Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Temer: Petrobras se recuperou depois de ser ‘quase um palavrão’

Em discurso, presidente afirmou que a petroleira se reergueu e que os "abusos" ficaram no passado

Por Agência Brasil Atualizado em 22 dez 2017, 12h32 - Publicado em 21 dez 2017, 22h07

O presidente Michel Temer afirmou nesta quinta-feira, durante evento no Planalto para a divulgação do Plano de Negócios e Gestão (PNG) da Petrobras, que a estatal conseguiu se reerguer depois de ser “quase um palavrão”. O plano prevê investimentos de 74,5 bilhões de dólares (245,3 bilhões de reais) entre 2018 e 2022.

“Há dois anos e meio, a Petrobras era quase um palavrão porque ficou muito desmoralizada e o Pedro [Parente, presidente da estatal] conseguiu, patrocinado pelo Ministério de Minas e Energia, reerguer a Petrobras para que eu pudesse dizer exatamente essas palavras”, afirmou. “Por isso nós cuidaremos para que a Petrobras permaneça como uma referência de profissionalismo no Brasil e no mundo.”

  • Temer classificou os casos de corrupção na petroleira, revelados desde 2014 pela Operação Lava Jato, como “abusos” que hoje foram extintos do cotidiano da empesa. “Se no passado houve abusos na Petrobras, eles foram expungidos, eliminados. E permitem ao Pedro [Parente] e ao Fernando [Coelho Filho, ministro de Minas e Energia] apresentar um plano de trabalho com bilhões [de reais] em investimentos. E não é um plano populista, para amanhã ou depois. Vai de 2018 a 2022. É um plano responsável, como tem sido responsáveis os atos do governo.”

    Ao fazer um balanço financeiro e administrativo da companhia, o presidente da Petrobras, Pedro Parente, disse que a iniciativa de incorporar o valor dos riscos ao fluxo de caixa aumenta a previsibilidade das ações de gestão da estatal. Dentre as novas estratégias que serão introduzidas, Parente ressaltou o objetivo de reduzir as emissões de baixo carbono a partir do próximo ano.

    Continua após a publicidade
    Publicidade