Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

PANORAMA3-Bolsas recuam com preocupação em relação à Europa

SÃO PAULO, 4 Abr (Reuters) – O aumento das preocupações com a economia europeia, principalmente com a Espanha, elevou a aversão ao risco nesta quarta-feira e fez com que as bolsas internacionais fechassem, em sua maioria, com quedas de mais de 1 por cento.

O euro ainda registrou uma desvalorização ante o dólar, que subiu frente a diversas moedas. Às 18h36, o euro caía 0,68 por cento ante o dólar, ao mesmo tempo que ante uma cesta de moedasa moeda norte-americana subia 0,33 por cento.

O leilão de títulos feito pela Espanha nesta quarta, e que registrou taxas maiores, foi um dos motivos de forte preocupação do mercado. Nos papéis para 2016, por exemplo, o rendimento ficou em 4,319 por cento, após 3,376 por cento em leilão anterior e ante expectativa de 3,95 por cento.

Ainda na Europa, as declarações do presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, foram acompanhadas por um tom mais cauteloso entre os analistas.

Draghi afirmou que a estabilização econômica na zona do euro corre o risco de vacilar, depois de o BCE ter mantido sua principal taxa de juros em 1,0 por cento.

Na véspera, a ata do Federal Reserve (banco central norte-americano) já havia esfriado os ânimos do mercado, ao reduzir as expectativas de que seja feita mais uma rodada de estímulo monetário nos Estados Unidos, o que também se refletiu nesta quarta-feira.

No mercado local, a Bovespa acompanhou as demais bolsas, assim como os juros futuros, que caíram com o humor negativo. O dólar, por sua vez, fechou próximo da estabilidade ante o real, com leve alta de 0,05 por cento.

A moeda havia acompanhado o quadro internacional durante a maior parte do dia, operando em alta, mas um pouco antes das 16h, e com a expectativa de que o Banco Central pudesse fazer um leilão de compra de dólares, diminuiu seus ganhos. O mercado também segue em alerta, caso o governo possa tomar mais medidas em relação ao câmbio.

A entrada de dólares se manteve firme no mês de março, de acordo com dados do fluxo cambial divulgado pelo BC nesta quarta-feira, apesar da atuação do governo no mercado de câmbio.

O fluxo cambial ficou positivo em 5,740 bilhões de dólares no mês passado, quase o mesmo montante visto em fevereiro (5,705 bilhões de dólares).

Na agenda doméstica desta quinta, o destaque são os dados do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de março, e que pode mexer com os juros futuros. Ainda no Brasil, o mercado deve olhar para os números de produção de veículos do mês passado, a serem divulgados pela Anfavea.

Nos EUA sairão números referentes ao auxílio-desemprego semanal. Já na Europa, serão divulgados dados da produção industrial da Alemanha relativos a fevereiro, enquanto na Grã-Bretanha devem ser anunciados números também da produção industrial, com definição adicional sobre a taxa de juros da região.

Veja como ficaram os principais mercados financeiros nesta quarta-feira:

CÂMBIO

O dólar fechou a 1,8281 real, em alta de 0,05 por cento frente ao fechamento anterior.

BOVESPA

O Ibovespa caiu 1,18 por cento, para 63.528 pontos. O volume financeiro na bolsa foi de 6,8 bilhões de reais.

ADRs BRASILEIROS

O índice dos principais ADRs brasileiros caiu 2,08 por cento, a 32.473 pontos.

JUROS <0#2DIJ:>

No call das 16h, o DI janeiro de 2014 estava em 9,390 por cento ao ano, ante 9,470 por cento no ajuste anterior.

EURO

Às 18h43, a moeda comum europeia era cotada a 1,3143 dólar, ante 1,3233 dólar no fechamento anterior nas operações norte-americanas.

GLOBAL 40

O título de referência dos mercados emergentes, o Global 40, caía para 132,125 por cento do valor de face, oferecendo rendimento de 1,195 por cento ao ano.

RISCO-PAÍS

O risco Brasil subia 7 pontos, para 177 pontos-básicos. O EMBI+ avançava 7 pontos, a 317 pontos-básicos.

BOLSAS DOS EUA

O índice Dow Jones fechou em queda de 0,95 por cento, a 13.074 pontos, o S&P 500 registrou desvalorização de 1,02 por cento, a 1.398 pontos, e o Nasdaq perdeu 1,46 por cento, aos 3.068 pontos.

PETRÓLEO

Na Nymex, o contrato de petróleo mais curto caiu 2,54 dólar, ou 2,44 por cento, a 101,47 dólares por barril.

TREASURIES DE 10 ANOS

O preço dos títulos do Tesouro norte-americano de 10 anos, referência do mercado, subia, oferecendo rendimento de 2,2233 por cento, frente a 2,293 por cento no fechamento anterior.

(PANORAMA1, PANORAMA2 e PANORAMA3 são localizados no terminal de notícias da Reuters pelo código )(Reportagem de Danielle Fonseca; Edição de Frederico Rosas)