Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês

Prévia da inflação acelera para 0,88% em janeiro, diz IBGE

Em dezembro, IPCA-15 havia subido 0,69%. Indicador preliminar de janeiro veio acima de expectativas do mercado (0,83%)

Por Da Redação 23 jan 2013, 08h46

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15), considerado uma prévia da inflação oficial do país, subiu 0,88% em janeiro, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quarta-feira. Em dezembro, o indicador havia avançado 0,69%, na maior alta desde maio de 2011, acumulando no ano alta de 5,78%. O resultado veio acima da mediana projetada por economistas, que esperavam alta de 0,83% para o indicador e aumenta ainda mais a atenção sobre os próximos passos de política monetária do Banco Central (BC)

Em 12 meses até janeiro, a inflação agora registra alta de 6,02%, afastando-se ainda mais do centro da meta do governo de 4,5%, medido pelo IPCA. Segundo o IBGE, o grupo despesas pessoais registrou alta de 1,8% em janeiro, ante alta de 1,1% em dezembro. Já Alimentação e bebidas mostrou alta de 1,45%, acelerando ante leitura de 0,97% no mês passado. Juntos, os dois grupos responderam por 61% do índice do mês, com impacto de 0,35 ponto percentual (p.p.) de alimentação e de 0,19 p.p. de despesas pessoais.

Entre os alimentos, destacou a aceleração dos preços de hortaliças (de 2,67 para 6,48%), feijão-carioca (de -0,10 para 6,25%), tomate (de 0,72 para 6,02%), entre outros. Já entre as despesas pessoais, destaque para o aumento dos preços de cigarro (de 2,66 para 7,05%) e excursão (de 12,15 para 16,18%). O grupo Transportes, ainda segundo o IPCA, mostrou desaceleração, com alta de 0,68% neste mês, ante 0,71% em dezembro.

Leia também:

Meta de inflação está sendo jogada pela janela, diz FT

Com reformas de Dilma, Brasil não é mais porto seguro

Continua após a publicidade

Credibilidade da política fiscal brasileira está na UTI

Tendência – O mercado vem elevando há três semanas sua expectativa para a inflação neste ano. O relatório Focus desta semana, em que o Banco Central (BC) compila expectativas de economistas,aponta para janeiro alta de 0,81%, ante 0,78% esperado na semana passada. Há quatro semanas, a estimativa para o primeiro mês do ano era de 0,73%. Para 2013, os analistas passaram de 5,53% para 5,65% a projeção média para o IPCA – a terceira alta consecutiva. A projeção já subiu 0,18 ponto porcentual em quatro semanas.

Na semana passada, o Comitê de Política Monetária (Copom), do BC, decidiu manter a taxa básica de juros do país em 7,25% ao ano – recorde de baixa – e deixou claro, em seu comunicado, que esse patamar de juros veio para ficar, ainda que admite que a inflação esteja alta – o IPCA fechou em 5,84% em 2012.

“Considerando o balanço de riscos para a inflação, que apresentou piora no curto prazo, a recuperação da atividade doméstica, menos intensa do que o esperado, e a complexidade que ainda envolve o ambiente internacional, o Comitê entende que a estabilidade das condições monetárias por um período de tempo suficientemente prolongado é a estratégia mais adequada para garantir a convergência da inflação para a meta”, diz o anúncio.

Parte do governo ainda espera que os preços mostrem uma queda depois da pressão de alta que ainda deve ser registrada em janeiro e fevereiro, diante da esperada safra recorde de grãos como milho e soja. Há ainda a expectativa de que a diminuição do preço da energia elétrica em 20% em média vai compensar a alta esperada dos preços, especialmente do reajuste da gasolina.

Agora, o mercado, que continua vendo a Selic estável ao longo deste ano, aguarda a divulgação da ata da reunião do Copom na quinta-feira em busca de mais detalhes sobre a avaliação do BC em relação ao comportamento dos preços.

(com agência;”>Reuters

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)