Clique e assine a partir de 8,90/mês

Sexta-feira é o dia com mais acidentes de carro em SP e RJ

Nos finais de semana em São Paulo o número de colisões é baixo em comparação aos dias úteis, sábado detém 13,26% dos incidentes

Por Da redação - 18 ago 2017, 08h12

Vai dirigir nesta sexta-feira? Melhor redobrar o cuidado, pois pesquisas indicam que este é o dia em que mais acontecem batidas de carro nas cidades de São Paulo e Rio de Janeiro.

Dados do P.A.R.E (Posto de Atendimento Rápido Especializado) do Grupo Segurador Banco do Brasil e Mapfre mostram que foram registradas 17,9 mil colisões em São Paulo no período de julho de 2016 e junho de 2017. Desse total, 17,10% ocorreram na sexta-feira. O período da tarde também foi apontado como o de maior incidência de colisões, com 38,58% dos casos.

Das 6.000 batidas verificadas no Rio em igual período, 16% aconteceram no último dia útil da semana. O período da tarde também se destacou como o horário com mais acidentes (38%).

Para o diretor de sinistros de automóvel do grupo segurador Banco do Brasil e Mapfre, Rogério Esteves, a sexta-feira é campeã de acidentes por ser, costumeiramente, o dia com trânsito nas cidades. “Na sexta, há mais pessoas utilizando o carro para ir trabalhar, além de ter gente com menos experiência na condução.”

Um dado curioso, segundo ele, é que a maioria dos acidentes ocorre quando o motorista está mais relaxado e perto de casa.

Em segundo lugar no ranking de dias com mais colisões aparece a quinta-feira, com 15,44% dos casos verificados em São Paulo. Os demais dias da semana apresentam poucas diferenças entre si – na quarta-feira ocorrem 15% das batidas, seguida pela segunda-feira (14,77%) e terça-feira (14,26%).

Os porcentuais caem nos fins de semana: sábado detém 13,26% das batidas de carro e domingo tem 10,16% dos casos.

Continua após a publicidade

Na cidade carioca, três dias da semana apresentaram a mesma frequência de acidentes: segundas, terças e quintas-feiras, com 15% dos casos. Diferentemente de São Paulo, quando a taxa de colisões cai no fim de semana, no Rio de Janeiro o sábado também apresenta 15% dos acidentes. Já no domingo a média cai para 11%.

O horário foi outro ponto analisado pelo relatório. Em São Paulo, pela manhã, ocorreram 29,56% dos registros, enquanto o período noturno ficou com 26,55% das colisões. A madrugada tem 5,30% das ocorrências.

No Rio de Janeiro, a manhã registrou 30% dos acidentes, outros 25% aconteceram durante a noite e 7% na madrugada.

Perfil

Entre os motoristas da cidade de São Paulo, os que mais se acidentaram foram os homens (79,35%), com faixa etária entre 27 e 36 anos (30,06%). Na sequência, aparecem os condutores entre 37 e 46 anos (25,36%). Os maiores de 68 anos aparecem com 3,62% dos casos.

No Rio de Janeiro, os homens também figuraram outra vez na lista dos que mais se envolvem em acidentes: 75% das batidas. Por faixa etária, os recordistas são os que têm entre 27 e 36 anos (26%). Os motoristas de 37 a 46 anos se envolveram em 25% das colisões. Lá, os motoristas entre 18 e 26 anos foram responsáveis por 10% dos acidentes.

Para Esteves, os resultados mostram que as mulheres e jovens parecem ter uma postura mais cautelosa no trânsito. “Quando as pessoas aprendem a dirigir, normalmente aos 18 e 26 anos, são mais cautelosas. Ao passar para a próxima faixa de idade (27 a 36 anos), elas estão mais confiantes e ficam mais relaxadas”.

Mesmo que a pesquisa aponte para um índice menor de acidentes com carro entre os mais novos, os seguros para essa faixa etária costumam ser mais caros. Segurados mais velhos que moram com menores de 26 anos também pagam mais, pois há o risco de emprestar o carro aos mais novos.

 

Continua após a publicidade
Publicidade