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

TIM: nova regra começará por Estados do Nordeste

Alagoas, Ceará, Pernambuco, Paraíba, Piauí e Rio Grande do Norte poderão já na próxima semana beneficiar-se da nova regra

A TIM informou nesta quarta-feira que os seis Estados do Nordeste onde implantará já na próxima semana o novo método que dará ao usuário 120 segundos para refazer chamadas que caírem são Alagoas, Ceará, Pernambuco, Paraíba, Piauí e Rio Grande do Norte. A empresa destaca, ainda, que trabalha com a previsão de que a novidade seja implementada para os clientes de todo o Brasil até o final de setembro.

A TIM esclareceu também que garantirá ao usuário o prazo de até 120 segundos para que a chamada seja retomada, no caso de queda da ligação, conforme sugestão da Anatel. Mais cedo, a empresa informou que poderia oferecer prazo um pouco maior que 120 segundos.

Leia mais:

Nova regra sobre ligação telefônica deve valer em um mês

Operadoras não poderão cobrar nova chamada quando linha cair

Segundo a nova regra proposta pela Anatel, em qualquer caso de interrupção de chamada entre dois usuários, a nova ligação realizada em até dois minutos será a continuação da chamada anterior. “A evolução tecnológica e de ofertas que a TIM liderou ao longo dos últimos anos acompanha, indiscutivelmente, a proposta da Anatel. Neste sentido, a empresa buscará se antecipar, iniciando já na próxima semana o processo de implementação da nova solução em seis estados da região Nordeste”, diz Mario Girasole, vice-presidente de Assuntos Regulatórios e Institucionais, em nota.

O texto ressaltou que a “TIM reafirma seu compromisso com a prestação de serviços de qualidade e segue com a execução do Plano de Ações de Melhoria, recentemente aprovado pela Anatel, que prevê dentre outras ações, a expansão da capacidade da rede de voz e dados”. Até 2014, a empresa prevê investimentos de 9,5 bilhões de reais, sendo 3,5 bilhões de reais ainda neste ano.

Leia também: TIM teria quedas acima da meta, diz Anatel

TIM contesta relatório da Anatel que acusa empresa de derrubar sinal de propósito

(Com Agência Estado)