Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Por que a inflação dos EUA afeta tanto o mercado financeiro

Maior alta dos preços em mais de 10 anos provoca venda massiva de ações e títulos públicos americanos, que balizam a força do dólar

Por Luisa Purchio Atualizado em 13 Maio 2021, 12h44 - Publicado em 12 Maio 2021, 12h39

A despeito das declarações do Federal Reserve Bank sobre a inflação americana ser temporária, o mercado financeiro continua preocupado com a alta dos preços e precifica uma alta dos juros americano já no final de 2022. Dados divulgados na manhã desta quarta-feira, 12, pelo Departamento de Estatísticas do Trabalho dos Estados Unidos, contribuem com essa especulação e impulsionam uma venda massiva tanto de ações quanto de títulos públicos.

A publicação apontou que a inflação nos Estados Unidos em abril foi de 0,8% em relação a março, quatro vezes acima da expectativa do mercado, que aguardava uma alta de apenas 0,2%, e a maior alta desde 2009. Já no acumulado do ano a alta foi de 4,1%, também acima da estimativa, de 3,6%. Já a inflação núcleo, chamada de Core Consumer Price Index (CPI) e que exclui a variação nos preços de commodities e alimentos veio em alta mensal de 0,9%, três vezes a expectativa de 0,3%. Na variação anual, a alta foi de 3%, quase o dobro de março, que veio com subida de 1,6%, e acima da expectativa do mercado, que estimou alta de 2,3%.

Logo após a divulgação, que ocorreu às 9h30 no horário de Brasília, os futuros do índice Dow Jones despencaram 0,34% em relação ao patamar imediatamente anterior da publicação e o mesmo ocorreu com os futuros do S&P 500, que caíram 0,53%. Já na bolsa de valores brasileira, o Ibovespa futuro chegou a cair 0,41%, se refletindo em um movimento baixista nos mercados à vista na abertura da B3.

Os preços dos títulos públicos americanos de 10 anos, por sua vez, os ativos mais seguros do mundo, despencaram e o juros subiram fortemente, cerca de 1,66%, impactando no dólar. O DXY, índice que mede a força do dólar em relação a uma cesta de moedas, principalmente o euro, subia 0,32% por volta das 10h30 no horário de Brasília. No horário, o dólar comercial subia 0,22% em relação ao real, para 5,2337 reais.

  • “Os dados reforçam o medo do mercado financeiro americano sobre a inflação e aumenta o movimento de vendas tanto de ações quanto dos títulos públicos, colocando pressão altista sobre suas taxas. A razão pela qual os preços dos bonds estão caindo e seu rendimento está aumentando é porque o índice de preços ao consumidor subiu muito”, diz Alejandro Ortiz, economista da Guide Investimentos.

    Ainda assim, muitos analistas concordam com o Fed e acreditam que a alta de preços é temporária, mesmo que os dados de abril tenham vindo bastante acima da expectativa do mercado. “Em primeiro lugar essa pressão de preços interanual é fruto de uma base de comparação muito deprimida. O aumento em abril deste ano é alto quando comparado com abril do ano passado. Além disso, há uma demanda em expansão frente a uma oferta que não consegue se normalizar com a mesma rapidez, o que também é temporário”, diz ele.

    Continua após a publicidade
    Publicidade