Clique e assine com 88% de desconto

PANORAMA2-Mercado adota cautela após G20 e comentários de Merkel

Por Da Redação - 27 fev 2012, 13h34

SÃO PAULO, 27 Fev (Reuters) – Os mercados financeiros globais começaram a semana em tom negativo, pressionados por renovados temores com a zona do euro após um encontro do G20 no final de semana e comentários da chanceler alemã, Angela Merkel. As bolsas de valores eram afetadas ainda por realização de lucros e pelas preocupações com a recente escalada dos preços do petróleo, apesar de terem se afastado das mínimas da sessão.

Autoridades do G20, grupo que reúne as principais economias do mundo, disseram à Europa no final de semana que a região precisa reforçar seu capital antes de querer mais ajuda internacional, colocando pressão sobre a Alemanha para que Berlim deixe de se opor a um reforço no fundo de resgate do continente.

O Parlamento alemão votará ainda nesta segunda-feira a aprovação de um pacote de 130 bilhões de euros à Grécia. A integrantes da Casa, a chanceler alemã, Angela Merkel, disse não haver garantias de que o resgate grego terá êxito, mas ponderou que os benefícios de apoiar o programa se sobrepõem aos riscos.

O principal índice das ações europeias fechou em queda de 0,3 por cento, puxado pelo setor bancário. Em Wall Street, as bolsas passaram a subir, após flertarem com quedas em torno de 1 por cento.

Publicidade

Investidores também mostravam cautela com o recente salto nos preços do petróleo, visto como uma ameaça à recuperação econômica global. Os barris negociados em Nova York e em Londres caíam nesta sessão, mas no pregão anterior haviam disparado para máximas não vistas há vários meses.

O Ibovespa seguia no vermelho, apesar de ter se afastado das mínimas da sessão, enquanto o dólar operava perto da estabilidade ante o real, após passar grande parte da manhã em alta.

Os juros futuros oscilavam perto da estabilidade, depois de registrarem leve queda mais cedo. Investidores se dividiam entre nova alta nas expectativas de inflação para 2013 e comentários do presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, reiterando a continuidade do ciclo de afrouxamento monetário.

De acordo com o relatório Focus do BC, os agentes preveem que o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) feche 2013 em 5,11 por cento, acima da estimativa da semana anterior, de 5,02 por cento. A expectativa para 12 meses também subiu, a 5,28 por cento, após 5,27 por cento no relatório anterior.

Publicidade

Nos bastidores do encontro do G20, Tombini afirmou que não há mudança na visão do BC de que há alta “probabilidade” de a Selic cair cair abaixo de 10 por cento no futuro. “Essa estratégia não mudou”, disse.

A pauta doméstica contou ainda com a divulgação de novas leituras de inflação. O Índice Geral de Preços-Mercado (IGP-M) caiu 0,06 por cento em fevereiro, após alta de 0,25 por cento em janeiro, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV).

Também o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) do município de São Paulo desacelerou para alta de 0,07 por cento na terceira quadrissemana de fevereiro, após elevação de 0,24 por cento na segunda quadrissemana, informou nesta segunda-feira a Fundação Instituto de Pesquisas Econômica (Fipe).

Veja como estavam os principais mercados financeiros às xhx desta segunda-feira:

Publicidade

CÂMBIO

O dólar era cotado a 1,7053 real, em queda de 0,06 por cento frente ao fechamento anterior.

BOVESPA

O Ibovespa caía 0,74 por cento, para 65.452 pontos. O volume financeiro na bolsa era de 2,07 bilhões de reais.

Publicidade

ADRs BRASILEIROS

O índice dos principais ADRs brasileiros caía 0,31 por cento, a 34.441 pontos.

JUROS <0#2DIJ:>

O DI janeiro de 2014 estava em 9,780 por cento ao ano, ante 9,770 por cento no ajuste anterior.

Publicidade

EURO

A moeda comum europeia era cotada a 1,3409 dólar, ante 1,3462 dólar no fechamento anterior nas operações norte-americanas.

GLOBAL 40

O título de referência dos mercados emergentes, o Global 40, caía para 132,938 por cento do valor de face, oferecendo rendimento de 1,247 por cento ao ano.

Publicidade

RISCO-PAÍS

O risco Brasil subia 1 ponto, para 202 pontos-básicos. O EMBI+ avançava 3 pontos, a 327 pontos-básicos.

BOLSAS DOS EUA

O índice Dow Jones subia 0,15 por cento, a 13.002 pontos, o S&P 500 tinha alta de 0,16 por cento, a 1.367 pontos, e o Nasdaq ganhava 0,24 por cento, aos 2.970 pontos.

Publicidade

PETRÓLEO

Na Nymex, o contrato de petróleo mais curto registrava alta baixa de 0,64 dólar, ou 0,58 por cento, a 109,13 dólares por barril.

TREASURIES DE 10 ANOS

O preço dos títulos do Tesouro norte-americano de 10 anos, referência do mercado, subia, oferecendo rendimento de 1,9342 por cento, frente a 1,977 por cento no fechamento anterior.

Publicidade

(PANORAMA1, PANORAMA2 e PANORAMA3 são localizados no terminal de notícias da Reuters pelo código )(Por José de Castro; Edição de Hélio Barboza)

Publicidade