Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Obama espera acordo sobre “abismo fiscal” antes do Natal

Presidente dos Estados Unidos voltou a pressionar os legisladores e reiterou que é contra aumentos de impostos para a classe média

Por Da Redação - 28 nov 2012, 15h46

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse nesta quarta-feira que está fazendo sua parte para chegar a um acordo com o Congresso para evitar o chamado “abismo fiscal” – uma série de cortes de gastos e aumentos de impostos que vai entrar em vigor no começo do ano que vem se não houver consenso para evitá-lo (veja quadro explicativo) e que pode conduzir a economia para uma recessão. Obama afirmou que quer um acordo pronto antes do Natal, e que esse pacto precisa colocar o déficit orçamentário sob controle. “Nós só temos algumas semanas para chegar a um acordo. Eu estou pronto, disposto e sou capaz de resolver os assuntos fiscais. Estou animado para avançar e resolver esse assunto de uma maneira bipartidária”, garantiu.

O presidente aproveitou a oportunidade para aumentar a pressão sobre os legisladores. Ele disse que a ampla maioria dos americanos apoia uma abordagem equilibrada para o acordo fiscal e pediu que os cidadãos liguem para seus representantes no Congresso para cobrar um pacto sobre as questões tributárias.

Obama voltou a afirmar que é contra a elevação dos impostos para a classe média e para as empresas. “Tenho uma caneta e estou pronto para promulgar uma lei que evite os aumentos de impostos para a classe média”, disse. Esses aumentos acontecerão se não forem prorrogados os cortes de impostos aprovados na administração de George W. Bush, previstos para expirar no fim deste ano.

O presidente quer deixar expirar apenas os cortes de impostos para os mais ricos, que representam cerca de 2% da população, mas isso enfrenta forte oposição dos republicanos. “Agora, enquanto nós falamos, o Congresso pode evitar os aumentos de impostos para 98% do país”, disse ele.

Publicidade

(com Estadão Conteúdo)

Publicidade