Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês

Telefónica arremata GVT por R$ 21,8 bilhões

Vivendi, dona da empresa brasileira de telecom, receberá parte do montante acordado em ações e outra fatia em dinheiro. Telefónica também repassou participação na Telecom Italia

Por Da Redação 19 set 2014, 09h07

O grupo francês de mídia Vivendi concluiu um acordo para vender seu negócio brasileiro de banda larga GVT para a espanhola Telefónica por 7,2 bilhões de euros (21,81 bilhões de reais). A expectativa é que o negócio seja concluído em meados de 2015, após aprovação regulatória, especialmente no Brasil.

A Telefónica planeja incorporar a GVT à Vivo, sua marca de telefonia móvel no Brasil, para criar o maior grupo de telecomunicações do país. O momento é propício: as empresas de telecomunicações buscam cada vez mais oferecer pacotes de celular e serviços de telefonia fixa, incluindo internet de banda larga e TV.

Para a Vivendi, a venda da GVT coroa uma tumultuada revisão de dois anos, em que vendeu três negócios de telecomunicações e seu braço de videogames (Activision Blizzard, dona da popular franquia de videogame “Call of Duty”) para pagar dívida e se concentrar mais em mídia e conteúdo, como parte de uma estratégia defendida pelo presidente do Conselho de Administração da companhia, Vincent Bolloré.

Os analistas têm sugerido que uma parceria entre a Vivendi, que detém a operadora francesa de TV por assinatura Canal Plus, e a Mediaset Premium poderia fazer sentido.

Leia mais:

Telefónica deixará Telecom Italia após concluir compra da GVT

Continua após a publicidade

Vivendi escolhe proposta da Telefónica pela GVT, mas ainda vai avaliar acordo

IM diz não ter ainda recebido propostas de compra

Sob o acordo, a Vivendi vai receber não apenas uma participação acionária de 7,4% na Telefônica Brasil (holding que abrigará Vivo e GVT), mas também 4,66 bilhões de euros (14,11 bilhões de reais) em dinheiro. A empresa francesa também tinha a opção de tomar a fatia da Telecom Italia em posse da Telefónica ou ganhar, no lugar, 4,6% adicionais da Telefônica Brasil. A Vivendi, então, optou por ficar com a fatia na Telecom Italia, que corresponde a 8,3% do capital com direito a voto (5,7% do total do capital da empresa italiana). Assim, a francesa poderá focar esforços na área de conteúdo na Itália.

A fatia da Telefônica Brasil foi avaliada em 2,02 bilhões de euros, tendo como referência a data de 18 de setembro, e as ações da Telecom Italia adquiridas pela Vivendi em 1,01 bilhão de euros.

Em comunicado à Comissão de Valores Mobiliários, a Telefônica Brasil afirmou que poderá financiar o pagamento da parcela em dinheiro do negócio com um aumento de seu capital social, “cujos termos e condições serão oportunamente determinados pelo Conselho de Administração”. A empresa estimou sinergias de pelo menos 4,7 bilhões de euros no Brasil com o negócio.

Competidores – A Telefónica é a maior acionista da Telecom Italia, mas as duas empresas estão em uma relação tensa há anos, pois também competem no Brasil. A Telecom Italia controla a TIM Participações no país. Após a venda de sua participação para a Vivendi e a conversão de um bônus em breve, a Telefónica terá terminado sua parceria de sete anos com a Telecom Italia.

(com agência Reuters)

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)