Clique e assine a partir de 9,90/mês

Petrobras impulsiona Bovespa e Dow Jones tem novo recorde

Bolsas tiveram dia positivo após divulgação de dados do emprego nos EUA e aumento do preço do diesel no Brasil

Por Da Redação - 6 mar 2013, 19h57

O reajuste do diesel que começou a vigorar nesta quarta-feira pegou o mercado de surpresa e estimulou a procura por ações da Petrobras, o que impulsionou os negócios na BM&FBovespa. O principal índice da Bolsa teve o maior ganho porcentual desde julho do ano passado, conduzido pelo salto de quase 15% das ações ON da Petrobras. Vale e siderúrgicas não ficaram atrás e também deram sua contribuição para o índice retomar 58 mil pontos durante os negócios.

O Ibovespa terminou a sessão com ganho de 3,56%, de volta aos 57 mil pontos, com 57.940,14 pontos. Foi a maior alta porcentual num dia desde 27 de julho de 2012, quando teve variação de 4,72%. Na mínima, registrou 55.953 pontos (estabilidade) e, na máxima, 58.150 pontos (3,93%). O resultado desta sessão apagou as perdas de março, que agora acumula alta de 0,90%. No ano, entretanto, a Bolsa tem queda de 4,94%. O giro financeiro totalizou 9,161 bilhões de reais.

Inesperado, o aumento do combustível levou as instituições a refazerem os cálculos para os preços-alvo das ações/ADRs da Petrobras. A ação ON, mais penalizada recentemente, disparou 15,16%, a maior elevação do índice no dia, também influenciada pela leitura de que a política diferenciada de dividendos poderá ser revista. A ação PN saltou 9%.

Estados Unidos – Em Wall Street, dois dos três principais índices acionários norte-americanos encerraram no azul, com o Dow Jones atingindo mais um recorde: alta de 0,3% para uma nova máxima de 14.296 pontos. O índice Standard & Poor’s 500 teve valorização de 0,11%, para 1.541 pontos, enquanto o termômetro de tecnologia Nasdaq caiu 0,05%, para 3.222 pontos.

Continua após a publicidade

A melhora em dados sobre o mercado de trabalho deram um tom positivo à sessão, impulsionando a confiança entre investidores antes da divulgação, na sexta-feira, de dados mais abrangentes sobre emprego nos Estados Unidos. Os empregadores do setor privado do país contrataram mais do que o esperado em fevereiro, reforçando as esperanças de que o crescimento no emprego estava melhorando no período, apesar de impostos mais altos e de cortes profundos de gastos governamentais.

Os dados desta quarta-feira foram anunciados após leituras igualmente fortes sobre os setores imobiliário e de serviços, que contribuíram para o avanço do Dow Jones a máximas históricas na véspera e levaram o S&P 500 a se aproximar de seu nível recorde de fechamento.

A manutenção dos estímulos do Federal Reserve, banco central norte-americano, e preços razoavelmente atraentes de papéis quando comparados a outros ativos têm impulsionado as bolsas de valores.

(Com Estadão Conteúdo)

Publicidade