Clique e assine a partir de 9,90/mês

‘Prévia da inflação’ de março fica em 0,02% com queda nas passagens aéreas

É a menor taxa para o mês desde o início do Plano Real; setor aéreo foi o primeiro a sentir o impacto da pandemia do coronavírus

Por Larissa Quintino - Atualizado em 25 mar 2020, 12h38 - Publicado em 25 mar 2020, 10h12

Influenciada pela retração de 16,88% no preço das passagens aéreas, a prévia da inflação de março registrou 0,02%, o menor resultado para o mês desde o início do Plano Real, em julho de 1994. O setor aéreo foi o primeiro a sentir o impacto da pandemia do coronavírus, com cancelamento generalizado de voos e queda brusca das ofertas de voos. Os dados são do IPCA-15, divulgado nesta quarta-feira, 25, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 

Com o resultado, o IPCA-E (IPCA-15 acumulado trimestralmente) ficou em 0,95%. Em 12 meses, o índice alcançou 3,67%, abaixo dos 4,21% registrados nos 12 meses imediatamente anteriores.

Os transportes exerceram a maior influência de queda sobre o IPCA-15, com deflação de 0,8%. Além das passagens aéreas, houve queda também na gasolina (-1,18%),  etanol (-1,06%),  óleo diesel (-1,95%) e gás veicular (-0,89%). Em Habitação (-0,28%), a queda é explicada principalmente pelo item energia elétrica (-1,30%), já que permanece em vigor a bandeira tarifária verde, em que não há cobrança adicional nas contas de luz.

No lado das altas, a maior contribuição positiva veio do grupo Saúde e Cuidados pessoais (0,84%), cujo resultado refletiu o aumento de preços nos itens de higiene pessoal (2,36%), com o papel higiênico subindo 1,24%. O item plano de saúde também impactou e subiu 0,60%.

Nos alimentos e bebidas, houve alta de de 0,35% em março. A alimentação no domicílio, que havia registrado queda em fevereiro (-0,32%), subiu 0,49% em março, influenciada pelas altas da cenoura (23,92%), do ovo de galinha (5,10%), do tomate (4,93%) e do leite longa vida (1,37%). Além disso, as carnes (-1,81%) apresentaram queda menos intensa em relação a fevereiro (-5,04%).

Forma de coleta

Os preços que compõem o IPCA-15 de março foram totalmente obtidos por coleta presencial entre 12 de fevereiro e 16 de março. Em função do quadro de emergência de saúde pública decorrente do coronavírus (Covid-19), adaptações metodológicas estão sendo consideradas pelo IBGE, de modo que a próxima divulgação do índice seja baseada em coletas online e por telefone.

Continua após a publicidade
Publicidade