Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês

O bloqueio dos EUA a cinco empresas chinesas que apoiam a Rússia

Por indiretamente ajudar na continuidade da Guerra na Ucrânia, companhias de tecnologia foram colocadas na lista de restrições dos EUA

Por Renan Monteiro Atualizado em 30 jun 2022, 15h02 - Publicado em 30 jun 2022, 11h39

Cinco empresas chinesas foram bloqueadas pelos EUA após ignorarem as sanções à Rússia e ajudarem o país em guerra. Segundo o Departamento de Comércio, as companhias estariam fornecendo apoio tecnológico e/ou logístico à base industrial militar da Rússia e, em última análise, contribuindo para a continuidade da guerra. Nesta semana, Connec Electronic, King Pai Technology, Sinno Electronics, Winninc Electronic e World Jetta Logistics entraram na lista de companhias que o governo americano restringe acesso a tecnologias desenvolvidas na maior economia do mundo.

Após a invasão da Rússia na Ucrânia, em 24 de fevereiro, o governo impôs diversas sanções econômicas, inclusive a proibição da venda de produtos de alta tecnologia à Rússia e a Belarus. Em abril, o Departamento do Comércio já havia anexado à lista de embargo 120 empresas desses dois países, atuantes nos setores aeroespacial, marítimo e de defesa. As entidades estariam fornecendo recursos às forças armadas durante a guerra. “Os Estados Unidos têm capacidade para detectar, identificar e restringir entidades na Rússia, Belarus ou em outros lugares que buscam apoiar esse esforços bélicos”, disse a secretária de Comércio Gina Raimundo, em nota à imprensa, divulgada pelo departamento naquele mês.

Já nesta semana, a adição das empresas chinesas à lista de proibição de exportação, além de aumentar a tensão com a segunda economia do mundo, indica novos passos do governo Biden para, de fato, restringir empresas que eventualmente forneçam apoio técnico à Rússia. Também nesta semana, o Departamento do Tesouro dos EUA anunciou ter alcançado, desde a invasão, 330 bilhões de dólares em ativos russos bloqueados pelos aliados na Otan, cerca de 30 bilhões de oligarcas russos próximos do governo e 300 bilhões do Banco Central da Rússia.

  

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)