Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Sem balanço, Petrobras pode perder grau de investimento, diz S&P

A agência deverá colocar o rating em revisão; estatal já perdeu o grau de investimento pela Moody's

A Petrobras poderá perder o grau de investimento pela agência Standard & Poor’s se deixar de divulgar seu balanço dentro do prazo previsto. A agência deverá colocar o rating em revisão independente de sua dívida ter sido acelerada pelos detentores de bônus. “O perfil de crédito individual (SACP, na sigla em inglês) da empresa para B+, de BB, será atingido se não divulgar o balanço em tempo, o que irá afetar o rating final da companhia”, disse Luciano Gremone, da equipe de análise de empresas da S&P em teleconferência na manhã desta terça-feira.

Leia mais:

Skanska diz que unidade brasileira será incluída em investigação sobre Petrobras

Graça Foster falará à CPI da Petrobras nesta quinta-feira

“Se houver rebaixamento do perfil para B ou abaixo disso, o rating final será afetado, portanto, se mover para abaixo do grau de investimento, disse Gremone. Na segunda-feira, o rating da companhia foi mantido em BBB-, a apenas um degrau de perder o grau de investimento. A agência também revisou o perfil de crédito individual (SACP, na sigla em inglês) da empresa para B+, de BB.

A Petrobras já perdeu o grau de investimento pela Moody’s e o corte por uma segunda agência obrigará alguns fundos, que apenas podem manter em carteira papéis que sejam grau de investimento por duas agências, a desovarem suas posições. Parte desses fundos já se antecipou, mas ainda existe um novo fluxo potencial de vendas de bônus da Petrobras se a companhia perder o grau de investimento por uma segunda agência.

Default – Gremone afirmou também que o rating da Petrobras não deve ser movido para a categoria D, que significa default, caso haja um evento de aceleração da dívida da companhia. “O default é para nós um evento de não pagamento, o fato de receber uma notificação ou haver aceleração da dívida em si não caracteriza um default”, acrescentou. Segundo ele, os ratings potencialmente só vão para default (D) se não houver pagamento dos compromissos.

(Com Estadão Conteúdo)