Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

No último pregão antes da eleição, bolsa e real sobem

Mercado acredita que vitória de Jair Bolsonaro (PSL) já está consolidada

No próximo domingo, 28, o fator que mais influenciou o mercado financeiro nos últimos dois meses cessará. O mercado, que endossou a campanha de Jair Bolsonaro (PSL), espera sua vitória diante de Fernando Haddad (PT), o que tem sido o cenário pintado pelas pesquisas eleitorais. Esse fator, inclusive, é o que favorece as valorizações da bolsa e do real nesta sexta-feira, 26. Pouco após a abertura das negociações, o Ibovespa, principal índice de ações da B3, a bolsa de valores de São Paulo, subia 0,49%, aos 84.491 pontos. Já o dólar se depreciava 0,57%, cotado a 3,682 reais.

Pedro Galdi, da Mirae Asset, espera um pregão volátil, justamente por ser o último antes das eleições. “Ontem saiu a pesquisa Datafolha e outras devem sair ao longo do dia. Isso deve trazer uma volatilidade aos ativos”, diz o analista.

Na noite de quinta 25, o Datafolha mostrou que Jair Bolsonaro vencia Fernando Haddad por 56% a 44%. Em relação à última pesquisa, a diferença caiu de 18 para 12 pontos porcentuais. No entanto, isso não deve influenciar o humor dos investidores. “A diferença é muito grande. Investidor acha que é jogo ganho”, afirma Galdi.

Newton Rosa, economista-chefe da SulAmérica Investimentos, chama atenção para o mercado internacional. Dois balanços prejudicam as negociações mundo afora. Alphabet, holding controladora do Google, e Amazon apresentaram resultados que ficaram aquém das expectativas do mercado. Investidores começam a achar que a guerra comercial trava pelo presidente do Estados Unidos, Donald Trump, contra a China já pode estar prejudicando as empresas americanas.

Veja também

“Lá fora está um show de horrores. Há uma expectativa de que isso possa respingar no pregão daqui”, afirma Rosa. Apesar disso, ele também acredita que o pregão de hoje será dominado pelo clima eleitoral. “O dólar está caindo, e os juros futuros também. Isso mostra que o mercado está mais tranquilo”, avalia.

Entre as empresas mais negociadas na bolsa, Petrobras (+1,14%), Itaú (+0,67%), Bradesco (+0,72%) e Banco do Brasil (+0,52%) sobem. Apenas a Vale tem queda, de 1,23%, com ações cotadas a 53,93 reais.