Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Parlamentares contrariam Planalto e elevam despesa em R$1,2 bi

Por Da Redação 10 nov 2011, 13h29

BRASÍLIA (Reuters) – No mesmo dia em que a presidente Dilma Rousseff e o ministro da Fazenda cobraram compromisso de deputados e senadores com a solidez fiscal, a Comissão Mista de Orçamento aprovou nesta quinta-feira uma despesa extra de 1,19 bilhão na peça orçamentária de 2012.

Esse valor representa os 2 milhões a mais que cada um dos 594 deputados e senadores terão direito por emendas individuais, de um total de 15 milhões de reais. No Orçamento 2011, os parlamentares tinham o direito de sugerir até 13 milhões de reais cada para obras em suas bases eleitorais. O montante total da despesa é de 8,91 bilhões de reais.

O valor foi aprovado durante votação do relatório preliminar do deputado Arlindo Chinaglia (PT-SP), relator do Orçamento de 2012.

A elevação da despesa foi feita à revelia do governo, segundo uma fonte do Palácio do Planalto que pediu para não se identificar. Todo o mantra do governo é que os congressistas devem evitar aumento excepcional de despesas num momento de aumento da crise e das incertezas na Europa.

Ao mesmo tempo que a Comissão de Orçamento votava o relatório preliminar do Orçamento 2012, Dilma e Mantega cobraram empenho e compromisso com a solidez fiscal. “Temos que evitar gastos excepcionais. Não podemos permitir aumento de gastos para qualquer setor nesse momento,” afirmou Guido Mantega.

(Por Tiago Pariz e Jeferson Ribeiro)

Continua após a publicidade
Publicidade