Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Relacionamento com Israel veio para ficar, diz Bolsonaro a empresários

Benjamin Netanyahu disse que “não há melhor parceira atual no mundo” do que a traçada entre as duas nações

Por Julia Braun, de Jerusalém - Atualizado em 2 abr 2019, 07h44 - Publicado em 2 abr 2019, 05h50

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta terça-feira, 2, em um evento para empresários em Israel, que seu relacionamento com o país asiático “veio para ficar”. O primeiro-ministro Benjamin Netanyahu também ressaltou as novas conquistas e disse que “não há melhor parceira atual no mundo” do que a traçada entre as duas nações.

Em um pronunciamento mais descontraído do que os anteriores em sua visita à Jerusalém, o presidente brasileiro não seguiu nenhum roteiro em seu discurso de 11 minutos. Bolsonaro ressaltou o recente “noivado” concretizado com Israel após o anúncio da abertura de um escritório para a promoção da ciência, tecnologia e negócios.

“E como há pouco nos tornamos noivos, abrindo aqui uma representação de negócios, tecnologia, pesquisa e inovação em Jerusalém, os senhores começam cada vez mais a notar que esse nosso relacionamento veio para ficar”, afirmou.

O primeiro-ministro israelense, por sua vez, afirmou que as duas nações têm “uma oportunidade maravilhosa para mudar o mundo e mudar nosso futuro para melhor”.

Publicidade

“Eu acredito que não há melhor parceira atual no mundo do que a parceria entre Brasil e Israel”, disse. Netanyahu apresentou dados sobre a economia israelense e investimentos em tecnologias e outros setores.

Os líderes abriram um encontro empresarial Brasil-Israel realizado no hotel David Citadel, em Jerusalém. Segundo a organização do evento, é prevista a presença de 200 a 250 representantes comerciais.

Em seu discurso, Bolsonaro também estimulou os investrimentos nas áreas de biodiversidade e de minério. O presidente insistiu na grande disponibilidade de grafeno no solo brasileiro.

O material é conhecido como um dos elementos que podem revolucionar a indústria tecnológica devido a sua resistência, leveza, transparência e flexibilidade, além de ser um ótimo condutor de eletricidade.

Publicidade

Antes do evento, Bolsonaro tomou café da manhã com CEOs de empresas israelenses e israelo-brasileiras. Ao lado de Benjamin Netanyhu, o presidente também visitou uma exposição de produtos de empresas de inovação.

O presidente testou uma nova tecnologia israelense de reconhecimento facial e ouviu algumas explicações sobre os produtos em exposição.

Bolsonaro ainda tem previsto para esta manhã uma visita à empresa fabricante de sistemas para veículos autônomos, Mobileye. O líder brasileiro e o primeiro-ministro farão um passeio em um dos veículos da companhia.

O presidente ainda deverá participar de um almoço com empresários no hotel onde é realizada a conferência. Pela tarde, visitará o memorial oficial para recordar as vítimas do Holocausto (Yad Vashem) e participará de uma cerimônia para o plantio de uma muda de oliveira no Bosque das Nações, também em Jerusalém.

Publicidade

Evento empresarial

O evento com executivos, organizado pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), em parceira com o Ministério das Relações Exteriores (MRE), reune cerca de 60 empresas brasileiras dos setores de construção civil, alimentos e bebidas, saúde, defesa e pescado.

Será lançado um programa de atração de startups estrangeiras para o Brasil, o Scaleup in Brazil. Durante a tarde, também serão realizadas rodadas de negócios entre compradores israelenses e as empresas brasileiras.

Publicidade