Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

ONS atribui apagão no Espírito Santo a incidentes em Furnas

Operador também informou que nível dos reservatórios do Sudeste e Centro-Oeste atingiram 36,69% da capacidade total, menor patamar desde 2001

As causas do blecaute que atingiu o norte do Espírito Santo, parte da Grande Vitória e áreas pontuais do Sul do Estado ainda estão sendo apuradas pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), segundo o Informativo Preliminar Diário da Operação (IPDO) divulgado nesta quarta-feira. No documento, o operador afirmou que, às 20h21, houve desligamento automático de um transformador da subestação Vitória e dos circuitos 1, 2, 3 e 4 da linha de transmissão de 138 kV Vitória – Pitanga, ambos ativos administrados por Furnas.

A perda do transformador e da linha de transmissão levou ao corte de uma carga de 1 mil MW médios na área de concessão da Escelsa, distribuidora que opera no Espírito Santo, além da interrupção de 24 MW médios de carga da Cemig suprida pela subestação Conselheiro Pena. “Houve ainda o desligamento da hidrelétrica Mascarenhas (Escelsa), da hidrelétrica Aimorés (Escelsa), da termelétrica Viana (Tevisa) e da termelétrica Luiz O.R.Melo (Linhares Energia)”, detalhou o operador no documento.

O processo de recomposição das cargas na área de concessão da Escelsa teve início às 20h50, sendo concluído às 21h33. Na Cemig, as cargas foram recompostas às 21h42. O transformador da subestação ficou indisponível para operação aguardando intervenção de Furnas, controlada da Eletrobras.

Leia também:

ONS culpa (de novo) raios por apagão – nem Dilma cai nessa

Aneel propõe alta de 4,6% nas tarifas de energia para custear CDE

Atraso na entrega de projetos compromete oferta de energia no Brasil

Reservatórios – O nível dos reservatórios das usinas do subsistema Sudeste/Centro-Oeste, o mais importante, voltou a cair, refletindo forte consumo de energia e a estiagem deste verão. Segundo o ONS, os reservatórios fecharam na terça-feira com 36,69% da capacidade total, uma queda de 0,51 ponto porcentual em relação ao dia anterior. Há uma semana, o nível de armazenamento era de 38,9%. Há um ano, o patamar era de 42,9%. Os níveis apurados em fevereiro são os mais baixos desde 2001, ano do racionamento de energia.

No Sul, dados do operador indicam que os reservatórios encerraram ontem com 46,31% da capacidade, uma queda de 1,19 ponto porcentual em relação ao dia anterior. No Nordeste, o nível de armazenamento era de 42,61%, uma diminuição de 0,9 ponto porcentual na comparação com segunda-feira, 10. O Norte tem uma situação tranquila, com os reservatórios fechando em 70,17%, aumento de 0,37 ponto porcentual em relação ao dia anterior.

Leia mais:

Nível de reservatórios do Sudeste e Centro-Oeste é o menor em 13 anos

Sudeste e Sul deveriam racionar 5% da energia

Sistema elétrico bate novo recorde de carga

(com Estadão Conteúdo)